VOLTA AO MUNDO EM CINCO SABORES

Centro de Profissionalização e Educação Técnica

VOLTA AO MUNDO EM CINCO SABORES

WALDIR PACHECO LEÃO JUNIOR

Resumo





Desde que o mundo se transformou em uma " Aldeia Global " houve uma fusão dentro do quesito gastronomia.
Ficou mais fácil a aquisição de insumos que outrora eram de difícil acesso, tanto pela dificuldade imposta pelas altas taxas de importação, como pela falta de demanda nos mercados distantes, mais voltados para a regionalização gastronômica.
De olho nesse movimento que elevou o nível de interesse de um grande filão que pontua como um fator relevante, a gastronomia, dentro desse grande agregador de possibilidades que é o turismo.
Uma viagem gastronômica por cinco países em 5 continentes diferentes, trará uma nova perspectiva dentro de um roteiro de "Volta ao Mundo".
No continente europeu, a Espanha é a estrela dessa narrativa. Com uma gama infinita de realidades culturais, que casam divinamente as cozinhas do Mediterrâneo, com o atlântico e toques requintados da identidade Ibérica.
Da Europa, iremos para o continente africano. A África do Sul é o país em destaque, tanto pela mistura de elementos oriundos de todo o continente, como pela ancestralidade que se faz presente no contexto.
A Ásia terá a Tailândia como representante nessa saga. Uma das grandes vertentes atuais no mundo todo, é o fruto de muita pesquisa, muitos ingredientes usados de forma fracionada e uma pitada de alquimia.
A Austrália traz a Oceania para essa aventura, com um viés voltado a cultura do povo aborígene, uma atmosfera cheia de ingredientes únicos.
De volta ao continente americano, mais precisamente na Costa Pacífica da América do Sul, o Peru será o desfecho dessa aventura de paladares. Hoje a comida peruana é a maior estrela no universo gastronômico mundial. Uma variedade de toques culturais dentro de um universo ancestral, fazem de Lima o grande laboratório difusor de novas maravilhas para o paladar.

Palavras-chave: Espanha. África do Sul. Tailândia. Austrália. Peru.

Abstract

Since the world became a "Global Village" there has been a fusion within the gastronomy category.
It became easier to acquire inputs that were once difficult to access, both due to the difficulty imposed by high import rates and the lack of demand in distant markets, more focused on gastronomic regionalization.
Keeping an eye on this movement that raised the level of interest of a large lode that scores as a relevant factor, gastronomy, within this great aggregator of possibilities that is tourism.
A gastronomic trip through five countries on 5 different continents, will bring a new perspective within a "Around the World" itinerary.
On the European continent, Spain is the star of this narrative. With an infinite range of cultural realities, which divinely match the cuisines of the Mediterranean, with the Atlantic and exquisite touches of Iberian identity.
From Europe, we will go to the African continent. South Africa is the country in prominence, both for the mixture of elements from all over the continent, as well as for the ancestry that is present in the context.
Asia will have Thailand as its representative in this saga. One of the great trends in the world today, is the result of much research, many ingredients used in a fractional way and a pinch of alchemy.
Australia brings Oceania to this adventure, with a bias towards the culture of the Aboriginal people, an atmosphere full of unique ingredients.
Back on the American continent, more precisely on the Pacific Coast of South America, Peru will be the outcome of this adventure of tastes. Today Peruvian food is the biggest star in the world gastronomic universe. A variety of cultural touches within an ancestral universe, make Lima the great laboratory that spreads new wonders for the palate.

Keywords: African. American. Asia. European. Oceania.

Introdução

Viajar é uma das mais gratificantes formas de conexão com o universo.

No momento que existe possibilidade e tempo para vivenciar uma cultura diferente, existem elementos que enriquecem esse investimento que tão prazeroso pode se transformar.

Diferentes costumes, paisagens, heranças culturais e principalmente nesse contexto aqui abordado, os insumos gastronômicos regionais, costumam marcar de forma positiva ou não, uma jornada desde um estado vizinho, até um deslocamento ao outro lado do planeta.

No mundo globalizado, fica muito confortável para quem não pode ou  simplesmente não tem disposição para essa experiência. As grandes redes de fast food, tornaram-se aliadas e se fazem presente praticamente em todos os grandes centros da terra, inclusive na maioria das cidades de porte médio de vários países.

Apesar  de um grande intercâmbio em escala mundial com insumos regionais fundidos e determinando várias vertentes na alta gastronomia, ainda existe uma forma de olhar com outra perspectiva para locais que usam sua matéria prima, de uma forma singular e que vem a fazer a diferença dentro de uma ocasião naquela viagem especial.

Uma viagem com o objetivo de percorrer os cinco continentes clássicos, pode agregar um toque essencial para quem está aberto a  novas perspectivas.

Nos capítulos em seguida, percorreremos aquilo de mais saboroso dentro da gastronomia da Espanha, África do Sul, Tailândia, Austrália e Peru.

Muitas delícias e costumes diferentes estão presentes nesse roteiro.

   Capítulo i           ESPANHA

 

Um dos países europeus com uma diversidade cultural tão grande, não poderia ficar de fora dessa aventura gastronômica.

Vamos diferentemente dos outros países em destaque, pontuar alguns aspectos de cada região desse país cheio de nuances e delícias.

A Galícia : uma região que possui um dialeto tão influenciado pela proximidade com Portugal, não poderia deixar ser influenciada por costumes de outro país irmão que ao lado da Espanha forma a penísula Ibérica.

Os peixes e mariscos são o carro chefe da gastronomia galega, que também tem uma forma especial de maturar carnes e produzir queijos, que tem atestados rigorosos de procedência. O queijo de San Símon e o Pulpo Gallego. ( polvo a galega ), são  dois exemplos do que não se deve deixar de experimentar.

Astúrias e Cantabria : além de uma extensa produção de frutos do mar, essa região e famosa pela "Fabada Asturiana", que é uma espécie de feijoada a base de favas, carne de porco curada e maturada, além de deliciosas sobremesas a base de cremes e crepes.

País Basco : região de beleza ímpar que tem as cidades de Santander e San Sebástian como duas pérolas com influência atlântica. A  cozinha basca é famosa por seus molhos e carnes grelhadas. o Marmitako é o prato típico, originalmente elaborado por pescadores.

Navarra : as aves, presuntos maturados e um queijo cremoso especial, são elementos típicos da gastronomia local. Faisões, codornas e perdizes são preparados com uma série de ervas finas e alcachofra, sendo o que há de mais típico na provincia.

Andaluzia : azeitonas, cogumelos e frituras, são elementos que ficaram da influência moura nessa região lendária ao sul do país. O Gazpacho Andaluz, uma sopa fria de vegetais é a mais famosa iguaria dessa região.

Aragão : os assados são o que tem de mais emblemáticos, ao lado de caldas de pessêgo com cebolas caramelizadas, regados ao famoso azeite de Empeltre.

Ilhas Baleares : Maiorca, Menorca e Ibiza, além da pegada paradisíaca, tem o famoso "Arroz Sujo" a base de miúdos de coelho e frango, e as Ensaimadas ( bolos a base de banha) como os principais representantes gastronomicos.

Ilhas Canárias : o Almodrote (farinha a  base de cereais)e o Almogrote (molho com pimenta, azeite e queijo ralado, são os carros chefe originais para acompanhar os frutos do mar colhidos no Atlântico.

Castilha-La Mancha e  Madrid : o cozido madrilenho, os assados de cordeiro e o leite merengado, merecem o grau de representantes dessa região tão especial.

Catalunha : o Suquet (molho de peixe) e pratos chamados de Mar e Montanha, são a base gastronômica regional dessa bela região que tem como capital Barcelona.

Comunidade Valenciana : a Paella Valenciana e o Arroz Negro ( a base de tinta do polvo), são dois pratos famosos que sempretem os camarões lagostin como maior estrela.


Figura 1 — Paella Valenciana.
Paella Valenciana.blogtudogostoso.com

   CAPÍTULO II            ÁFRICA DO SUL

        

Na rica gastronomia desse país deslumbrante, foram inseridos insumos oriundos de todo um continente, além um forte apelo herdado das milenares tribos de Xhosa, Sotho, Khoisan e Zulu.

Importantes fatores como a herança colonial de britânicos e afrikaners (descendentes dos franceses, alemães e holandeses) e seus  escravos vindos  principalmente  de colônias como Índia, Malásia e Indonésia. .

A diversidade  de grandes contrastes geográficos em que a sobrevivência é uma batalha diária.

Um relevo com áreas desérticas, e também com a presença de florestas tropicais e equatoriais,  produzem uma fonte inesgotável  de matéria prima que agregam um toque singular no acabamento de deliciosas iguarias.

Veremos agora a influência cultural e os costumes gastronômicos que os diferentes povos somaram e construíram esse Caldeirão Cultural que se transformou a cozinha Sul Africana.

Afikaners e Britânicos : vegetais refogados na manteiga e açúcar, acompanhando carne bovina que pode ser assada no forno tradicional ou na brasa, além de grelhada. A guarnição fica por conta de batatas grelhadas e um arroz típico picante. Os embutidos apimentados ( o Braai ), são assados ao lado de bifes, caftas, torresmos e costela bovina marinada. Os doces da sobremesa são cozidos no vapor, a base de leite e frutas.

Africanos : bolinhos fritos chamados "dumpings", mingau de leite azedo, tripas maturadas e o popular Mieliepap ( uma papa a base de milho com gordura animal ), esse último sempre acompanhado de feijão frito e vegatais.

Malaios, hindus e Indonésios : ensopados variados a base de curry, sosatie e bombatie. Peixes em conserva e especiarias.



Figura 2 — Feijão sul africano.
Feijão sul africano.blogtudogostoso.com

 

   CAPÍTULO III         TAILÃNDIA

A combinação de aromas e sabores provenientes de especiarias especiais, conseguem equilibrar de maneira saborosa o doce, o salgado, o ácido e o apimentado dentro de um mesmo prato.

O arroz é a base de quase  todo prato Thay,sendo que o glutinoso, o marrom e o de jasmim, os grãos mais populares E na elaboração das iguarias, não pode faltar o gengibre, molho de ostra, acúcar de palma, molho de peixe, alho, chicória equatorial, capim cidreira, folha de limão kaffir,  cúrcuma da terra, echalot, galanga e várias sementes e folhas.

Para a construção da culinária thay, foram séculos de muito estudo e prática com os mais diversos insumos, sendo um hábito dos reis focar na qualidade dos cozinheiros da  realeza, visando servir o que havia de melhor para seus convidados.

A influência veio principalmente de países com uma vasta tradição gastronômica como Índia e China, além de povos distintos que viviam na região e se dividiam em tribos e etnias.

Os países do sudeste asiático tem uma cultura gastronômica muito parecida por aspectos climáticos e culturais, porém a Tailândia tem uma pegada diferenciada por conta de séculos de pesquisa e diferentes combinações que atiçam o paladar nos níveis mais extremos.

Na Tailândia existe um hábito especial, come-se várias vezes em um dia. A comida de rua é um patrimônio do país. A qualidade dos pratos servidos ao ar livre, são uma das grandes forças que fazem a gastronomia ser um dos elementos mais potentes do turismo local, além dos sítios paradisíacos do país.

Existe um habito bem exótico em vários países asiáticos, comer insetos.

Carrinhos tipo os de pipoca ou cachorro quente no ocidente, são usados para vender insetos fritos. Essa cultura é bem presente principalmente no nordeste da Tailândia além de países vizinhos como : China, Malásia, Indonésia, Singapura, Vietnã, Laos, Myanmar e Camboja.

Em seguida veremos os mais tradicionais pratos tailandeses.

Pad Thay : o prato mais famoso da cozinha tailandesa, está por todos os lados, na rua e nos restaurantes refinados.

 Existe uma infinidade de formas de preparo, mas a base permanece: macarrão de arroz e especiarias salteados com molho de soja, carne bovina, camarões e vegetais. É comum também que se adicione amendoim. Os molhos picantes são adicionados ao gosto de cada um.

Som Tam :  salada tailandesa servida, como acompanhamento.

 Típica do nordeste do país, o ingrediente principal é o mamão verde, misturado a outras especiarias e legumes, tudo fracionado para formatar uma mistura de sabores: o picante, o doce, o salgado e o ácido. 

Tom Kha Gai :  ensopado de frango com base de  leite de coco, aromatizada com galangal, folhas de limão kaffir, além de vegetais. Um contraste entre o sabor doce do coco e a acidez das especiarias . 



Figura 3 — Pad Thay.
Pad Thay.blogtudogostoso.com

   CAPÍTULO IV           AUSTRÁLIA

A culinária da Austrália se refere a culinária da Comunidade da Austrália e as sociedades coloniais e indígenas precedentes. Os cocos australianos tem ocupado o território da Austrália a aproximadamente 40.000 anos durante o qual desenvolveram uma dieta de coleta e caça única conhecida como Bush Tucker, retirada da flora e fauna australiana. De 1788 a 1900, durante o período de colonização britânica, a culinária () foi fortemente influenciada pela culinária britânica e irlandesa com produtos como a carne de vaca, ovelha e o trigo se tornando parte da dieta nacional. No pós-guerra o programa de migração levou a uma diversificação da culinário local, particularmente pela influência de imigrantes do Mediterrâneo e Sudeste da Ásia ().




 Os grandes influenciadores dessa gastronomia pungente são principalmente China, Indonésia: Inglaterra, Malásia, Japão, Grécia, Itália e França. 

 A China  com seu conceito, priorizando carnes diversas e vegetais. 

A Índia marca presença com suas especiarias.

A  Malásia, Indonésia e  Tailândia, por suas ervas, temperos, caldos de peixe produtos a base de coco.

 Itália, França e Inglaterra,  o gosto por vegetais na manteiga, cremes e molhos para serem usados junto a massas e assados. 

O Japão, com seus pratos a base de matérias primas cruas, e raízes fortes.

 A Grécia com Mosakas, carne de carneiro e as azeitonas e azeites, presentes na elaboração de tantos pratos.

Vamos conhecer os pratos mais tradicionais da cozinha aussie.

Barbie : o famoso churrasco australiano, é feito a base de cortes bovinos, cordeiros, frutos do mar, kaftas, aves e até a carne de canguru, iguaria muito utilizada. Os acompanhamentos são pão e molhos cremosos.

Bush food : a  cultura aborígene se faz presente nesse menu, com pratos a base de carnes exóticas e frutos silvestres.

Além da carne de canguru, também a de Iguana e crocodilo, são muito populares com molhos a base de frutos como morango,  amora, passion fruit, além de outos só encontrados na Austrália como o quandong.

Meat Pie : a torta de carne australiana, tem a massa folhada mais deliciosa que existe, recheada com vísceras bovinas ou  carnes nobres, com molhos diversificados que podem ser o ponto alto dessa iguaria.



Figura 4 — Meat Pie.
Meat Pie.blogtudogostoso.com

   CAPÍTULO V          PERU

Pelo oitavo ano consecutivo, o Peru foi escolhido como “Melhor Destino Culinário Do Mundo” pelo prestigiado World Travel Awards, considerado o “Oscar do turismo”, em cerimônia realizada em Omã, no final de novembro ().

A gastronomia peruana é hoje considerada a maior estrela desse universo de delícias.

A formatação dos pratos, técnicas, minúcias e uso de matérias primas de qualidade, levaram o Peru a uma atmosfera tão peculiar, que o país é o líder no ranking do turismo gastronômico.

Com forte influencia da cultura espanhola, devido a colonização; mas também sendo a base do Império Inca, a riqueza cultural gastronômica desse país andino e com litoral no Pacífico, é algo que eleva os sentidos para uma dimensão difícil de ser superada. A chegada de vários Chefs franceses que se exilaram no país durante a Revolução Francesa, trouxe uma bagagem extra para esse novo mundo. Além dos franceses, houve uma chegada de imigrantes Japoneses, Chineses e de países europeus como Itália, Portugal e Espanha, que na primeira metade do século XIX influenciariam de forma definitiva o seguimento gastronômico peruano.

Os pratos mais emblemáticos dessa cozinha estrelada, são : 

Ceviche : lascas marinadas de peixes nobres crus, servidas no suco de limão e verduras como cebola roxa e pimentões especialmente cultivados para ser parte dessa verdadeira alquimia gastronômica.

Lomo Saltado : legumes, batatas fritas, lâminas de carne macia cobertos por um molho de ervas finas, alho e molho de soja, sobre uma generosa porção de arroz branco.

Ají de gallina : frango desfiado, aliado a uma mistura de ingredientes espanhóis e das tribos inca muito bem picados e fundidos com com uma mistura a base de pimenta verde, pão amanhecido e creme de leite. As guarnições são : arroz branco, azeitonas e batatas assadas. 



Figura 5 — Ceviche.
Ceviche.blogtudogostoso.com

   Conclusão

O  hábito de estar com a mente  aberta para assimilar fatores culturais distintos, quando se está em uma viagem por lugares novos, proporcionam uma experiência enriquecida e muitas vezes inesquecível.

Nesse universo que também pode-se chamar de arte, que é a gastronomia, os sentidos, basicamente o olfato e o paladar, ficam aguçados e marcados pra sempre, quando as experiências são relevantes.

Essa volta ao mundo com uma pegada voltada a gastronomia, passando pela Espanha, África do Sul, Tailândia, Austrália e Peru, podem inspirar além da viagem em si, uma busca por elementos que muitas vezes, estão próximos porém não são conhecidos.

Viajar também traz a possibilidade de eternizar aquele sabor que ficou  marcado por uma bela experiência, na forma de adquirir os insumos e apresentar para pessoas do círculo de amigos ou parentes, principalmente aqueles que provavelmente não teriam acesso a essas delícias

Viajar também pode se transformar em uma dinâmica enriquecedora e uma ferramenta para descobrir novos horizontes.

Referências

"Experimente a culinária da Tailândia". São Paulo, 2008. 22,23 p. Disponível em: https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102008249. Acesso em: 13 mar. 2021.

. Disponível em: http://www.cultureandrecreation.gov.au/articles/foodanddrink/index.htm. Acesso em: 13 mar. 2021.

. Disponível em: https://donatoviagens.com.br/curiosidades-culinaria-australiana/. Acesso em: 13 mar. 2021.

. Disponível em: https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/culinaria/culinaria-australiana/50936. Acesso em: 13 mar. 2021.

. Disponível em: https://www.buenasdicas.com/comidas-tipicas-peru-2120/. Acesso em: 13 mar. 2021.

. Disponível em: www.tudogostoso.com. Acesso em: 13 mar. 2021.

CoetzeeRenata. The South African Culinary Tradition, C. Struik Publishers, Cidade do Cabo, África do Sul.. Cidade do Cabo, África do sul.: C. Struik Publishers, 1977.

khe: thai. khe thai. 2014. Disponível em: http://kheathai.com.br/. Acesso em: 13 mar. 2021.

Mettzer. O melhor editor para trabalhos acadêmicos já feito no mundo. Mettzer. Florianópolis, 2016. Disponível em: http://www.mettzer.com/. Acesso em: 21 ago. 2016.

VásquezItos. Com todo el sabor, Itos Vásquez, Editoria Oro S.A., 2003,. Editora Oro. 2003. Disponível em: www.editoraoro.com. Acesso em: 21 out. 2020.

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica