PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR VII – PIM VII

UNIVERSIDADE PAULISTA

PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR

Redes de Computadores

PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR VII - PIM VII

TIAGO DE LEMOS DOMINGOS - RA: 0508018

Orientador(a): Edson Henrique de Sousa

Resumo

Este trabalho tem por objetivo desenvolver uma solução de infraestrutura de segurança física e lógica que proporcione a chamada “Experiência de Viagem” com os clientes que pretendem comprar online, sem sair de casa, toda a sua trajetória de viagem para á startup Acesso Fácil, iremos desenvolver uma solução completa, que interligue a necessidade do cliente com a realização efetiva das compras, direcionando esses negócios às empresas parceiras. Este trabalho teve como metodologia o estudo de caso apresentado no manual deste protejo integrado multidisciplinar (PIM), as disciplinas do semestre: Segurança Física e Lógica de Redes, Empreendedorismo e Gestão da Qualidade. Conclui-se que a infraestrutura detalhada nesse trabalho irá trazer a segurança física e lógica que proporcione a chamada “Experiência de Viagem” para que os clientes da Acesso Fácil possam comprar online sem sair de casa, toda a sua trajetória de viagem.

Palavras-chave: Acesso Fácil, Segurança Física, Lógica de Redes, Empreendedorismo, Qualidade.

Abstract

This work aims to develop a physical and logical security infrastructure solution that provides the so-called "Travel Experience" with customers who want to buy online, without leaving home, their entire travel path to the startup Easy Access, we will develop a complete solution that interconnects the customer's need with the effective realization of purchases, directing these businesses to the partner companies. This work had as a methodology the case study presented in the manual of this integrated multidisciplinary protection (PIM), the disciplines of the semester: Physical Security and Network Logic, Entrepreneurship and Quality Management. It is concluded that the detailed infrastructure in this work will bring the physical and logical security that provides the so-called "Travel Experience" so that Easy Access customers can buy online without leaving home, their entire travel path.

Keywords: Easy Access, Physical Security, Network Logic, Entrepreneurship, Quality.

Introdução

O objetivo deste Projeto Multidisciplinar Integrado é aplicar os conhecimentos adquiridos nas disciplinas Segurança Física e Lógica de Redes, Empreendedorismo e Gestão da Qualidade para desenvolver uma solução de infraestrutura de segurança física e lógica que proporcione a chamada “Experiência de Viagem” aos clientes que pretendem comprar online, sem sair de casa, toda a sua trajetória de viagem e estabelecer a infraestrutura segura de acesso dos parceiros e clientes do Acesso Fácil. Este projeto é de suma importância para a aprendizagem profissional, pois é possível analisar e comparar a teoria ensinada em sala de aula com a realidade da organização.

Trataremos de cada disciplina estudada em sala de aula durante este projeto de forma concisa e clara para quem a analisa. Este estudo teve como metodologia, o estudo de caso apresentado neste manual (PIM), as disciplinas do semestre: Segurança Física e Lógica de Redes, Empreendedorismo e Gestão da Qualidade.

O desenvolvimento de uma API deve ser estruturada para a sua aplicação de forma agregada. Dessa forma, permitindo a realização de uma ou várias atividades integradas. Assim, sendo uma estrutura interna, não demonstrada ao usuário final, mas permitindo a sua usabilidade pelo cliente.

Para relações que são apresentadas via utilização online, há, sempre, a necessidade de implementação de perfis de segurança, não apenas em redes, mas nos processos que estarão sendo aplicados em conjunto com a estrutura utilizada. Muitas das vezes, a segurança é embasada em forma de uma atividade física e lógica, entre os dois conceitos.

A necessidade de um processo empreendedor, também, emprega o conceito de qualidade. Isso, pois a implementação de um sistema informativo possui a sua característica principal que é a usabilidade de um cliente. Consequentemente, o serviço deve funcionar de forma gutural, garantindo a execução de todas as funcionalidades buscadas pelo usuário

DESENVOLVIMENTO 

Aplicando os conhecimentos adquiridos nas disciplinas cursadas neste semestre: Segurança Física e Lógica de Rede, Empreendedorismo e Gestão da Qualidade, desenvolveremos uma solução de infraestrutura de segurança física e lógica que proporciona a chamada “Travel Experience” para clientes que pretendem comprar online , acabando saindo de casa, toda a sua trajetória de viagem.

Por meio da disciplina de Segurança Física e Lógica, criaremos as três versões do plano de gerenciamento de projetos e apresentaremos os formulários de mudança de escopo, com base nas melhores práticas do PMBOK. A partir dos conhecimentos adquiridos na disciplina de empreendedorismo, iremos citar quais são as características empreendedoras dos sócios proprietários do Acesso Fácil.

O desenvolvimento de uma API deve ser estruturada para a sua aplicação de forma agregada. Dessa forma, permitindo a realização de uma ou várias atividades integradas. Assim, sendo uma estrutura interna, não demonstrada ao usuário final, mas permitindo a sua usabilidade pelo cliente. Para relações que são apresentadas via utilização online, há, sempre, a necessidade de implementação de perfis de segurança, não apenas em redes, mas nos processos que estarão sendo aplicados em conjunto com a estrutura utilizada. Muitas das vezes, a segurança é embasada em forma de uma atividade física e lógica, entre os dois conceitos.

A necessidade de um processo empreendedor, também, emprega o conceito de qualidade. Isso, pois a implementação de um sistema informativo possui a sua característica principal que é a usabilidade de um cliente. Consequentemente, o serviço deve funcionar de forma gutural, garantindo a execução de todas as funcionalidades buscadas pelo usuário.

Descrição de Ambiente 

A Acesso Fácil é uma startup que desenvolveu uma nova metodologia para o acesso e para o a realização de ofertas de produtos e de serviços para os seus clientes. Dessa forma, a empresa garante ao cliente um melhor acesso as ofertas em relação a uma solicitação ou pesquisa realizada anteriormente. Essa solução possui um embasamento voltado para a experiência através da realização de compras online. Dessa forma, há uma maior simplicidade para a realização dos processos de desenvolvimento e de solução para a necessidade de compra de um consumidor.

A companhia, também, busca o desenvolvimento e a conexão relacionada a segurança física e lógica das atividades executas pela nova API da startup. Consequentemente, é permitida uma maior infraestrutura, garantindo a total Experiencia do Cliente e a Experiencia de Viagem. A companhia, também, oferecerá o seu ambiente para diversos outros parceiros, que atuam em diversas áreas e permitem um grande fluxo de consumidores online. Elas são a agência de turismo SoViagemTur, a companhia aérea Manvam, a operadora de cartões de crédito TemCard, a rede de hotéis MeuLugar e o Banco FinaCred do Brasil.

Toda essa estrutura, buscada pela startup Acesso Fácil, garante ao cliente a realização de compras online, sem a necessidade de se locomover a uma loja. Com a permissibilidade de escolhas entre diversos produtos e serviços, assim como uma exposição do produto. E, para tanto, a necessidade da companhia se volta para a implementação de metodologias que permitam uma maior segurança e funcionalidade ao consumidor.

Assim, havendo a necessidade de observação e implementação de uma estrutura física e lógica, mecanismos de segurança por firewall e políticas de segurança. Além de formas de redundância à internet, ações de implementação de servidores virtuais, apresentações de topologia física e logica e a implementação de conceitos de autenticação segura para o consumidor, agindo de forma estrutural e permissiva para o desenvolvimento da API.

Seguranças Física e Lógica de Redes

A segurança é um processo global, apresentada em diversos âmbitos. Dessa forma, a interação da segurança com o perfil de redes, físicas e lógicas, acaba por ser uma necessidade significativa para a execução de processos, a partir de pessoas e de organizações.

De uma forma fundamental, as redes são apresentadas como parte do processo de transporte e troca de informações, adicionando um maior valor as informações que são transportadas de forma direta ou indireta. Assim, a segurança da informação pode ser apresentada como a fase de transição das informações, acontecendo de um ponto a outro e representando um risco maior.

Consequentemente, há a necessidade de proteger as informações que trafegam na rede, com o objetivo de evitar vazamentos, furtos e falhas, tendo em vista que muitos desses dados estão relacionados a valores ou transações monetárias. E, há a necessidade de se atentar aos fatores humanos e ao estabelecimento de processos estruturados de forma negativa.

Há um total de três elementos que são apresentados como o s agregados e formam as partes ativadas da segurança de uma rede. Elas são as pessoas, os processos e a própria tecnologia. E, as ameaças que rondam a segurança da informação acabam por ter como alvo a exploração das vulnerabilidades desses elementos.

Moraes (2010, p.19), afirma que a segurança da informação pode ser definida como um processo de proteger a informação do mau uso tanto acidental como intencional, por pessoas internas ou externas à informação, incluindo empregados, consultores e hackers. Essa afirmação faz relação ao uso do valor da informação, sendo um grau importante para cada organização. Esse conjunto pode levar a impactos financeiros, a quebra do valor da imagem da companhia, além de falhas no processo estratégico. 

Infraestrutura de Segurança Física e Lógica

Para que haja uma maior segurança das informações apresentadas na API de compras, desenvolvida pela startup Acesso Fácil, há a necessidade de implementação de algumas proteções, assim como o segmento dos pilares da segurança em rede de dados e comunicação. Moraes (2010) menciona que o modelo constituído em referência a equipamentos de rede, sistemas de autenticação, sistemas de auditoria e informações extremamente importantes que trafegam nas redes.

Dessa forma, o sistema deve garantir uma maior integridade da informação apresentada no ambiente da API. Assim, serão utilizados alguns conceitos de controle de segurança, amparados em diferentes modelos e abrangendo diferentes tipos de características, como pessoas, processos e, consequentemente, a tecnologia. O risco que a estrutura do sistema corre, pode ser considerado uma ameaça estatística. Isso, pois a probabilidade de alguma ameaça de explorar uma vulnerabilidade do sistema, a fim de afetar a segurança da informação e todos os dados existentes, impactando seriamente a empresa, assim como o consumidor, são gigantes.

Dessa forma, uma das atividades a serem implementadas para o desenvolvimento da API é a transmissão de dados a partir de hashing. Com essa premissa, haverá uma maior empregabilidade das funções matemáticas para o processo de transporte e de armazenamento dos dados. Assim, ao chegar no seu destino, a informação é separada da sua chave, conhecida como o hash, dessa forma, haverá a realização de um novo cálculo para verificar se a imagem da informação encaminhada é idêntica a imagem recebida. E, havendo alteração no valor, a informação é de que a integridade foi comprometida. Esse é um conceito que deverá ser utilizado na estrutura API da startup Acesso Fácil. Dessa forma, qualquer relação com as informações provenientes da estrutura de consumo deverão estar aplicadas e mantidas a partir da segurança de hashing, para conceitos de estrutura de rede.

Infraestrutura, Processo e Ambiente. 

O modelo para o gerenciamento de suporte a serviços, entrega de serviços, perspectiva de negócio, gerenciamento das aplicações e o gerenciamento da estrutura são essenciais para qualquer processo tecnológico, inclusive para a entrada de informações como é o caso da API de marketplace da startup. Dessa forma, alguns modelos que garantem uma melhor funcionalidade para o serviço, como a implementação de uma central de serviços, garantindo o contato e a função das atividades e dos serviços a serem aplicados. Dessa forma, a implementação e a observação de atividades como as relacionadas ao processo de funcionamento com um ponto central é essencial.

A infraestrutura, também, deve permitir a restauração dos serviços, sempre que necessário. Dessa forma, garantindo uma melhor relação de correção e busca pela melhor operação e implementação de atividades e funcionalidades ao sistema, consequentemente, essa atividade garante uma solução mais rápida para os clientes e usuários. Dessa forma, todas as informações apresentada com a API, desde as observadas a partir das estruturas de operações, devem atuar de forma a relacionar o produto ao serviço oferecido, aplicando a detecção e o registro de classificação do produto ao usuário. Assim, o produto deverá estar ligado a empresa parceira, fornecendo a solicitação diretamente ao usuário e salvando a sua busca pelo produto.

A criação do ambiente voltado para o uso de tecnologias para a oferta de micro e macro serviços deverá implementar diversas relações de atividade interna, permitindo uma maior agilidade ao usuário e uma grande relação no tratamento das informações apresentadas.

Dessa forma, a criação a API em uma forma de pacotes estaria facilitado para a implementação e para a criação de novas imagens para a base de construção de um container. Assim, cada usuário, assim como a sua página interna – baseada na página de comercialização de uma das companhias parceiras – deverão ser construídas e armazenadas, posteriormente. Dessa forma, a API deverá funcionar a partir de uma estrutura de containers, permitindo uma grande capacidade de funcionalidades, assim como a interação do usuário, também, será ampliada em acordo e com a utilização e funcionamento realizado a partir de containers.

Implementação, Máquina e OS

O sistema deverá estar implementado a partir de um ambiente lógico, em uma máquina potente. A configuração escolhida para operar, inicialmente, se trata de uma máquina com 32 Gb de memória e um total de 16 cores, garantindo um melhor processamento de dados para a aplicação dos containers. A necessidade de implementação a partir de um sistema virtual, garantindo uma maior dinâmica para as aplicações e gerando uma maior consonância com a estrutura tecnológica. Consequentemente, a busca por um ambiente gerado através de micro serviços, permitindo uma maior quantidade de processos e melhorias simplistas.

Para a utilização do sistema, há a necessidade de implementação de uma estrutura que garanta uma integração contínua com a estrutura dos containers, que possuem uma escalabilidade extremamente simples. Consequentemente, a estrutura embasa um processo de cloud. Dessa forma, a utilização de um sistema embarcado, aplicado sobre o Sistema Operacional Alpine e a linguagem de Java 8. Assim, essa máquina virtual deveria estar estabilizada para o processamento de uma grande quantidade de containers, mantendo um controle para que a estrutura não se limite ao downtime da configuração física do hardware.

A implementação de sistemas open source para o desenvolvimento de uma combinação entre os containers, garantindo uma implementação básica para upgrades de containers, permitindo, então, uma maior capacidade de crescimento de funcionalidades para o ambiente. A interatividade e a demonstração de logs, também, é necessária para o sistema, garantindo um armazenamento de informações que forem alteradas, de forma a manter logs de qualquer atividade que seja executada ou operacionada a partir dos processos da API.

 Redundância à Internet. 

A implementação de firewalls, assim como mecanismos de segurança física e lógica, garantem uma maior relação de segurança para as funcionalidades do sistema, incluindo formas de aplicação de fraudes e invasões, podem ser integradas afim de impactar negativamente o processamento da API. Com a utilização de um servidor virtual, para o funcionamento da API, há a necessidade de um sistema de firewall. Como é possível observar a partir da topologia da rede, a necessidade do sistema de firewall se dá durante a Service Fabric, que é onde há o desenvolvimento da estrutura interna, em código, do sistema.

Essa relação, também, deve ser impactada pela utilização de certificados digitais. Essa funcionalidade, também, irá garantir uma maior segurança para o usuário do sistema. Consequentemente, o sistema, a partir da sua utilização em Web Service, irá solicitar o requerimento do certificado digital. A existência de um certificado digital deverá ser relacionada à usabilidade da API, não sendo permitida a sua execução, em websites de terceiros, caso não haja uma maior segurança.

Processo de Autenticação

O processo de autenticação de usuário é essencial para a segurança das informações apresentadas, não apenas pelo consumidor, como, também, para o ofertador de um produto ou serviço. Dessa forma, ela auxilia na garantia e no controle, confidencialidade e classificação para a precaução de furtos e fraudes em um sistema. Dessa forma, a necessidade de implementação de um sistema baseado no controle de acesso dos usuários do sistema, acaba por ser necessário. Assim, havendo a implementação de alguns métodos, que são caracterizados como o de identificação, o de autenticação e o de autorização. Diversos outros sistemas de autenticação possuem essa intencionalidade, que visa manter a confidencialidade do usuário. Dessa forma, esse é tornado um princípio que deve existir durante todo o processo de desenvolvimento e empreendimento das atividades da API, garantindo que todas as informações do usuário.

Como a API deve estar integrada a outros sistemas, como os dos parceiros de venda de produtos e de serviços, há a necessidade de manter, também, as informações apresentadas pelas companhias parceiras, estando também, sobre uma estrutura que pode vir a ser ameaçada em relação a crackers e de usuários mal intencionados ou descuidados. Alguns conteúdos negativos, que causam e ameaçam a estrutura de um sistema online, pode ser trazido de algumas formas, desde pela má intensão de um usuário, por descuidos por parte de usuários ou pela falta de segurança do próprio sistema. Dessa forma, a implementação de algumas atividades de criptografia, também, restrição de acesso, classificação de dados e desenvolvimento de normas, também, é necessária.

Consequentemente, a estrutura de proteção lógica, como são definidas as estruturas de perfis de usuário e em aplicação, assim como os firewalls, abrangem a importância que o ativo de informação tem para a organização, e pode ser desenvolvidas para processos, pessoas e tecnologias.

Plano de gerenciamento do projeto

Marques Junior e Plonski (2011) afirmam que os projetos têm papel preponderante na estratégia organizacional, comportando-se como vetores de mudanças e inovações, trazendo vantagens competitivas para as empresas.

Dinsmore e Barbosa (2009) confirmam que um projeto é um empreendimento temporário único, ou seja, tem um ponto de partida e um ponto final definidos.Se operado por humanos, os recursos são usados ​​para criar produtos ou serviços únicos. Heldman (2009) apontou que os projetos podem ser solicitados para os seguintes projetos: necessidades de mercado, oportunidades estratégicas ou necessidades de negócios, necessidades do cliente, progresso tecnológico, requisitos legais, impacto ecológico e necessidades sociais.

O objetivo do Acesso Fácil é desenvolver uma solução completa que vincule a necessidade do cliente à efetiva realização das compras, direcionando esses negócios para empresas parceiras. Para essa interligação entre diferentes sistemas, o Acesso Fácil desenvolve APIs é um conjunto de rotinas e padrões de programação para acesso a um
aplicativo de software ou plataforma baseado na Web. A sigla API refere-se ao
termo em inglês "Application Programming Interface" que significa em tradução
para o português "Interface de Programação de Aplicativos".
APIs(*) com seus parceiros de negócios. O à Acesso Fácil também ajuda a garantir a segurança física e lógica no relacionamento entre parceiros e clientes por meio de suas redes locais e da Internet, propondo consultoria em infraestrutura com foco na segurança física e lógica, de forma a se consolidar no mercado.

O primeiro desafio da Acesso Fácil está em desenvolver uma solução de infraestrutura de segurança física e lógica que proporcione a chamada “Experiência de Viagem” com os clientes que pretendem comprar online, sem sair de casa, toda a sua trajetória de viagem. Para isso foi chamada a Acesso Fácil e suas APIs irão representar os seguintes parceiros de negócio: a agência de turismo SoViagemTur, a companhia aérea Manvam, a operadora de cartões de crédito TemCard, a rede de hotéis MeuLugar e o Banco FinaCred do Brasil. 

Com isso o plano estratégico da Acesso Fácil determina a contratação de um gerente de projetos de TI que possa liderar o projeto de modernização da infraestrutura tecnológica dos laboratórios de cada uma das unidades da empresa. O projeto tem por objetivo modernizar os laboratórios onde são ministrados os treinamentos para clientes e empresas parceiras em um prazo de seis meses, pois clientes e colaboradores sinalizaram que a infraestrutura está obsoleta e não atende mais as necessidades de negócio, precisando então de uma substituição dos computadores, switches e sistema operacional. Algumas exigências são:

  • O projeto precisa considerar o conceito de sustentabilidade e TI verde.
  • O sistema operacional deverá ser da Microsoft.
  • As máquinas estarão interligadas em rede.
  • Os computadores dos laboratórios “36” das unidades que possuem aluno perfil 2 precisam ter configuração superior de modo a proporcionar plataforma adequada para programas que precisam de uma boa interface gráfica. 
  • Orçamento de 1.200.000,0 reais.
Organograma do Projeto

Figura 1 — Organograma do Projeto
Organograma do ProjetoO autor (2020)

Descrição da equipe (recursos humanos) responsável pelas fases do projeto

Sabemos que as pessoas são a peça-chave em um projeto. Apesar de toda a tecnologia disponível nos dias de hoje, nada substitui a inteligência e a iniciativa das pessoas, nenhuma tecnologia tem o poder de resolver problemas ou tomar decisões. De modo geral, o gerenciamento dos recursos humanos de um projeto inclui todos os processos que organizam e gerenciam a equipe responsável pela execução de tal projeto. Essa equipe é formada por profissionais com papéis e responsabilidades que podem alterar-se no decorrer do projeto. As habilidades necessárias dos profissionais, bem como o número de profissionais que farão parte da equipe do projeto, poderão sofrer alterações durante o ciclo de vida deste (PMI, 2008). 

Para desenvolver um plano de recursos humanos é o processo de identificação e documentação das funções que cada um deve exercer, bem como das responsabilidades, das habilidades necessárias para a execução das tarefas e dos relacionamentos hierárquicos do projeto, além da criação de um planejamento de gestão dos profissionais. 

Quadro 1 — Descrição da Equipe e Responsabilidades
FUNÇÃOATRIBUIÇÃO
Gerente de ProjetosDesenvolver o escopo e o plano do gerenciamento do projeto, elaborar o catálogo de serviços procedimento de TI, gerenciar toda a execução do projeto.
Analista de Sistemas Analisar as rotinas de trabalho, fazer as customizações. Desenvolver as novas rotinas para o sistema. Gerenciar a equipe de programação e implantação. 
Analista de Banco de Dados Instalar e configurar banco de dados, realizar testes e auxiliar o Gerente de TI no planejamento do projeto.
Analista de SuporteGerenciar a equipe de implantação. Instalar o sistema, parametrizar o sistema, realizar testes. Treinamento de usuários chaves. Auxiliar o Gerente de projetos no planejamento do projeto.
Programador Desenvolvimento das rotinas, manutenção e customização.
Técnico de implantaçãoAuxiliar na instalação parametrização de testes no sistema. Treinamento de usuários chaves.
CompradorGerenciar os processos de aquisição de materiais necessários. Serviços de implantação e configuração do banco de dados.
O autor (2020)
Matriz de responsabilidades 

A Matriz de responsabilidade do Projeto é descrita no quadro a seguir.

Figura 2 — Matriz de Responsabilidade
Matriz de ResponsabilidadeAdaptação. Gestão de Projeto - Implantação Sistemas /Guilherme da Silva Xavier(Monografias, Brasil Escola)

Cronograma para o projeto

O cronograma é um documento dinâmico, que sofre alterações durante todo o projeto. Este documento é o instrumento oficial de acompanhamento do projeto, onde as datas nele registradas devem ser seguidas por toda a equipe do projeto. Portanto, o Gerente do Projeto deve estar atento a todas as variáveis que possam interferir (positivamente ou negativamente) na entrega do projeto. O acompanhamento do tempo das atividades do projeto será gerenciado através do MS-Project. A atualização do cronograma se rá realizada duas vez por semana pelo gerente do projeto. Se houver alguma alteração nas datas das atividades, devera ser publicada uma nova versão do cronograma.

Estrutura Analítica do Projeto

Abaixo é exibida a figura que esboça a EAP deste projeto.

Figura 3 — EAP do Projeto
EAP do ProjetoO autor (2020)

Dicionário da EAP
Quadro 2 — Dicionário da EAP
Tarefa Atividade
ProjetoStartup - Acesso Fácil
Planejamento do ProjetoFase
Gestão de Recurso Processo de estimativa e controle dos tipos e quantidades de materiais, pessoas, equipamentos ou suprimentos necessários para a realização.
Gestão de Tempo Processo de estimar e controlar a duração das atividades, o número de períodos para cada uma.
Gestão de QualidadeProcessos e atividades que determinam as responsabilidades, objetivos e as políticas de qualidade de modo que o projeto atenda as necessidades que motivaram sua realização.
Gestão de RiscoProcesso de definição de riscos e como conduzir as atividades de gerenciamento de riscos do projeto.
Gestão de compras e aquisições Processos de definição e documentação das decisões de compras do projeto especificando a abordagem e identificando fornecedores potencial.
Gestão de CustosO gerenciamento de custos inclui processos envolvidos em estimativa, orçamentação e controle de custos dentro do orçamento aprovado. 
Execução do ProjetoFase
Análise do SistemaNesta etapa, será realizada uma análise com os usuários para definir a customização a ser realizada além da definição das ferramentas e distribuição da equipe.
Desenvolvimento e CustomizaçãoEtapa de desenvolvimentos e contratação.
Efetuar aquisiçõesCompra de Equipamentos.
Montagem da infra estruturaNessa etapa será realizada a implantação e configuração de software e hardware para a implantação do sistema.
Implantação do controle estoqueNessa etapa será realizada a implantação do novo sistema.
TreinamentoNessa fase será definido o cronograma de treinamentos, elaboração e distribuição dos manuais e a execução dos treinamentos.
EncerramentoAuditoria dos processos e encerramento oficial do projeto.
Acompanhamento Planejamento e execução do Controle do Monitoramento do projeto.
Adaptação. Gestão de Projeto - Implantação Sistemas /Guilherme da Silva Xavier(Monografias, Brasil Escola)
Diagrama de fluxo da experiência

Figura 4 — Diagrama de fluxo da experiência
Diagrama de fluxo da experiênciaProjeto Integrado Multidisciplinar (PIM) - UNIP 2020

sustentabilidade e TI verde

O conceito de TI Verde (ou sustentável) envolve a preocupação com a sustentabilidade no setor tecnológico. É um movimento que vem adquirindo cada vez mais força e tem como objetivo a diminuição, senão a eliminação, de riscos e impactos em todos as fases do ciclo de vida de aparelhos eletro-eletrônicos, desde a sua concepção até a sua destinação final, quando sua vida útil se encerra. Nesse sentido a Acesso Fácil deve utilizar de arquiteturas e processos que permitam uma maior vida útil e também facilitem o desmonte do equipamento ao fim da sua vida útil, Eficiência energética, controlar a cadeia de fornecedores, não utilizar substâncias tóxicas e sim materiais recicláveis na fabricação, fazer uso racional de recursos naturais, recuperar e reutilizar equipamentos antigos ou que não funcionam mais ou separação e encaminhamento das partes para reciclagem.

Empreendedorismo

O objetivo da disciplina Empreendedorismo é entender os diferentes tipos de organizações envolvendo conceitos de administração, abordando questões históricas e fundamentando as principais bases das teorias administrativas. Nela, serão estudados a função e o papel da administração e do administrador no contexto das organizações para que s e adquira uma visão integrada do processo gerencial e do papel dos dirigentes.

Todo negócio envolve necessariamente o ato de produzir ou vender um produto ou de prestar um serviço. Um produto é um bem concreto: algo que se pode pegar, ver e apalpar. Uma mercadoria ou um bem que pode ser destinado ao consumo (bens consumo) ou à produção de outros bens (bens d e produção); um bem ou produto é um complexo de atributos tangíveis e intangíveis, incluindo embalagem, cor, prestígio do varejista, serviços proporcionados pelo produtor ou varejista, que o comprador aceita co mo satisfatório s para suas necessidades e desejos. Mas um serviço é também uma atividade especializada (CHIAVENATO, 2008).


Segundo Chiavenato (2008), o objetivo de um negócio é obter lucro a partir da comercialização de bens ou serviços que atendam às expectativas e desejos da sociedade. 

 A Administração estratégica integra o planejamento estratégico e a Administração em um único processo, sendo que o primeiro torna-se uma atividade contínua em que os administradores são encorajados a pensar estrategicamente, focando na visão estratégica de longo prazo, assim como em questões táticas e operacionais em curto prazo (BATEMAN; SNELL, 1998).

De acordo com Hamel e Prahalad (1995), a Administração Estratégica pode ser conceituada como sendo a Administração voltada a fortalecer as competências d a organização, com vistas à obtenção da vantagem competitiva ante a concorrência. Ela é viabilizada com o envolvimento das áreas de conhecimento da organização que concebem uma empresa como um portfólio de competências, surgindo daí uma enorme gama de possíveis oportunidades. 

O clima organizacional é um conjunto de fatores e itens de caráter permanente que distingue uma organização da outra, influenciando o comportamento de indivíduos. A cultura organizacional é um sistema sociocultural que revela a identidade da organização a partir d e padrões de comportamento. A mudança organizacional é qualquer modificação ou transformação na forma como uma organização funciona, seja na composição dos seus membros, nos recursos utilizados ou nas tarefas executadas. 

O termo empreendedorismo foi empregado em todos os processos do projeto (a partir das reuniões em grupo, orientações com o professor, brainstorming, desenvolvimento do sistema e a apresentação), pois se trata de uma atividade em equipe onde se tornou possível colocar em prática tudo que aprendemos durante o curso despertando o espírito empreendedor de cada integrante do grupo.

Características empreendedoras dos sócios-proprietários da Acesso Fácil

O empreendedor pode possuir diversas características. De acordo com Dornelas (2008), os empreendedores de sucesso possuem as seguintes: 

  • Iniciativa: são pessoas que não ficam esperando que os outros (o governo, o empregador, o parente, o padrinho) venham resolver seus problemas. A iniciativa, enfim, é a capacidade da quele que, tendo uma adversidade qualquer, age: arregaça as mangas e parte para a solução;
  • Persistência: por estar motivado, convicto, entusiasmado e crente nas possibilidades, o empreendedor é capaz de persistir até que as coisas comecem a funcionar adequadamente;
  • Autoconfiança: o empreendedor tem autoconfiança, isto é, acredita em si mesmo. Se não acreditasse, seria difícil tomar a iniciativa. A crença em si mesmo faz o indivíduo arriscar mais, ousar, oferecer-se para realizar tarefas desafiadoras, enfim, torna -o mais empreendedor; 
  • Aceitação dos riscos: ainda que muitas vezes seja cauteloso e precavido, a verdade é que o empreendedor os aceita em alguma medida; 
  •  Ausência de temor do fracasso e da rejeição: o empreendedor fará tudo o que for necessário para não fracassar, mas não é ator mentado pelo medo paralisante d a derrota. Pessoas com grande amor próprio e receio do fracasso preferem não tentar correr o risco de não acertar – ficam, então, paralisadas;
  • Decisão e responsabilidade: o empreendedor não fica esperando que os outros decidam por ele. Ele toma decisões e aceita a responsabilidade que elas acarretam; 
  • Energia: é necessária uma dose de energia para se lançar em novas realizações, que usualmente exigem intensos esforços iniciais. O empreendedor dispõe dessa reserva de energia, vinda provavelmente de seu entusiasmo e motivação;
  • Automutilação e entusiasmo: pessoas empreendedoras são capazes de automotivação relacionada a desafios e tarefas em que acreditam. Não necessitam de prêmios externos, como compensação financeira. Igualmente, por sua motivação, são capazes de se entusiasmarem com suas ideias e projetos;
  • Controle: o empreendedor acredita que sua realização depende de si mesmo, e não de forças externas sobre as quais não tem controle. Ele se vê capaz de controlar a si mesmo e de influenciar o meio de modo a poder atingir seus objetivos; 
  • Ser voltado para equipe: o empreendedor em geral não é um fazedor, no sentido obreiro da palavra. Ele cria equipe, dele, acredita nos outros e obtém resultados por meio disso;
  • Otimismo: o empreendedor é otimista, o que não quer dizer sonhador ou iludido. Acredita nas possibilidades que o mundo oferece, na chance de solução dos problema se no potencial de desenvolvimento;  
  • Capacidade empreendedora: se uma pessoa tem capacidade empreendedora, ela tem boa probabilidade de acertar no mundo do pequeno negócio. Mas a verdade é que os negócios exigem um pouco mais do que pura e simplesmente o talento empreendedor.

Acreditamos que para que os sócios -proprietários da Acesso Fácil tenham sucesso precisam ter as seguintes características, apresentadas no quadro abaixo:

Quadro 3 — Características, atitudes, habilidades e comportamentos necessários para os sócios-proprietários da acesso fácil.
CARACTERÍSTICADESCRIÇÃO
COMPROMETIMENTO E DETERMINAÇÃOSão decididos, persistentes, disciplinados, dispostos ao sacrifício e a mergulharem totalmente em seus empreendimentos. 
LIDERANÇA São iniciadores, formadores de equipes, aprendizes superiores e professores.
OBSESSÃO POR OPORTUNIDADESPossuem conhecimento íntimo das necessidades dos consumidores, são orientados pelo mercado e obcecados por criação de valor e aperfeiçoamento.
TOLERÂNCIA AO RISCO, AMBIGUIDADE E INCERTEZASão tomadores de riscos calculados, minimizadores de riscos, tolerantes ao estresse e dispostos a resolver problemas. 
CRIATIVIDADE AUTOCONFIANÇA E HABILIDADE DE ADAPTAÇÃOPossuem a mente aberta, são impacientes com o status quo, aptos a aprender rapidamente, altamente adaptáveis, criativos, habilitados para a conceituação e atentos aos detalhes.
MOTIVAÇÃO PARA A EXCELÊNCIAPossuem orientação clara par a resultados, estabelecem metas ambi ciosas, mas realistas, possuem forte direcionamento para descobrir, saber seus próprios pontos fracos e fortes, e focalizam mais o que pode ser feito do que as razões por que as coisas não podem ser feitas.
Adaptado de Bateman e Snell (1998, p. 211).

Os sócios-proprietários da Acesso Fácil devem ter como principais características e habilidades: saber aproveitar as oportunidades de mercado e criação de valor, ser autoconfiante, lutar por excelência e desenvolver atitudes e comportamentos úteis. Empreendedores de sucesso são líderes determinados e eficazes, obcecados por oportunidades, criativos, motivados, autoconfiantes e tolerantes a incertezas e riscos. 

 A liderança é uma das mais importantes habilidades para se conseguir ser um empreendedor bem-sucedido. Na verdade, um líder reúne várias habilidades, para influenciar os outros no atingimento das metas das empresas. O grande líder é aquele que tem visão, que sabe criar e realizar visões. Ter uma visão de futuro e saber comunicá -la aos outros é hoje uma das principais funções da liderança. “Visão é uma imagem mental de um estado futuro possível e desejável para a organização. Grandes líderes imaginam um futuro ideal para suas organizações, um futuro que vai além do comum e do que os outros possam ter considerado possível” (BATEMAN; SNELL, 1998, p. 336)

Gestão de Qualidade 

O objetivo da disciplina Qualidade de Software é apresentar, definir e avaliar os conceitos e a gestão da qualidade de processos e produtos de software, mostrando de que modo a garantia da qualidade pode ser implantada nas organizações de TI, em um mercado competitivo e exigente. Deming (1982) define que qualidade é atender continuadamente às necessidades e expectativas dos clientes a um preço que eles estejam dispostos a pagar. Deming é reconhecido pelos estudiosos da qualidade como o grande líder no gerenciamento da qualidade e como fundador da terceira onda industrial (revolução da informação). Segundo Cortês e Chiossi (2001), a qualidade é um grau previsível de uniformidade e dependência, baixo custo e satisfação do mercado, ou seja, é sempre aquilo que o cliente necessita e quer, é a ausência de falhas ou defeitos. 

Segundo Molinari (2003), a norma internacional ISO 9126, publicada em 1991, e que na versão brasileira de agosto de 1996 recebeu o número NBR 13596, define qualidade de software como sendo a totalidade de características de um produto de software que lhe confere a capacidade de satisfazer necessidades explícitas e implícitas. Necessidades explícitas são as condições e os objetivos propostos por aqueles que produzem o software. São, portanto, fatores relativos à qualidade do processo de desenvolvimento do produto e percebidos somente pelas pessoas que trabalham no seu desenvolvimento. Necessidades implícitas são subjetivas dos usuários (inclusive operadores, destinatários dos resultados do software e mantenedores do produto), e são também chamadas de fatores externos, podendo ser percebidas tanto pelos desenvolvedores quanto pelos usuários. As necessidades implícitas são ainda chamadas de qualidade em uso, e devem permitir aos usuários atingir metas com efetividade, produtividade, segurança e satisfação em um contexto de uso especificado. 

A qualidade de software resulta de um conjunto completo de atividades interdependentes, entre as quais a análise e os testes necessários, mas que não são suficientes. As atividades de análise e teste ocorrem ao longo do desenvolvimento e da evolução d e sistemas de software, desde o início da engenharia de requisitos até a entrega e subsequente evolução. A qualidade depende de cada parte do processo de software, não apenas da análise e do teste. Nenhuma quantidade de teste pode compensar a baixa qualidade causada por outras atividades do processo. Por outro lado, uma característica essencial dos processos de software, que geram produtos de alta qualidade, é que o teste e a análise estão profundamente integrados ao processo, e não são pensados a posteriori (PEZZÉ; YOUNG, 2008). 

Existem diversas certificações, tanto para as empresas quanto para os profissionais de software, como: Certificação em Teste de Software, do Instituto IBQTS, certificações das normas ISO para as empresas em processos de qualidade de software, como CMMI -DEV e MPS.BR.  

A importância d a implementação de modelos de qualidade software para á Acesso Fácil 

A qualidade deve ser incorporada a um produto ou serviço e requer a conjugação de esforços de todos os membros de uma empresa, a integração de todas as funções e recursos que ela dispõe, desde a alta administração até o mais simples empregado. A estruturação de recursos, métodos, passos e equipamentos envolvidos com a qualidade constitui o sistema de qualidade da empresa. Para que a Acesso Fácil demonstre que a empresa é capaz de atingir e manter a qualidade de seus produtos e serviços e continuamente aperfeiçoá-la é um corolário deste esforço e, por sua repercussão na produtividade e competitividade, vem merecendo permanente cuidado das organizações líderes em suas áreas de atividade. O comprometimento com a política de qualidade é uma responsabilidade do mais alto nível da administração. 

 Os elementos do sistema de qualidade devem estar estruturados para estabelecer um controle adequado e uma garantia sobre todos os processos operacionais que afetam a qualidade do produto ou serviço. Ações preventivas devem ser enfatizadas para que se evite a ocorrência de problemas sem sacrificar a capacidade de responder e de corrigir falhas que possam ocorrer. O CMMI é um modelo desenvolvido pelo Software Engineering Institute (SEI) para melhoria da maturidade dos processos de desenvolvimento de software. O modelo descreve um caminho evolucionário de melhoria de maturidade, através do atendimento de práticas-chave distribuídas em cinco níveis de maturidade. Quanto maior o nível, maior é a maturidade dos processos de desenvolvimento de software de uma organização. 

A qualidade dos produtos de software está fortemente ligada à qualidade do processo de desenvolvimento e, não menos importante, do uso de modelos de testes em diferentes etapas do processo. A prática de modelos de teste nos permite padronizar as atividades, melhorar a qualidade dos produtos de software, melhorar a curva de aprendizado dos profissionais, otimizar o controle dos produtos e a medição e uso de indicadores, entre outros benefícios. 

 O processo de software envolve métodos, ferramentas e pessoas. Esse conjunto deve estar integrado para que um processo funcione de maneira eficaz. Para um processo funcionar corretamente, ele deve possuir: Procedimentos e métodos que descrevam a relação entre as tarefas; Ferramentas e equipamentos que ofereçam suporte à realização das tarefas, simplificando e automatizando o trabalho; Pessoas com perfil adequado, treinadas nos métodos e nas ferramentas para poderem realizar as atividades previstas, adequadamente.

CONCLUSÃO

As empresas especializadas em desenvolvimento de software devem acompanhar os tempos, seguir os padrões de qualidade exigidos pelo mercado e sempre combinar tecnologias mais adequadas para enfrentar com sucesso a acirrada competição atual.

O processo de desenvolvimento da API da startup Acesso Fácil necessita do emprenho de grandes quantidades de serviço. Isso, pela necessidade de implementação de um sistema de hardware capaz de envolver todo o sistema lógico e que atua, de acordo com o projeto, através de pacotes e containers, permitindo uma grande quantidade de processos e elementos a serem executados.

O processo de funcionamento, também, necessita da implementação de conceitos e atividades empreendedoras. Dessa forma, a busca por atividades que pleiteiem o desenvolvimento de uma estrutura embarcada, também, está empregada com os conceitos de administração, havendo a obrigatoriedade de conservação do processo e de execução para que haja um crescimento esperado.

A Acesso Fácil também ajuda a garantir a segurança física e lógica no relacionamento entre parceiros e clientes por meio de sua rede local e da Internet, e recomenda consultoria em infraestrutura com foco em segurança física e lógica para fortalecer sua posição no mercado. A infraestrutura detalhada nesta obra trará segurança física e lógica, proporcionando assim a chamada “experiência de viagem” para que os clientes do Acesso Fácil possam adquirir toda a trajetória da viagem online sem ter que sair.

Quanto a relatividade abrangida pela gestão de qualidade, todo o processo deve ser empregado de forma administrativa e estratégica. Isso, pois a qualidade só pode ser atingida quando há a observação e a utilização dos seus conceitos, mantendo uma maior capacidade e uma grande concentração de ações que estejam conexos com o funcionário e com a atividade executada.

Referências

ARAÚJO NETOAntônio Palmeira. Empreendedorismo. São Paulo: Sol, 2013.

BATEMANThomas S; SNELLScott A. Administração: Construindo Vantagem Competitiva. Tradução Celso A. Rimoli. São Paulo: Editora Atlas, 1998.

CHIAVENATOIdalberto. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor, empreendedorismo e viabilidade de novas empresas, um guia eficiente para iniciar e tocar seu próprio negócio. São Paulo: Saraiva, 2008.

CRISTOVÃO Andréa Martins. Gestão da qualidade.. São Paulo: Sol, 2013.

CÔRTESM. L; CHIOSSIT. C. S. Modelos de qualidade de software. Campinas: Editora da Unicamp, 2001.

DEMINGW. E. Quality, productivity and competitive position. EUA: Center for Advanced Engineering Study, MIT Press, 1982.

DINSMOREP. C; BARBOSAA. M. C. Como se tornar um profissional em gerenciamento de projetos: livro-base de “Preparação para certificação PMP: Project Management Professional. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2009.

DORNELASJosé Carlos Assis. Transformando idéias em negócios. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

HELDMANK. Gerência de projetos. . Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

MARQUES JUNIORL. J; PLONSKIG.A. Gestão de projetos em empresas no Brasil: abordagem “tamanho único”? . São Carlos: Gestão e Produção, v. 18, f. 1, 2011, p. 1-12.

MENEZES Luís Cesar de Moura. Gestão de Projetos. São Paulo: Atlas, 2009.

MOLINARIL. Testes de software: produzindo sistemas melhores e mais confiáveis. São Paulo: Érica, 2003.

MORAESA.F. Segurança em redes: fundamentos . Érica, 2010.

PEZZÉM; YOUNGM. Teste e análise de software: processos, princípios e técnicas. Porto Alegre: Bookman, 2008.

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE - PMI. A Guide to the Project Management Body of Knowledge (PMBOK Guide). 4. ed. Newtown Square: Project Management Institute, 2008.

Project Management Institute. Um guia do conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK). 4. ed. Pennsylvania - EUA: Project Management Institute, 2008.

XAVIERCarlos Magno da Silva. Gerenciamento de Projetos. Como definir e controlar o escopo do projeto. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

XavierGuilherme da Silva . GESTÃO DE PROJETO - IMPLANTAÇÃO SISTEMA WMS. Monografias Brasil Escola. Disponível em: https://monografias.brasilescola.uol.com.br/administracao-financas/gestao-projeto--implantacao-sistema-wms.htm. Acesso em: 27 set. 2020.

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica