PROJETO DE EQUIPAMENTO COMPOSTO DE GERADOR EÓLICO E SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO POR PELTIER

UNIFBV | Wyden UNIVERSIDADE BOA VIAGEM

COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA MECÂNICA

Engenharia Mecânica

PROJETO DE EQUIPAMENTO COMPOSTO DE GERADOR EÓLICO E SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO POR PELTIER

João Victor Lima dos Santos

Resumo

É notória a preocupação e o desenvolvimento de novas fontes de energias alternativas. Entretanto, em se tratando de energia eólica a grande iniciativa encontra-se em parques de grande escala. Diferentemente da energia solar, a qual está em plena expansão para utilização em residências e pequenos estabelecimentos, a energia eólica apresenta uma série de limitações que restringe seu uso tal como na solar. Assim, este trabalho se apresenta com o objetivo de desenvolver o projeto de um equipamento de geração de energia eólica em residências, bem como utiliza a essa energia como fonte para um sistema de climatização usando células Peltier. Encontra-se presente o desenvolvimento do desenho do protótipo, o cálculo dos elementos presentes, a simulação fluidodinâmica do escoamento do ar nas pás da hélice, entre outros estudos. Para isso, o trabalho foi dividido em duas etapas, sendo a primeira a escolha de turbinas de eixo verticais, seguindo requisitos de economia de espaço e peso do componente, aproveitamento de maior massa de ar geradora de energia, bem como redução da necessidade mais específica de mão de obra especializada na manutenção. Ainda nesta etapa, foram desenvolvidas a estrutura do protótipo e seus componentes de encaixe e fixação no local de uso. Já a segunda etapa, consiste no dimensionamento das baterias, do sistema de controle e alimentação dos Peltiers e coolers, bem como a simulação fluidodinâmica do conjunto e análise de torque e efeitos de vibração. Os resultados obtidos mostram a viabilidade do sistema para ambientes onde há boa quantidade de vento para alimentação, o que pode ser obtido em boa parte do ano em regiões litorâneas.

Palavras-chave: Projeto de equipamento; Energia eólica; Sistema Peltier.

Abstract

This is your abstract. The abstract follow the same rules from Resumo, and usually is it's translation. The same rules are applied to the keywords.

Keywords: Mettzer. Formatting. Academic work.

Introdução

A questão energética vem sendo muito sestudada na atualidade, e cada vez mais vem ganhando relevância na atualidade. Devido à crise ambiental gerada pelo aquecimento global, houve uma maior procura por fontes renováveis de geração de energia. O crescimento de procura por novas fonte de energias influenciam em uma melhor qualidade de vida para a sociedade (MARTINSGUARNIERIPEREIRA, 2008).

A energia eólica está sendo utilizada como fonte de energia pela humanidade há mais de 3000 anos. Este tipo de energia era muito utilizado na agricultura para a moagem de grãos e bombeamento de água. Todavia, com o desenvolvimento de embarcações a vela trouxe o aumento da navegação em alto mar, e isso só foi possível pela utilização da energia dos ventos (MARTINSGUARNIERIPEREIRA, 2008).

Os aerogeradores (ou turbinas eólicas) são dispositivos que tem como função a conversão da energia cinética em elétrica. Atualmente, existem dois tipos de aerogeradores, sendo eles: verticais e horizontais, cada um tem sua especificidade. Este trabalho terá como base os aerogeradores de eixo vertical, pois eles têm a vantagem de não necessitarem de grandes estruturas se comparados com os de eixo vertical (SILVA, 2013).

Este trabalho consiste na idealização e desenvolvimento de um projeto portátil que, tem como finalidade utilizar a geração de energia elétrica através de uma turbina de eixo horizontal. Neste trabalho foi utilizado o software CAD para modelagem e para o melhor aproveitamento de espaço dele.

1.1. Objetivos

Gerar energia para climatizar um ambiente e dimensionar para um melhor aproveitamento através de ferramenta computacional, tendo em conta aspectos técnicos e econômicos inerentes ao processo.

  1.1.1. Objetivo Geral

• Utilizar a energia eólica para gerar energia e consequentemente alimentar células peltier para climatizar um ambiente.

 

1.1.2. Objetivos específicos

• Observar a viabilidade técnica para instalação desse sistema em apartamentos afim de aproveitar a grande quantidade de vento.

•    Aumentar e eficiência da turbina para um melhor aproveitamento aerodinâmico dos ventos

 

1.2. Justificativa

 

O estudo desta forma de geração de energia eólica visa aproveitar a excelente localização dos apartamentos em prédios, tendo em vista que quanto maior a distância do solo maior será a incidência de vento, o que beneficiará este estudo, pois como veremos, a altura influência na força dos ventos.

Sendo assim, procurando desenvolver um sistema viável, acessível e funcional para a população, este projeto visa a construção de um equipamento de climatização, tendo como principal fonte de alimentação a energia eólica e sendo auxiliado pela energia elétrica.

REFERENCIAL TEÓRICO

O referencial teórico apresentará referências relativas a parte teórica do trabalho com objetivo de apresentar e esclarecer os principais conceitos, desta forma será apresentado sobre Energias Renováveis, Energia Eólica, Projetos e Desenvolvimento e Inovação em Produtos. Os assuntos tratados neste referencial apresentam tópicos de suma importância para melhor compreensão desse estudo.

Energias Renováveis

As energias renováveis são todas ou qualquer tipo de energia que provém de recursos naturais que se renovam constantemente, ou seja, energia infinita. Essas fontes de energias podem ser a solar, eólica, biomassa e diversas outras. Uma das principais causas para o desenvolvimento de energias renováveis, é relativamente ao meio ambiente devido ao efeito estufa. Em 2013, por volta de 80% de toda energia produzida pertencia a queima de combustíveis fósseis, felizmente esta porcentagem vem diminuindo a cada ano através do uso de fontes de energia limpas (SONAI, 2015RENOVÁVEIS, 2017).

Energia Eólica

A energia eólica tem como princípio o aproveitamento do vento para a geração de energia. Nos últimos anos existem constantes evoluções em âmbito mundial no uso desta energia, em 2001 se registrava a nível mundial uma produção 24.322 MW e em 2019 esta produção elevaria para 650.758 MW, como apresentado na Figura 1.

Figura 1 — Capacidade global cumulativa de energia eólica instalada de 2001 a 2019
Capacidade global cumulativa de energia eólica instalada de 2001 a 2019© Statista (2020)

Potência Eólica

Mediante o uso de turbinas eólicas, a energia cinética do vento é convertida em mecânica que gira suas pás e rotacionam o rotor o qual transformasse em energia elétrica através do gerador. Considerando o fluxo de ar, movimentando-se perpendicularmente com velocidade u através de uma área A gera-se uma potência P, que é representado da seguinte maneira: (MARTINSGUARNIERIPEREIRA, 2008).


P=(A.v³.ρ)/2(1)\displaystyle P=(A.v³.ρ)/2 \tag{1}

Tipos de Turbinas

Atualmente, em operação, existem dois tipos de turbinas eólicas, de eixo vertical e de eixo horizontal cada uma com sua peculiaridade.

Figura 2 — Tipos de rotores de aerogeradores.
Tipos de rotores de aerogeradores.Energia Renovável,2016 EPE (2016)

Turbinas de Eixo Horizontal

São os tipos mais comuns de rotor encontrados para geração de energia comercial Figura 3.

Figura 3 — Turbina eólica de eixo horizontal
Turbina eólica de eixo horizontalEnergia Eólica (2011)

As TEEH (Turbina Eólica de Eixo Horizontal) são as mais populares, e na maior parte são compostas por três pás, existindo turbinas com uma ou duas pás. Esse tipo de turbina tem como base a atuação das forças aerodinâmicas, deste modo as pás devem ficar alinhadas em relação ao vento, podendo ele ser a favor ou contra. Sendo assim essas turbinas precisam de um mecanismo direcional para um melhor aproveitamento dos ventos (Souza, 2018ARGENTINOBEPPU, 2007).

Figura 4 — Componentes principais de uma turbina eólica horizontal
Componentes principais de uma turbina eólica horizontalScielo (2014)

Como podemos ver as TEEH são estruturas de grande porte de necessitam de mão de obra especializada. Devido ao fato de necessitar de ventos fortes para uma melhor movimentação das pás, recomenda-se que sejam instaladas em áreas abertas, pois como mostrado na Figura 5, os ventos exigem uma menor altura para altas velocidades.

Figura 5 — Relação altura velocidade do vento
Relação altura velocidade do ventoVillar (2012)

Turbinas de Eixo Vertical

As TEEV (Turbina Eólica de Eixo Horizontal), são usadas pela vantagem de não precisarem de mecanismos direcional para conduzirem de acordo com a variação do vento. Desta maneira apresentam melhor comportamento em ventos turbulentos, apresentam baixa produção de ruído e são consideravelmente menores que as TEEV.  Os principais tipos de rotores de eixo vertical são Darrieus, Savonius (ARGENTINOBEPPU, 2007).

Turbina Darrieus

Segundo SILVA (2011), a turbina Darrieus foi desenvolvida em 1931 pelo francês Georges J. M. Darrieus. Este tipo de turbina detêm pás com geometrias semelhantes as asas de avião como mostra a Figura 6, desta maneira ajudam em um melhor movimento de rotação para a geração de energia. As turbinas do tipo Darrieus são mais eficientes que as do tipo Savonius e possuem suas variantes como apresentado na Figura 7  (Eólica Fácil).

Figura 6 — Formato das pás Darrieus
Formato das pás DarrieusAdaptado Energize (2020)

Figura 7 — Turbina Darrieus e suas variantes
Turbina Darrieus e suas variantesCASER (2016)

Turbina Savonius

A turbina foi patenteada em 1929, por Sigurd J. Savonius, na Finlândia. Esta turbina tem como princípio a força de arrasto, ou seja, o vento causa um escoamento maior nas pás de avanço comparado com as de retorno. Quando este tipo de turbina é comparado com as demais, existem algumas vantagens que devem ser destacadas, sendo elas: sua facilidade de fabricação, baixo custo de fabricação, baixo ruído, alto torque na partida e baixo impacto ambiental (Silva, 2011).

Figura 8 — Comportamento do vento das pás de uma Turbina Savonius.
Comportamento do vento das pás de uma Turbina Savonius.UWM (2014)

Do mesmo modo que a turbina de Darrieus, a turbina de Savonius também ganhou diversas variações conforme o tempo foi passando, como apresentado na Figura 9, existindo turbinas com 3 pás, com pás helicoides e de duplo rotor.

Figura 9 — Designes da turbina Savonius
Designes da turbina SavoniusDÍAZ, PAJARO, SALAS (2014)

Figura 10 — Comparativo entre aerogeradores
Comparativo entre aerogeradoresVillar (2012)

Inovação em Produtos

A inovação consiste na implementação de ideias inovadoras que são capazes de agregar valor a um determinado fim. Produtos inovadores são os que apresentam vantagens em relação aos já existentes, permitindo assim uma melhor eficiência e simplificação das tarefas realizados com um produto anterior, também podendo existir serviços inovadores (Project Builder, 2018).

Fenômenos Termoelétricos

O efeito termoelétrico consiste na diferença de temperatura entre seus polos, desta maneira ocorre uma geração de energia elétrica ou térmica. Podemos ver esse fenômeno na prática como o efeito Seebeck e Peltier. Atualmente, são usados em diversas aplicações como: conversão de energia, refrigeração, calefação, climatização, geração de energia elétrica para satélites e vária outras aplicações (PINHEIRO MONTEIROCOSTA SENA2017).  

Efeito Seebeck

Descoberto em 1821 pelo físico russo-alemão Thomas Johann Seebek. Ele notou um gradiente de temperatura gerado pelo contato entre 2 materiais semicondutores, ou seja, X e Y, na qual existia uma diferença de potencial gerado pelas na região quente e fria (Figura 11). Este conhecimento possibilitou a criação de um instrumento usado atualmente, conhecido como termopar (PINHEIRO MONTEIROCOSTA SENA, 2017).

Figura 11 — Demonstração do efeito Seebeck.
Demonstração do efeito Seebeck.PINHEIRO MONTEIRO e COSTA SENA (2017)

Efeito Peltier

Descoberto em 1834 pelo físico Jean Charles Athanase Peltier, através de uma experiência que consistia em juntar fios de cobre e fio de bismuto juntos e os conectar um ao outro e depois a uma bateria. Quado ligado a bateria, uma das junções do fio ficou quente, enquanto a outra encontrava-se fria. Sendo assim o efeito Peltier consiste no gradiente de temperatura gerada pela união de dois metais na passagem de uma corrente (Francisco MORAES, 2019).

Figura 12 — Semicondutores tipo-n e tipo-p
Semicondutores tipo-n e tipo-pPeltier (2020)

Pastilha Peltier

Atualmente, podemos encontrar esses efeitos em módulos de pastilhas com tamanho de 40x40x4mm (Figura 13). Esses módulos são formados por um sanduíche de semicondutores preenchidos por Bi2Te3 (telureto de bismuto) (Danvic ).

Figura 13 — Pastilha Peltier.
Pastilha Peltier.Peltier (2020)

Tendo conhecimento do funcionamento de uma placa peltier, temos em vista que para um bom desempenho, se faz necessário o uso de dissipador com sistema de refrigeração montado no lado quente e no lado frio (Figura 14). Quanto maior a eficiência da troca térmica, menor será a temperatura do lado frio.

Figura 14 — Configuração típica para montagem da pastilha
Configuração típica para montagem da pastilhaPortal do Eletro Doméstico (2020)

Dentre as vantagens que pastilhas de módulos de Peltier apresentam, podemos destacar: sua confiabilidade exigindo praticamente nenhuma manutenção, sua leveza, baixo ruído, não apresentam vibração, baixo custo e a precisão do controle de temperatura. (FERNANDES, 2010). Sendo assim exitem variados tipos de módulos com suias respectivas de potências e transferência de calor.

Semicondutores

A condutividade elétrica consiste na capacidade de conduzir corrente elétrica, podendo existir materiais com boa condutividade elétrica, semicondutores e isolantes. 

Os semicondutores possibilitam a passagem de energia elétrica com muita dificuldade, desta maneira são muito utilizados na área eletrônica já que permitem esse controle de passagem de energia. A condutividade dos semicondutores está associada a sua variação de temperatura (MORAES, 2019).

Figura 15 — O transistor é semicondutor utilizado como amplificador ou interruptor de sinais ou energia elétrica
O transistor é semicondutor utilizado como amplificador ou interruptor de sinais ou energia elétricaPxhere (2020)

METODOLOGIA

Após um estudo de protótipos já feitos anteriormente, com ideias de geradores caseiros e o uso de peltier para resfriar determinados ambientes, viu-se uma ideia de usar a energia eólica para a gerar energia, com o intuito de alimentar módulos peltier para climatizar um ambiente.

Inicialmente, foi escolhido um rotor eólico de eixo vertical do tipo Savonius, a qual é ligada a um gerador que carrega uma bateria e alimenta um circuito elétrico que controla pastilhas peltier e ventiladores para uma ventilação do ambiente.

A escolha para o uso de turbinas do tipo Savonius se dá ao fato de serem de fácil fabricação e de menor porte, pois o projeto visa ser instalado em janelas de apartamentos, com o intuito de aproveitar os ventos para a captação dele.

 kit refrigeração

A princípio, a pastilha escolhida para o projeto foi a TEC1-12706, como mostrada a Figura 16, que tem boas especificações de potência e não possuem consumo tão elevado, visto que o sistema será alimentado por bateria e quanto menor a amperagem, maior será o tempo de duração da bateria.

Figura 16 — Pastilha Peltier - TEC1-12706
Pastilha Peltier - TEC1-12706Alldatasheet (2020)

O sistema será constituído por 4 kits de refrigeração, cada kit possui 2 pastilhas peltier (de 40x40x4mm), 3 dissipadores e 4 ventoinhas, como mostra a Figura 17 e 18.

Figura 17 — Kit sistema de refrigeração
Kit sistema de refrigeraçãoO autor (2020)

Figura 18 — Dimensões Kit refrigeração
Dimensões Kit refrigeraçãoO autor (2020)

Para a fixação dos kits, será usado um compensado naval com dimensões de 890x245x10mm, como na Figura 19.

Figura 19 — Fixação dos Kits
Fixação dos KitsO autor (2020)

Ligação Elétrica

Esta é uma parte de suma importância, visto que a alimentação de todo sistema em si será por bateria. Apesar da pastilha peltier ser alimentada por apenas 12V, sua amperagem como apresentado na Figura 16 é alta, e isso é um problema visando o tempo de uso do sistema, pois para calcularmos o tempo de uso de uma bateria temos:  T = Tempo (h), C = Capacidade (Ah) e I = Corrente (A) o qual é representado da seguinte maneira:


T=C/I(2)\displaystyle T = C / I \tag{2}

Desta forma termos duas maneiras de ligar as pastilhas peltier, sendo em paralelo ou em série. 

Figura 20 — Consumo de duas pastilhas Peltier em paralelo
Consumo de duas pastilhas Peltier em paraleloEdu Ventiladores (2019)

Figura 21 — Consumo de duas pastilhas Peltier em série
Consumo de duas pastilhas Peltier em sérieEdu Ventiladores (2019)

Como a apresentado na figura 18 e 19, duas pastilhas foram ligadas a uma fonte 12V de computador e ligadas a um medidor de consumo, desta maneira obtemos os valores mostrados no display.

Como vemos, o consumo em W é menor em série se comparado com a ligação feita em paralelo, este dado é importante para calcularmos corrente da seguinte forma: I = Corrente (A), P = Potência (W) e P = Potência (W) representado da seguinte maneira:


I=P/V(3)\displaystyle I = P / V \tag{3}

Figura 22 — Consumo em sério vs paralelo
Consumo em sério vs paraleloO autor (2020)

De acordo com a Figura 21 vemos que a ligação em série é mais benéfica para o sistema, desta forma adotaremos para o projeto um valor de 2A como margem de segurança.

Ventoinhas

São de extrema importância, pois são eles que vão realizar o fluxo de ar, tanto para esfriar o dissipador como para propagar os ventos frios. Desta maneira utilizaremos duas fans 90mm para dissipar o calor do lado quente, pois é o lado que precismos de mais fluxo de ar e duas fans de 40mm para o lado frio e para propagar o vento frio para o ambiente utilizaremos seis fans de 120mm, 

Figura 23 — Fan de 120mm
Fan de 120mmO autor (2020)

Gerador Eólico

Para o projeto em si foi escolhido uma turbina vertical do tipo Savonius, dividindo a mesma em vários itens para a facilitar a fabricação como mostra a figura 24 e 25. O rotor possui um diâmetro de 245mm e 800mm de altura.

Figura 24 — Turbina vertival
Turbina vertivalO autor (2020)

Figura 25 — Montagem geral da turbina
Montagem geral da turbinaO autor (2020)

Montagem do Protótipo 

Como o projeto foi pensado para ser fixado em janelas de prédios, o mesmo deveria ser em formato leve e de fácil encaixe em janelas. Desta maneira o modelo de janela adotada foi de 800mm de largura 1000mm de altura como mostra a figura 25.

Figura 26 — Janela 800x1000
Janela 800x1000O autor (2020)

Sendo assim o protótipo desenvolvido tomou-se a seguinte forma, como apresentado na figura 26.

Figura 27 — Projeto do protótipo
Projeto do protótipoO autor (2020)

O projeto terá seus seguintes pontos de apoio e fixação:

  • Encaixe para a janela como borracha para amortecimento de impacto, como mostra a figura 27.
  • Apoio com regulador de altura, como mostra a figura 28
  • Apoio lateral ajustável para para o projeto ficar mais fixo,como mostra a figura 29.

Figura 28 — Encaixe lateral emborrachado
Encaixe lateral emborrachadoO autor (2020)

Figura 29 — Regulador de altura
Regulador de alturaO autor (2020)

Figura 30 — Apoio lateral ajustável
Apoio lateral ajustávelO autor (2020)

Desta maneira, o projeto ficaria fixado na janela da seguinte maneira:

Figura 31 — Protótipo fixado (Vista Interna)
Protótipo fixado (Vista Interna)O autor (2020)

Figura 32 — Protótipo fixado (Vista Externa)
Protótipo fixado (Vista Externa)O autor (2020)

Para o insulfamento do ar, foi utilizado 6 fans com baixo ruído e alto fluxo de ar, para dispersar o ar frio para o ambiente, como mostra a figura 31.

Figura 33 — Insuflamento interno
Insuflamento internoO autor (2020)

Sistema elétrico

 Esta parte é de suma importância, pois deve ser montado corretamente para que não ocorra excesso de tensão e a bateria seja alimentada perfeitamente. Desta foma teremos um gerador é ligado ao eixo do Rotor e uma outra série de componentes como apresentando na figura 32:

Figura 34 — Esquema de ligação
Esquema de ligaçãoO autor (2020)

O gerador irá fornecer uma corrente alternada entre 5v e 24v, para isso precisamos da ponte retificadora para transformar em corrente contínua, sem seguida o conversor de tensão transforma a tensão que pode ser de entre 5v~30v e mantém em 12v, em seguida o controlador primário indica para o operador a porcentagem atual da bateria se está ocorrendo geração de energia, o controlador secundário serve para saber se a bateria está sendo carrada, caso contrário a fonte chaveada é acionada e carregará a bateria.

ANÁLISE E RESULTADO DOS DADOS

Neste capítulo serão apresentados os cálculos feitos de potência gerada pela turbina eólica, consumo do sistema e tempo de carregamento da bateria e peso do protótipo.

Potência Gerada

Com uma velocidade média de um vento á 5m/s é possível calcular a capacidade mecânica da velocidade de vento. Antes de tudo é necessário, a partir da velocidade, estabelecer a rotação com a equação


ω=V/(2πR)(4)\displaystyle ω=V/(2πR) \tag{4}

ω=5/(2*π*0,1225)=6,46 𝐻𝑧=389,76 𝑅𝑃𝑀 = 40,81 𝑟𝑎𝑑/𝑠

Com os valores de rotação podemos calcular o coeficiente de velocidade 𝜆, a partir da equação (5)


lambida=ωR/V(5)\displaystyle lambida=ωR/V \tag{5}

𝜆= 40,81 * 0,1225 / 5 =0,999

O valor de 𝜆 proporciona estabelecer o coeficiente de potência Cp, este coeficiente refere-se a eficácia do rotor. Deste modo o 𝜆 = 1, o Cp é aproximadamente 0,17. Segundo Menet (2004), eficiência máxima de um rotor Savonius é 0,20 desde que seja observada a associação entre altura e diâmetro. Desta maneira, se define a potência mecânica ara rotor Savonius com a equação (6) onde 𝜌 é o peso específico do ar em kg/m³, R é o raio em m, H a altura em m, e V a velocidade do ar em m/s.


𝑃=𝐶𝑝ρRHV3(6)\displaystyle 𝑃=𝐶𝑝ρRHV^3 \tag{6}

P=0,17 x 1,2928 x 0,1225 x 0,8 x 5³ = 2,69 W

 

Consumo do Sistema

Como apresentado na figura 19, o consumo é menor quando as pastilhas Peltier são ligadas em série, desta maneira como temos 4 conjuntos de pastilhas com um consumo de 2,2A, também temos ao total 22 fans com 0,35A cada.

Figura 35 — Consumo total
Consumo total O autor (2020)

Tempo de Carga  E DESCARGA

Tendo em vista o consumo apresentado na figura 32, para este consumo foi utilizado uma bateria 12v de 30A/h, desta maneira utilizando a equação (2) temos:

T= 30 / 15 = 2 h

Mediante o valor obtido, temos um tempo satisfatório para o projeto, pois o sistema produzirá energia 12v com 10A mediante uso de amplificadores de tensão com reguladores, desta maneira utilizando a equação (2) teremos um tempo de carga:

T= 30 / 10 = 3 h

Este tempo atende o sistema, tendo em vista que apesar do tempo de descarga ser menor do que o de carregamento, o tempo que o sistema estará sempre produzindo energia para carregar a bateria, caso não esteja acontecendo  geração de energia o operador poderá decidir ligar o sistema através de uma fonte de energia externa.

 Peso do protótipo 

Para diminuir o peso, foi utilizado diversos materiais leves todavia com atenção na resistência mecânica para não ficar frágil. Desta maneira para as helice foi utilizado PVC e acrílico e para a estrutura foi utilizado o compensado naval, aço 1020, e alumínio. Incluindo todos os componentes eletrônicos necessário para o funcionamento do protótipo, temos um total aproximado de 25kg, o qual se torna bem fácil de manusear e de encaixar na janela. 

Conclusão

Neste trabalho foi realizado o estudo de um gerador eólico portátil do tipo Savonius para janelas de prédios com o intuito de alimentar um sistema de refrigeração Peltier. para climatizar um quarto.

Apesar do resultado satisfatório da turbina, vale salientar que o Cp (coeficiente de potência) atingiu 0,17, o que é um pouco abaixo do valor ideal para rotores do tipo Savonius  que é 0,2.

Todavia mesmo o rotor não estando em seu modelo ideal, conseguiu-se alimentar o sistema mediante o uso de artifícios eletrônicos, os quais proporcionaram um bom funcionamento do sistema como um todo. Desta maneira o projeto cumpriu sua função em utilizar energia renovável para climatizar um quarto. 

Referências

ARGENTINOFÁBIO LUIZ; BEPPUSÉRGIO KATSUMI. PROJETO E CONSTRUÇÃO DE TURBINA EÓLICA PARA INSTALAÇÕES COMERCIAIS E RESIDENCIAIS. São Paulo, 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Mecânica) - Universidade de São Paulo, São Paulov, 2007.

Danvic . INTRODUÇÃO AO EFEITO PELTIER. Peltier. Disponível em: http://www.peltier.com.br. Acesso em: 30 nov. 2020.

EPE. Energia Renovável: Hidráulica, Biomassa, Eólica, Solar, Oceânica. Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2020.

Eólica Fácil. Turbinas eólicas de eixo verticalTurbinas eólicas de eixo vertical. Eólica Fácil. Disponível em: https://www.eolicafacil.com.br/eixo-vertical. Acesso em: 8 nov. 2020.

FERNANDESJainne Daniele FS et al. Refrigeração utilizando pastilhas de efeito peltier. HOLOS, Natal, v. 2, p. 25-31, 2010.

Francisco Portal São. Efeito Peltier. Portal São Francisco . Disponível em: https://www.portalsaofrancisco.com.br/fisica/efeito-peltier. Acesso em: 30 nov. 2020.

MARTINS, Fernando Ramos; GUARNIERIRicardo André; PEREIRAEnio Bueno. O aproveitamento da energia eólica. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 1304.1-1304.13, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-11172008000100005&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 26 out. 2020.

MARTINSFernando Ramos; GUARNIERIRicardo André; PEREIRAEnio Bueno. O aproveitamento da energia eólica. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 1304.1-1304, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1806-11172008000100005&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 5 nov. 2020.

MORAESRAFAEL DA SILVA. APRENDIZAGEM DE CONCEITOS FÍSICOS A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE UMA MINI-GELADEIRA DE PASTILHA PELTIER. Manaus, 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências: Matemática e Física) - Universidade Federal do Amazonas, COARI, 2019.

PINHEIRO MONTEIROPatrick; COSTA SENAAnderson José. Sistema de Resfriamento de Equipamentos Industriais Utilizando Células Peltier. INOVA TEC, v. 1, 2017.

Project Builder. O que é inovação e novo produto?. Project Builder. 2018. Disponível em: https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-inovacao-e-novo-produto-conceitos-e-diferencas/. Acesso em: 15 nov. 2020.

RENOVÁVEIS Energias. Energias renováveis: Recuperado em. academia.edu. 2017. v10 p. Disponível em: http://www.academia.edu/download/46284532/Trabalho_Lobo.docx. Acesso em: 4 nov. 2020.

SILVAAmanda Briggs da. Projeto aerodinâmico de turbinas eólicas. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Mecânica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Disponível em: http://hdl.handle.net/11422/9023. Acesso em: 26 out. 2020.

SilvaGuilherme Botelho de Oliveira e. Desenvolvimento de uma Turbina Eólica de Eixo Vertical. Portugal, 2011. Dissertação (Engenharia Aeroespacial) - Instituto Superior Técnico, Lisboa, 2011.

SONAIGabriela G. Células solares sensibilizadas por corantes naturais: um experimento introdutório sobre energia renovável para alunos de graduação. Química Nova. São Paulov, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-40422015001001357&script=sci_arttext. Acesso em: 4 nov. 2020.

SouzaSthefany Fernandes de. Análise e Simulação de Turbinas Eólicas de Eixo Vertical (Darrieus e Lenz2) e Horizontal para o Dimensionamento de Geradores Elétricos. MATO GROSSO DO SUl, 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Elétrica) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2018.

APÊNDICE A — Subtitítulo do apêndice

Apêndices tem objetivo de melhorar a compreensão textual, ou seja, completar ideias desenvolvidas no decorrer do trabalho.

ANEXO A — Subtitítulo do anexo

Anexos são elementos que dão suporte ao texto, mas que não foram elaborados pelo autor.

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica