PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – 1º/2º SEMESTRES

UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – 1º/2º SEMESTRES

Danubia Silva de Almeida

Gessica Karoline Alves

Juanita Selene de Morais da Silveira

Maria Cecília Jardim Hennigen

Roberta Costa Ribas

Tamara Ferreira Godinho

Vívia Suélle Lemos Teixeira

Resumo

:O presente artigo pretende expor a questão da Responsabilidade Social na contabilidade, bem como destacar seu uso em benefícios para a empresa e stakeholders, como citar seu lado estratégico através do marketing empresarial. Por meio de uma demonstração de pesquisas realizadas, pretende discutir também a questão pertinente sobre o fato de o balanço social – realizado anualmente pelas empresas – ser caracterizado como vitrine. E por fim, conclui com a visão do grupo sobre a responsabilidade social na contabilidade.

Palavras-chave: Palavra-chave1. Palavra-chave2. Palavra-chave3.

Abstract

Abstract

Palavras-chave: keyword1. keyword2. keyword3

Introdução

Escolhemos uma empresa de contabilidade por entendermos que dentre tantos outros princípios éticos que devem reger uma organização, a responsabilidade fiscal é um importante instrumento de cidadania. A conscientização tributária é necessária para conduzir os contribuintes e é um princípio básico para que as empresas possam fazer uma boa gestão fiscal. Assim, o profissional contábil provará sua importância para a sociedade, não apenas pela profissão que exerce, mas também pelo exemplo de profissionalismo e de conduta ética e moral.O contabilista, atualmente lida e proporciona diretamente o desenvolvimento socioeconômico da humanidade. Ao mesmo tempo em que evolui sua capacidade profissional, aumenta cada vez mais seu campo de atuação. Atualmente, o contador não pode mais ser visto apenas como o profissional dos números, e sim um profissional que agrega valor, espírito investigativo, consciência crítica e sensibilidade ética. Isso se explica pelo surgimento do novo mundo dos negócios – globalizado e mais competitivo – que a todo o momento cobra mais conhecimento dos profissionais. Essa mesma característica torna necessária e urgente uma nova visão do contador pela sociedade. O próprio mercado vê a fundamental importância do contador como um consultor confiável. Aquele que tem como principal finalidade executar o levantamento de dados em geral e fornecer informações econômicas e financeiras para as organizações – que reconhecem que esse papel é indispensável para sua sobrevivência.

 Este trabalho tem como finalidade aprofundar os conhecimentos adquiridos durante o semestre letivo, usando como método a análise de uma organização escolhida, neste caso, a empresa de contabilidade “Controle Assessoria Contábil”, baseada em uma entrevista feita com um dos colaboradores.

A contadora Marina Vieira (sobrinha da fundadora e hoje sócia da empresa) foi quem nos forneceu as informações para a conclusão deste trabalho.

Procuramos traçar um comparativo com base das duas teorias fundamentais da Administração e analisar a empresa entrevistada dentro dos parâmetros estudados em aula, buscando entender como a organização se desenvolve.

APRESENTAÇÃO

A empresa escolhida é a A&N Contabilidade LTDA ME cujo nome fantasia é “Controle Assessoria Contábil”. Empresas de contabilidade são responsáveis pelo balanço contábil e financeiro, pagamento de tributos, resoluções de problemas relativos ao quadro de funcionários, entre outras questões relativas à contabilidade empresarial.

 Fundada por Marilene Maria Vieira em 18.08.1989, a empresa nasceu da necessidade de adicionar ao mercado uma organização baseada nas experiências vividas pela sua fundadora, quando ainda trabalhava em um escritório de contabilidade. Seu sonho era ter seu próprio negócio. Analisando o mercado e vendo que essa atividade era viável para investir, resolveu abrir o escritório junto com seu irmão.

 A Controle Assessoria Contábil é uma Microempresa que conta com 8 colaboradores para realizar suas inúmeras tarefas. É uma organização prestadora de serviços, portanto, classificada como Setor Terciário. Por se denominar empresa, é privada, sendo um dos objetivos finais, a obtenção do lucro, e por isto ela pertence ao 2º setor da sociedade. Com relação à classificação que leva em conta a formalidade das organizações, e de acordo com Max Weber (MAXIMIANO, 2010) que diz que: “[…] as organizações formais são constiuídas com base em normas e regulamentos explícitos e permanentes, chamadas de leis, que estipulam os direitos e deveres dos seus participantes.”, a empresa escolhida é reconhecidamente formal, pois estabelece objetivos, divisão de trabalhos e responsabilidade de cada colaborador.

Ainda que seja uma empresa familiar, esta organização tem suas atividades e seus departamentos bem organizados e definidos, de modo que todos os processos administrativos são bem executados. Esta era uma preocupação da sua fundadora/sócia, que mesmo após o seu falecimento, continua sendo levada à sério pelos seus colaboradores.

Por ser um trabalho minucioso (que exige tempo e muita responsabilidade) de análise das áreas fiscal, tributária e trabalhista de uma empresa, instituição ou entidade governamental (ou não governamental), a Controle Assessoria Contábil tem um papel de importância relevante para a cidade de Florianópolis, pois auxilia as empresas na tomada de decisões para arrecadações de impostos e cuida dos seus patrimônios.

Análise

3.1. Teoria Científica X Teoria Clássica

A administração moderna se reestruturou a partir do séc. XIX e início do séc. XX, época da segunda fase da Revolução Industrial. Dois personagens importantes aparecem. Frederick Winslow Taylor e Henri Fayol, viveram nesta mesma época e criaram as principais vertentes ideológicas, que juntas, influenciaram e influenciam a administração como conhecemos nos dias de hoje.

Para Taylor, a ideia fundamental era trabalhar em cima das tarefas executadas pelos operários. Segundo Chiavenato “… aumentar a produtividade da empresa por meio da eficiência do nível operacional” . O objetivo da organização deve ser de utilizar meios para garantir o máximo de prosperidade ao proprietário e, ao mesmo tempo, garantir o máximo de prosperidade aos empregados. Na concepção de Taylor, a seleção e treinamento de pessoal consistiam em selecionar os operários de acordo com as duas aptidões físicas e treiná-los para ocupar cada cargo. Objetivando pagar melhores salários para que os operários pudessem aumentar a sua produtividade, determinava que era preciso diminuir os custos da produção e elevar os salários pagos. Para ele, era necessário identificar a melhor forma de executar uma tarefa, pois esta seria a forma correta de fazê-la. O foco de Taylor era reduzir os desperdícios, bem como aumentar a produção. Percebeu então, a necessidade de padronização do trabalho, preocupou-se com a organização dos locais de trabalho e com o treinamento dos funcionários. Visando a melhoria da eficiência, Taylor fundamentou sua teoria em alguns elementos como: estudo de “tempos e movimentos”, fadiga humana, especialização do trabalhador, cargos e tarefas, incentivos por produção, homem econômico (homo economicus), local de trabalho, total padronização e supervisão. Esses elemento são conhecidos como ORT (Organização Racional do Trabalho). Visava a eliminação de movimentos inúteis, fazendo com que os trabalhadores executassem suas tarefas de forma mais simples e rápida, estabelecendo um tempo médio, a fim de que as atividades fossem feitas em um tempo menor e com qualidade, aumentando a produção de forma eficiente. Dentro dessa perspectiva taylorista, a administração deve ser tratada de forma científica e não de forma casual.

  Por outro lado, Fayol acreditava em uma estratégia administrativa da organização como um todo. O foco passou a ser dos operários para quem geria, ou seja, quem comandava os processos e em como eram passados adiante seguindo os níveis hierárquicos. Partindo de cima para baixo, da organização para os departamentos. A ênfase é na estrutura e não nas tarefas. Neste contexto, a ideia principal de Fayol era estabelecer objetivos, pensar no futuro e fazer com que esse futuro acontecesse. Para isso, ele propôs que as empresas devem ser divididas em Funções técnicas, Funções comerciais, Funções financeiras, Funções de segurança, Funções contábeis e Funções administrativas, cujos elementos deste último ele definiu como: prever, organizar, comandar, coordenar, controlar. A função administrativa, integra e coordena as outras funções.

Os princípios gerais da administração, por Fayol, eram: divisão do trabalho, autoridade e responsabilidade, disciplina, unidade de direção, subordinação dos interesses individuais aos gerais, remuneração pessoal, centralização, cadeia escalar, ordem, estabilidade de pessoal, iniciativa e espírito de equipe.

De duas teorias, basicamente contrárias, como estas, surgiram as bases da administração moderna tal qual conhecemos hoje. Na Controle Assessoria Contábil pode-se perceber as semelhanças com as duas teorias. Assemelha-se à ORT quando identifica a divisão de trabalho e a especialização dos colaboradores. No escritório, o trabalho é dividido de acordo com a especialização e graduação de cada um. Existem departamentos definidos responsáveis por tarefas específicas. Para atuar em um determinado departamento, o funcionário deverá atender às exigências do perfil que a tarefa exige, Para isso, no intuito de estarem sempre atualizados, todos os colaboradores são estimulados a fazer cursos periodicamente. Com relação à Teoria Neoclássica (PODC), cujo aprimoramento vem da Teoria Clássica de Fayol (POCCC), pudemos observar que na gestão do escritório entrevistado, as metas e objetivos da organização estão bem definidos e a empresa se encarrega de proporcionar os meios para que se chegue aos resultados esperados. Visando a satisfação dos clientes, o escritório se preocupa sempre em atribuir tarefas específicas aos colaboradores de forma que as atividades estejam sempre organizadas.

 Por se tratar de uma empresa familiar, a gestão é um cargo hierárquico, cujo perfil de liderança é bastante forte devido aos valores bem enraizados construídos por sua fundadora/sócia. No perfil do gestor, percebemos que as competências administrativas estão presentes e são essenciais para o exercício da função, pois há que se ter conhecimento profundo sobre o assunto para saber orientar a equipe de trabalho, bem como os clientes sobre o melhor caminho a ser tomado dependendo da situação do momento. É preciso ser organizado e ter bem claro que tudo deve ser feito conforme a legislação e agir como tal. Também existe no gestor um o perfil de pró-atividade e atitude, para fazer a gestão acontecer, de forma que não fique somente na teoria, mas colocando em prática todo o aprendizado, a experiência, buscando os melhores resultados conforme seus clientes esperam. Além disso, o gestor desempenha o papel importante de comunicador da organização. Habilidade comunicacional é bastante destacada pois é preciso ter contato direto com os clientes e diariamente com sua equipe de trabalho, agindo com compreensão, estímulo, apoio e busca constante do aprimoramento dos resultados.

3.2. SISTEMA COMUNICACIONAL

Sem dúvida, a contabilidade deve incluir-se nesse contexto, já que é a principal responsável pelo levantamento de dados das organizações para as tomadas de decisão (tanto para gerenciamento como para ações referentes a responsabilidade social). Essa é uma grande responsabilidade, e deve ser executada com ética pelos profissionais contábeis, que deve sempre se orientar por valores morais da sociedade.

A Controle Assessoria Contábil busca estar sempre atualizada com o meio ao qual se insere, Neste aspecto, sentimos falta de maiores informações com relação aos papéis desempenhados pela organização no que se refere sendo parte indissociável da administração, a comunicação dentro das organizações, de um modo geral, é quesito fundamental para uma gestão de alto nível e qualidade. Sabemos que este é um problema crônico nos dias atuais, onde a falta do processo comunicativo coeso, coerente e claro dentro das organizações, faz com que muitos dos objetivos e metas planejadas não sejam alcançadas de modo satisfatório, trazendo insegurança, descredibilidade e feedbacks negativos por parte de seus colaboradores e clientes.

 A Controle Assessoria Contábil sempre se preocupou em aprimorar e evoluir nos processos comunicativos. No entanto, por ser uma microempresa, o modo como a comunicação interna é feita se dá de forma simplificada, via e-mails, telefone, pelo contato direto e pessoal, pois o seu quadro de funcioários é bastante reduzido. A linguagem utilizada é verbal e não verbal, clara e correta, para que os processos sejam padronizados conforme as necessidades dos clientes. A organização tem como valores bem enraizado, a ética, a seriedade e o comprometimento. Tudo isso se reflete na forma como a empresa se comunica com o meio externo, ou seja, seus clientes, prezando o respeito, pelo uso de uma linguagem formal, o profissionalismo e a qualidade do trabalho, por meio do contato direto, quando se faz necessário, ou via e-mail, procurando sempre a clareza e coerência na sua comunicação.

3.3. ORGANIZAÇÃO E RESPONSABILIDADE NO CONTEXTO SOCIOCULTURAL

A responsabilidade social é um assunto cada vez mais difundido no mundo empresarial. O administrador, agora tem necessidade de preocupar-se não somente com a gestão do negócio, mas também com o bem-estar da sociedade, envolvendo a inclusão social e reconhecendo os problemas socioculturais e econômicos como um todo no meio em que interagem. Resultado de uma sociedade globalizada que está, cada vez mais, carente por benefícios, pela atenção à suas exigências e principalmente por transparência.

 ao acompanhamento das empresas nas tomadas de decisões quanto às estratégias sustentáveis, aos programas sociais bem como às medidas de proteção ao meio ambiente.

 A gestora e sócia da empresa de contabilidade entrevistada, a contadora Marina Vieira, tem um papel decisivo para agir em momentos cruciais onde se deve priorizar a execução de determinadas tarefas, conforme as exigências da sociedade. Exemplo disso é o mês de abril, quando a demanda mais urgente é a entrega da declaração do imposto de renda.

São muitas as habilidades e competências que um gestor deve ter, mas o que se nota claramente em Mariana, é a habilidade em lidar com pessoas. Habilidades humanas e espírito de liderança são, sem sombra de dúvidas, qualidades essenciais para que um gestor faça a ponte mais equilibrada possível entre sua equipe de trabalho e seus clientes, harmonizando o clima organizacional, parte importantíssima da cultura organizacional.

3.4. PERFIL ORGANIZACIONAL

 A Controle Assessoria Contábil mantém o clima organizacional o mais saudável possível. Sua fundadora sempre buscou o conforto no ambiente de trabalho, para que todos pudessem executar suas tarefas com tranquilidade e o mínimo de estresse. O profissionalismo, a ética, o respeito, comprometimento e qualidade de trabalho são os valores levados muito a sério por cada integrante da organização.

 A empresa está setorizada da seguinte forma: Sócia/fundadora, departamento fiscal, departamento contábil, departamento pessoal e estagiários. Em uma empresa familiar como esta, é natural que haja uma mistura de relacionamentos pessoais e profissionais, porém todos os colaboradores sabem o momento adequado de se portar formalmente ou informalmente dentro do ambiente organizacional. Como forma de prevenção de conflitos internos (existem, mas são mínimos) a empresa procura incentivar a comunicação aberta e clara entre seus colaboradores, para que possam expressar seus sentimentos, a fim de evitar possíveis desentendimentos.

A remuneração se mostra compatível com cada função desempenhada, e existem outros incentivos que proporcionam a satisfação de todos.

 

Conclusão


Analisando as teorias administrativas e a evolução das mesmas, conclui-se que as proposições não são antagônicas, mas se completam. Cada instabilidade encontrada nelas tem sido aprimoradas por novas teorias que vem surgindo ao longo do tempo e são adaptadas ao modelo administrativo atual.

O modelo capitalista exige, cada vez mais, que as atividades intelectuais e as de comunicação integrem todos os níveis das atividades produtivas, desde os operários, até o mais alto nível de gestão. Todos são cobrados para que sejam polivalentes e tenham cada vez mais competências técnicas, humanas e linguísticas.

Neste contexto, a área de contabilidade tem uma importância enorme para o perfeito funcionamento de qualquer organização, uma vez que o grande exercício desta gestão, é prezar pela prosperidade das sociedades e valorização do homem.

 Mesmo uma empresa pequena como a Controle Assessoria Contábil, tem suas bases administrativas fundamentadas nas teorias clássicas e científicas, no entanto, ela está hoje muito mais fundamentada num contexto de gestão participativa, que vai em direção às propostas das organizações mais flexíveis: racionalização da produção (teorias clássicas) com sugestões e participação constante dos trabalhadores (criatividade, adaptabilidade e valorização humana).

O contador precisa estar presente no cenário atual com disposição e competências necessárias para cooperar com a preservação do patrimônio das diversas organizações, mas acima de tudo, entendemos que deve ser o agente capaz de disseminar a responsabilidade social e também ambiental na sua organização e nas empresas a quem presta serviços. É ele o detentor de informações ricas e privilegiadas, e capaz de influenciar positivamente as organizações e contribuir para a tomada de decisões.

Podemos concluir que as práticas administrativas têm carecido e buscado a união dos pontos positivos de cada teoria, adaptando essas ao cenário vigente e acrescendo à essas praticas o toque da arte administrativa que todo organização necessita.

 Ótima liderança, excelente comunicação, máxima qualidade no clima organizacional, responsabilidade social, são características que consideramos essenciais para o sucesso de qualquer organização e que buscaremos como futuros profissionais de administração.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica