METODOLOGIA CIENTÍFICA PROFº SABRINA DAS NEVES ARINS CAMPOS

Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI

Tecnologia em Processos Gerenciais (EMD0723)

METODOLOGIA CIENTÍFICA
PROFº SABRINA DAS NEVES ARINS CAMPOS

Camila Fonseca Gonçalves

Gabriela Fonseca Gonçalves

Margarete Stang David Alves

INTRODUÇÃO

No início do século XX a administração surge como uma ciência que mudaria a forma de gerenciar e supervisionar uma empresa. Surge então a escola de administração científica a qual teve como percussor o engenheiro americano Frederick Wilson Taylor, que levaria ao extremo suas ideias, bem como seus valores e crenças para o “chão de fábrica“, com o intuito de aumentar a eficiência industrial, tendo como ferramenta primordial a observação e a mensuração dos tempos e movimentos, como forma de elevar os níveis de produtividade por meio das técnicas de engenharia industrial. Taylor deixa um legado de seguidores de suas teorias como Emerson, Gilbreth, Ford e tantos outros que se basearam em seus princípios para que alcançassem êxito na administração da produção das fábricas.

Os princípios de uma empresa tradicional

Taylor não estabeleceu uma teoria geral em cima da administração, apenas se orientou por uma ênfase empírica, técnica, mecanicista, onde se dedicou em aumentar a capacidade do trabalhador. No contexto de sua teoria, explicava que os trabalhadores deveriam ser aptos para aquele determinado serviço, sendo assim o trabalho ficaria de uma maneira mais eficaz, tendo o trabalhador como uma máquina.

Taylor havia diversas ideias nas quais não eram teóricas da “Organização”, mas especialistas que operavam ao nível das fábricas, tendo como objetivo principal a competência do serviço que o trabalhador proporcionava.

Outro colaborador que influenciou nos princípios das empresas tradicionais foi Fayol, tendo como adeptos suas 14 princípios gerias que ajudariam na organização de uma empresa, sendo elas:   

  •  Divisão do Trabalho: O princípio da especialização no trabalho, para uma concentração de atividades mais eficazes.  
  •  Autoridade e Responsabilidade: autoridade é o direito de dar ordens e exigir obediência.  
  •  Disciplina: é essencial para i bem desenrolar das atividades e, sem ela, nenhuma empresa pode prosperar.  
  •  Unidade de Comando: cada empregado deve receber ordens de um só superior.  
  •  Unidade de Direção: uma cabeça e um plano para cada grupo de atividades que tenham os mesmos objetivos.   
  •  Subordinação dos Interesses Individuais aos Gerais: os interesses de um empregado – ou de um grupo – não devem prevalecer sobre os da organização. 
  •  Remuneração do Pessoal: deve ser justa e, na medida do possível, satisfazer tanto ao pessoal quanto à empresa.  
  •  Centralização: é essencial à organização e consequência natural do ato de organizar.  
  •  Cadeia Hierárquica: é a cadeia dos superiores, que vai da autoridade suprema até o mais baixo posto na organização. 
  •  Ordem: a empresa deve proporcionar um local ordenado para cada pessoa. Um lugar para cada um e cada um no seu lugar.  
  •  Equidade: a equidade e certo senso de justiça devem espalhar-se por toda a organização.  
  •  Estabilidade no Engajamento do Pessoal: o empregado precisa de tempo para adaptar-se ao serviço e desempenhá-lo com eficácia.  
  •  Iniciativa: em todos os escalões da organização, o zelo e a energia crescem com a iniciativa.   
  •  Espírito de Equipe: este princípio realça a necessidade da atividade em equipe e a manutenção de relações pessoais dentro da organização.


as Empresas tradicionais e seus conceitos

Nas organizações tradicionais, o poder e a influência não estão nas mãos dos funcionários. Numa hierarquia a responsabilidade está no topo da pirâmide: o gestor de topo é o que assume as decisões e planeja estratégia, tendo como função mostrar o que deve ser feito dentro da organização.

As empresas tradicionais mostram um modelo burocrático, rígida e formal com sistemas de controle formal, com funções e departamentos isolados. O estilo usado por elas é basicamente o piramidal.

Por serem tradicionais acabam tendo valores, nos quais são:

  •  Conformidade, previsibilidade e estabilidade; 
  •  Comando e controlo;  
  •  Produtos produzidos em massa e volume.

Essas organizações tem como política e responsabilidades com o intuito de visar linhas de montagem e postos especializados, e também passando o pente fino novos recrutas em função de desempenhos anteriores, usando referências e entrevistas individuais.

Cury (2003) ressalta três modelagens das organizações em busca de efetividade: Tradicional, Moderna e Contemporânea, é importante afirmar que todos os tipos de modelagens foram essenciais  para se compreender e chegar ao estilo mais eficaz de cada instituição dentro de suas limitações e objetivos.

Para Cury (2004) mostra três pontos de vistas de empresa, colocando as tradicionais como a primeira fase, isto é empresa tradicional, de tecnologia simples, de produção rotineira, de ambiente estável, mecanicista, com ênfase em suas próprias atividades.

Cultura de negócios de empresa – modelo tradicional

A relação com os clientes e fornecedores numa organização e de extrema importância, porém as empresas tradicionais não adotam uma comunicação tão amigável com o cliente e assim não chegando ao ponto de negociar preço, prazo e qualidade, e sim literalmente associada ao preço.

A produção nas empresas tradicionais visa mostrar:

  • Administração do tipo top-down (de cima para baixo), em que as ordens são fornecidas pelos altos níveis da empresa para a produção;
  • Limitado envolvimento dos funcionários nas decisões;
  • Produção baseada na previsão de vendas e pedidos fechados;
  • Cultura de estoque de segurança como forma de absorver as oscilações do mercado e as falhas na previsão de vendas.

Considerações Finais

A organização moderna a qual conhecemos é fruto de longa experiência e do estudo cientifico. Analisando empresas que obtiveram êxito, e outras que fracassaram, os observadores descobriram e estabeleceram alguns princípios, estruturais e também procedimentos, que tange as organizações, os supervisores, diretores, coordenadores podem garantir uma produção mais eficaz e eficiente, com o menor custo e maior benefício. Tudo isso se deve ao legado administração cientifica e com o conhecimento da época conseguiu mudar um século. De forma geral, toda teoria cientifica conhecida até o presente momento é resultado das experiências de Frédéric Taylor. Porém não se pode deixar de lado as falhas ocorridas pela organização racional do trabalho, com estudo de tempos e movimentos, que foi um grande desafio da época, pois Taylor e também seu seguidor Ford, buscaram a qualquer custo, a eficiência na linha de produção.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica