MERCADO DE DERIVATIVOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO FILADÉLFIA

MERCADO DE DERIVATIVOS

JONATAS MARTINS

Lucas américo da silva

Resumo

Nesse trabalho, objetiva – se evidenciar o Mercado de Derivativos, focando nas formas de operações e classificações. O Mercado de Derivativos é mesclado por ativos ou ferramentas financeiras que têm seu montante originado em outro ativo ou em outra ferramenta financeira, por exemplo, um derivativo de dólar comercial tem seu valor derivado do comportamento do dólar comercial a vista. Mercado de derivativos é uma prática de compra e venda no mercado a prazo de liquidação futura, sendo que comumente os mercados futuros, mercado a termo, mercado de opções, swaps são frequentemente operacionalizados. As acepções do mercado a termo e do mercado futuro são similares, tendo como fundamental diferença o fato de que, no mercado a termo, a liquidação de sua obrigação acontece somente no período de vencimento; já no mercado futuro, a obrigação é adaptada diariamente ás perspectivas do mercado referentes aos valores futuros daquele bem, por meio do ajuste (perdas e ganhos). No mercado de opções comercializa-se o direito de vender e comprar um bem, por um preço fixo, em uma data futura. SWAP são operações que cambiam fluxo de caixa, tendo como base a equiparação da rentabilidade entre os dois índices de reajuste. O escopo desse mercado varia de acordo com a personalidade de cada investidor, podendo ser para auferir lucros especulativos, ou como HEDGE, proteção contra aleatórios prejuízos que os ativos podem vir a sofrer.

Palavras-chave: derivativos, classificação, operação, mercado de opções, mercado futuro, mercado a termo, hedge, swap.

Abstract

In this work, the aim is to highlight the Derivatives Market, focusing on the forms of operations and. The Derivatives Market is merged by assets or financial tools that have their amount originated in another asset or in another financial instrument, for example, a commercial dollar derivative its value derived from the behavior of the commercial dollar in sight. Derivatives market is a practice of buying and selling in the market for future settlement term, and commonly the futures markets, term market, options market, swaps are frequently operationalized. A winding-up company can only benefit from a maturity; Already in the futures market, the bond is adjusted daily to the market outlook, to the middle of the adjustment (losses and gains). No options market trades the right to sell and buy a good, for a fixed price, in a future data.SWAP are cash exchange operations, based on an equalization of profitability between the two readjustment indices.The scope of this market varies according to a personality of each investor, and may be for speculative profits, or hedge, protection against the risks that the assets may suffer.

Palavras-chave: Derivatives, Classification, operation, Options Market, futures market, forward market, hedge, swap

Introdução

Por várias décadas o mercado expressa voláteis acontecimentos significantes, impactando profundamente a economia. Nessa conjuntura, o mercado de derivativos em constante ascensão, pode ser uma predileção para escudar os ativos de uma organização ou auferir ganhos financeiros, sendo completivo de conhecimento para os profissionais do ramo de gestão de finanças.

(…) As desvalorizações do real, em Janeiro de 1999, em 2002 e no segundo semestre de 2008, provocaram pesados prejuízos para importadores e empresas com dívida em dólar. A valorização do real, no período de 2003 até agosto de 2008 e depois em 2009, 2010 e parte de 2011, causou perdas para os exportadores. Essas perdas poderiam ter sido evitadas se as empresas utilizassem derivativos de dólar para proteção de risco cambial (…). Os derivativos foram criados para que os agentes econômicos possam se proteger contra riscos de oscilações de preços: um importador que teme a alta do dólar, um exportador que tem receio da queda do dólar, uma empresa com dívida indexada ao CDI, preocupada com uma eventual alta das taxas de juros etc.(FIGUEREIDO, 2013 p.1).

Neste trabalho o objetivo é incutir sucintamente, com arquétipos práticos e teóricos, elucidando os tipos de operações com derivativos, podendo por vezes ser uma operação de anteparo, substanciando os riscos de preços ou podendo por vezes ser uma operação de alavancagem (permitindo que o investidor use pouco recurso para apostar em um determinado ativo financeiro).

Contudo, o mercado de derivativos pode ser um artifício demasiadamente profícuo, apesar disso, o risco de perda é nímio, sendo recomendado a quem está predisposto a correr riscos e sem dúvida a quem diariamente escolta as oscilações do mercado.

Esse trabalho foi delineado em conformidade com conteúdos bibliográficos de múltiplos autores com mestria do referido tema. O desenvolvimento foi estruturado a partir de revisão teórica de artigos, dissertações, revistas eletrônicas, livros e teses, buscando atingir as peculiaridades de operações mais adequadas a cada perfil de investidores e os tipos de mercados de derivativos.

 


desenvolvimento

mercado de derivativos

De acordo com Mario Pina (2009), “os derivativos são ativos cujos valores dependem do preço de outros ativos – objetos ou ativos latentes”.

Mercado de derivativos é uma prática de compra e venda no mercado a prazo de liquidação futura, não apresentando, um valor próprio já que o mesmo deriva de um bem comum que tem preço espontaneamente estabelecido no mercado. Entende-se por bem comum as commodities (produtos primários como petróleo), ações, taxas de juros ouro, moeda estrangeira etc. O surgimento desse tipo de mecanismo financeiro teve seu inicio na necessidade dos agentes econômicos em reduzir as inseguranças inerentes a determinadas atividades, por exemplo, o preço de venda do milho que foi plantada hoje será negociado no futuro, após a safra e, conseguintemente, sua utilização passou a ser substancial para o contemporâneo gerenciamento de risco.

Lopes, Galdi e Lima, salientam que:

Um derivativo pode ser definido de maneira bastante genérica como um instrumento financeiro cujo valor depende (ou deriva) de valores de outras variáveis mais básicas (subjacentes) ao qual ele se refere. Derivativos são títulos cujos valores dependem dos valores de outras. Muito freqüentemente as variáveis subjacentes aos derivativos são preços de ativos negociados no mercado financeiro. No entanto, um derivativo pode depender do preço de praticamente qualquer variável, desde o preço de uma ação até a quantidade de chuva em determinada região. (LOPES; GALDI; LIMA 2013, p38).

Antonio Carlos Figueiredo define o mercado derivativo como:

Derivativos são títulos cujos valores dependem dos valores de outras variáveis mais básicas. Por exemplo, um derivativo de dólar comercial tem seu valor derivado do comportamento do dólar comercial a vista (…). A idéia básica é a de obter ganho financeiro nas operações com derivativos, de forma que compense perda nas operações da empresa, por causa das oscilações de preços de matérias – primas, da taxa de câmbio, da taxa de juros etc. (…) os derivativos podem ser financeiros e não financeiros. Os derivativos financeiros estão principalmente relacionados com taxas de juros, moedas e índices de Bolsa. Os derivativos não financeiros estão associados, por exemplo, a petróleo, café, soja, milho etc.(FIGUEREIDO, 2013 p.1).

Os derivativos podem ser operados de varias formas, usualmente, utilizam os mercados derivativos para proteção, também chamado de hedger, especulação e arbitragem. Segundo Adani (2011) “os contratos no mercado de derivativos são encarados como veículos de transferência de risco, ou seja, alguém com interesse em se defender dos riscos e alguém interessado em especular com esse risco”.

A operação hedge é responsável por buscar no mercado derivativo o objetivo de desenvolver proteção perante os riscos. Neste contexto, o investidor está se protegendo contra o risco de mercado, desde o preço dos ativos á taxa de juros e variação de cambio. Em contrapartida o especulador apodera-se do risco do hedge, interessado na possibilidade de lucros financeiros. Nesse sentido, o arbitrador procura obter lucros financeiros quando constata que os preços em dois ou mais mercados apresentam – se em disparidade. De acordo com o autor Fortuna (2010), “a figura do arbitrador surge pelo fato de haver diferenças na formação de preços de ativos no mercado a vista e em seu respectivo derivativo”.


Mercado futuro e mercado a termo

As acepções do mercado a termo e do mercado futuro são similares, tendo como fundamental diferença o fato de que, no mercado a termo, a liquidação de sua obrigação acontece somente no período de vencimento; já no mercado futuro, a obrigação é adaptada diariamente ás perspectivas do mercado referentes aos valores futuro daquele bem, por meio do ajuste (perdas e ganhos).

Mercado futuro é um contrato de aquisição ou venda de uma mercadoria, dinheiro, índice, por um valor e um período estabelecido.

Em uma operação no mercado futuro, o investidor se compromete contratualmente a comprar ou vender determinado ativo, em certa data futura, a um preço previamente estipulado. Na pratica, apenas poucas operações terminam com entrega efetiva do bem negociado. A maioria dos contratos é liquidada mediante pagamento ou recebimento de moeda, pela diferença entre o valor de compra ou venda, sem entrega física do bem ou ativo. (FIGUEREIDO, 2013 p.11).

O que é comercializado não é uma ação, e sim uma promessa de um montante que determinado ativo pode atingir no futuro, seja ele café, boi gordo, Dólar. Essa expectativa é comercializada em forma de um contrato, os montantes desse contrato oscilam como se fossem preços de uma ação. 

Os contratos futuros exercem uma enorme importância como forma de assegurar tranqüilidade a produtores e compradores de determinado produtos. Costuma – se dizer que aquele que assumiu o compromisso de venda fica vendido (short) e quem assumiu o compromisso de compra fica comprado (long) em futuros (LIMA; LOPES; 1999 p16).

Em transações financeiras de compra e venda de contratos futuros, não há necessidade de dinheiro propriamente dito, pode-se utilizar uma margem de segurança em depósito, sendo em dinheiro, CDB, títulos públicos, em ações que é exigido pela bolsa para que todos os investidores possam adquirir e vender tais contratos. Por esse motivo os contratos futuros podem ser tão alavancados, além disso, até que se feche uma posição, estes são ajustados diariamente, de acordo com as oscilações do mercado (debitado ou creditado em conta).

“Os mercados futuros têm como objetivo básico a proteção dos agentes econômicos – produtores primários, industriais, comerciantes, instituições financeiras e investidores – contra as mudanças dos preços de seus produtos e de seus investimentos em ativos financeiros” (FORTUNA, 2010).

Em se tratando de mercado a termo, Lilian Chew (1999) aponta que “É um contrato de compra e venda de determinado ativo com liquidação em uma data futura, onde o preço é estabelecido no momento do fechamento do contrato”.

Desse modo, as principais características do mercado a termo são a compra e venda, preços fixados, e prazos pré-determinados.

O termo é uma operação de compra e venda de um ativo, acertada na data zero, para liquidação física e financeira em uma data futura. O ativo que está seno negociado, a quantidade deste ativo e a data de vencimento são livremente estabelecidos pelas partes envolvidas. Na data de vencimento, o comprador paga ao vendedor o preço previamente estipulado e recebe o ativo. Em alguns casos, o acerto financeiro no vencimento é feito pela diferença entre o preço a termo e a vista, sem que ocorra a transferência da propriedade do ativo.( FIGUEIREDO; 2013;p5).

Os contratos comumente são os a termos de compras, ou seja, nos comprometeremos a adquirir uma ação no presente, com um montante pré-determinado, gerando assim uma obrigação a pagar no futuro. Não obstante em uma operação de um contrato de termo de compra, não há necessidade de portar o montante no ato do contrato.

Nesse mercado, por vezes, opera-se de forma alavancada, ou seja, é possível auferir altos ganhos ou sofrer grandes perdas de montantes. Sendo assim, é necessário atentar-se ao período, pois, quanto maior o período, maior o custo das ações, além das taxas de corretagem.

O mercado a termo exige uma margem de segurança, o investidor deverá depositar uma margem de garantia em ativos ou em dinheiro e diferentemente do

mercado futuro no mercado a termo, não há ajustes diários, os contratos se encerram com a entrega do ativo ou com a liquidação financeira do mesmo.

Fortuna (2010) descreve as estratégias de aplicação no mercado a termo como expectativa de alta de uma ação, expectativa de baixa de uma ação, operações de financiamento, operações de caixa e operações de arbitragem entre os vencimentos.




Mercado de SWAP

De acordo com Assaf Neto (2003), “Swap, são contratos que prevêem a troca de pagamentos periódicos, indexados a determinado índice por outras com diferentes índices de ajustes”.

Iran Siqueira Lima salienta que a palavra Swap significa troca e é uma estratégia financeira em que dois agentes concordam em trocar fluxos futuros de fundos de uma maneira pré estabelecida.

O swap é uma operação efetivada com pagamento em um período futuro, que sugere a permuta de percentuais ou índices entre ambas as partes, durante certo período. Um swap tem sucessivamente duas pontas, onde ambas as partes ficam ativas em índice ou percentual, e passiva no outro. A dimensão do acordo e o período de vencimento são abertamente comercializados entre as partes, desde que acatadas as balizas impostas pela BM&F.

O Swap pode ser visualizado como um contrato a termo, sendo que a BM&F denomina seus contratos de Swap como contratos a termo de CDI e de dólar. Isso ocorre porque pode – se decompor o relacionamento dos agentes envolvidos em dois contratos a termo com características especificadas. (LIMA; LOPES;1999;p.20).

Essas operações geralmente são utilizadas como hedge, ou seja, para evitar a exposição a riscos em sua atividade econômica. Os swaps mais empregados são os de percentual de ganhos e moedas.

Segundo Fortuna (2010), o mercado de swap veio a admitir fazer um hedge exato, pois as duas pontas do contrato podem constituir um contrato com relação à importância e a data de vencimento adaptados aos seus negócios.

Em suma, o SWAP, permite transformar uma dívida pós-fixada em pré-fixada, uma ativa de renda variável em renda fixa.


Mercado de opções

De acordo com Assaf Neto (2003), no mercado de opções o detentor de uma opção tem o direito adquirido pelo pagamento de um prêmio, de comprar ou vender em certa data futura determinado ativo a um preço preestabelecido.

Essa modalidade é utilizada caso as condições econômicas sejam atraentes, caso contrario ele não exerce o direito e perde o prêmio.

Opção é um contrato que dá a seu detentor, ou comprador, um direito sobre algo, mas não uma obrigação. É freqüentemente comparado com um contrato de seguro, onde o cliente paga um prêmio para ter direito a uma cobertura em caso de um sinistro. O cliente seria o comprador da opção, e a seguradora, a vendedora (ou lançadora). O segurado tem o direito de ser ressarcido caso haja um sinistro, mas não tem qualquer obrigação (a não ser o pagamento do prêmio do seguro). As opções são negociadas tanto em bolsa quanto em mercado de balcão (Farias, de, A. R., Ornelas, , J.R.H. (07/2015). Finanças e Sistema Financeiro Nacional para Concurso: Questões Resolvidas de Concursos do Banco Central, Tesouro Nacional, BNDES, CVM, CEF e BB, dentre outros. [Minha Biblioteca]. Retirado:<dehttps://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788597000269/>).

Ricardo Loureiro ilustra que no mercado de opções são direitos negociados em bolsa com a opção de compra ou call, ou seja, direito de comprar um ativo ou opção de venda ou put, direito de vender um ativo.

No dia do vencimento da opção, o titular somente exercerá seu direito caso isso gere um resultado financeiro positivo. Caso seu resultado ao exercer seja negativo, ele simplesmente não exercerá a opção, dado que ele tem um direito, mas não uma obrigação. No vencimento, na pior das hipóteses seu resultado será zero. Note que o titular anteriormente pagou um prêmio para ter esse direito! (Farias, de, A. R., Ornelas, , J.R.H. (07/2015). Finanças e Sistema Financeiro Nacional para Concurso: Questões Resolvidas de Concursos do Banco Central, Tesouro Nacional, BNDES, CVM, CEF e BB, dentre outros. [Minha Biblioteca]. Retirado:<dehttps://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788597000269/>).


Resultados e discussão

Mercado futuro: deve – se abranger o mercado futuro como uma evolução do mercado a termo. O indivíduo se empenha a adquirir ou revender certa quantidade ações por um valor estipulado para a liquidação em data futura.

Nesse sentido, uma empresa que resolve tomar um empréstimo em Dólar, para pagar daqui dois anos, se expõe as oscilações do mercado, as quais podem levar ao risco de um disparar do dólar nesse período.

No dia da liquidação desse contrato de empréstimos a dívida pode estar com o valor muito alto, no caso, a empresa pode congelar o valor do Dólar no mercado futuro. À medida que a data do vencimento do contrato se aproxima são feitos ajustes diários, de acordo com as oscilações do mercado, evitando assim que nestes sejam realizados ajustes de uma só vez, no momento do vencimento.

Exemplo, supõem-se que a empresa XYZ comprou Dólar à R$ 3,00, no dia seguinte, a cotação subiu para R$3,10, como a empresa XYZ comprou o Dólar à R$ 3,00 ela irá auferir lucros de R$ 0,10 por cada Dólar adquirido. Por exemplo, passou se mais um dia, supomos que o Dólar passou a ser cotado à R$2,90, assim a empresa terá que efetuar o ajuste, depositando R$ 0,20 por cada Dólar adquirido, ou seja, os preços vão se ajustando no período, até a data de vencimento do contrato (longo prazo).

Mercado a termo: como comprador ou vendedor do mercado a termo, o indivíduo se empenha em adquirir ou vender certa quantia de ações por um preço fixado, ainda na data de efetivação do negócio. Os contratos a termo somente são liquidados totalmente no vencimento e suas transações acatam um prazo mínimo de 16 dias e um Maximo de 999 dias.

Por exemplo, ao obter uma ação no mercado a termo, a aquisição será realizada pelo preço atual com juros, (normalmente se aproxima da taxa Selic). Se o preço atual encontra – se à R$ 10,00 à uma taxa de juros de 7,5% a. a, em um período de um ano, ela custará R$ 10,75, além de taxas cobradas pela bolsa e pela corretora contratada. No exemplo explanado, auferem-se lucros apenas quando essas ações ultrapassassem o patamar de R$ 10,75.

Mercado de opções: No dia do vencimento da opção, o titular somente desempenhará seu direito caso isso determine um resultado financeiro positivo. Caso seu resultado ao desempenhar seja negativo, ele puramente não desempenhará a opção, dado que ele tem um direito, mas não uma obrigação. No vencimento, na pior das hipóteses seu saldo será zero. Note que o titular anteriormente pagou um prêmio para ter esse direito.

Um exemplo supõe que um terreno atualmente esteja avaliado em R$ 80.000,00. Um terceiro, com a expectativa de compra, acredita que esse terreno sofrerá uma valorização subindo esse preço em aproximadamente, 30 dias, ultrapassando o valor de R$ 100.000,00, porém o mesmo não possui o total do montante para adquirir esse terreno. No caso ele propõe um acordo com o proprietário do terreno, oferecendo o montante de R$ 3.000,00 na data presente, em troca do direito de adquirir esse terreno por R$ 100.000,00 em 30 dias.

Conclusão

No cenário atual, para qualquer estudante que queira ingressar e atuar no mundo das finanças é de suma importância ter conhecimento dos tipos de mercados, principalmente os de derivativos.

Foi exposto que derivativos nada mais são que ativos, que seus valores dependem de outro ativo conhecido como ativo de referência.

No decorrer do trabalho, apresenta-se alguns dos principais mercados comumente operacionalizados pelo mercado financeiro de derivativos, como mercado futuro, a termo, SWAP e o de opções (de compra e venda), que atende cada participante de acordo com as suas expectativas, sendo de proteção ou de alavancagem.

Analisou-se que no mercado futuro um contrato de compra e venda de um determinado ativo com liquidação em uma data futura, onde o valor é estabelecido no momento presente do fechamento com contrato, e são feitos ajustes diários, ocorrendo perdas ou ganhos até o vencimento do contrato.

As principais características do mercado a termo são a compra e a venda, preços fixados, os prazos são pré-determinados. Os contratos comumente são os a termos de compras, ou seja, neste compromete-se a adquirir uma ação no presente, com um montante pré-determinado, gerando assim uma obrigação a pagar no futuro.

O detentor da opção tem o direito adquirido pelo pagamento de um prêmio, vender ou comprar em uma data futura.

Em relação aos contratos de SWAP prevêem a troca de obrigações de pagamentos periódicos. A maioria dos investidores utiliza essa operação para se protegerem das desvalorizações da moeda.

Além disso, salientou-se o Hedge, como principal participante do mercado de derivativos, um investidor que tem a intenção de proteção diante dos riscos de flutuações de preços, especulador que assume o risco do Hedge, motivado em auferir ganhos financeiros e o arbitrador que procura vantagens financeiras quando percebe preços de dois ou mais mercados distorcidos.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica