FERNANDO PESSOA

E.E Clodomiro Carneiro

FERNANDO PESSOA

Alessandra Pinheiro

Guilherme casares

guilherme pires

larissa falcão

luana otoni

vinicius brandão

vitor martins

Introdução

Em 1901,Fernando Pessoa escreveu seus primeiros poemas em inglês. Em 1902 a família voltou para Lisboa. Em 1903 Fernando Pessoa retornou sozinho para a África do Sul, onde submeteu-se a uma seleção para a Universidade do Cabo da Boa Esperança. Em 1905 de volta à Lisboa, matriculou-se na Faculdade de Letras, onde cursou Filosofia. Em 1907 abandonou o curso. Em 1912 estreou como crítico literário.

Fernando Pessoa foi vários poetas ao mesmo tempo. Tendo sido “plural” como se definiu, criou vários poetas, que conviviam nele. Cada um tem sua biografia e traços diferentes de personalidade.

Desenvolvimento

Fernando Pessoa (1888-1935) foi poeta português, um dos mais importantes poetas da língua portuguesa. “Mensagem” foi um dos poucos livros de poesias publicado em vida. Fernando Pessoa ocupou diversas profissões, foi editor, astrólogo, publicitário, jornalista, empresário, crítico literário e crítico político.

Fernando Pessoa (1888-1935) nasceu em Lisboa, Portugal, no dia 13 de junho de 1888. Ficou órfão de pai aos 5 anos de idade. Seu padastro era o comandante João Miguel Rosa, que foi nomeado cônsul de Portugal em Durban, na África do Sul. Acompanhando a família na África, Fernando recebeu educação inglesa. Estudou em colégio de freiras e na Durban High School.

Em 1901 escreveu seus primeiros poemas em inglês. Em 1902 a família voltou para Lisboa. Em 1903 Fernando Pessoa retornou sozinho para a África do Sul, onde submeteu-se a uma seleção para a Universidade do Cabo da Boa Esperança. Em 1905 de volta à Lisboa, matriculou-se na Faculdade de Letras, onde cursou Filosofia. Em 1907 abandonou o curso. Em 1912 estreou como crítico literário.

Fernando Pessoa foi vários poetas ao mesmo tempo. Tendo sido “plural” como se definiu, criou vários poetas, que conviviam nele. Cada um tem sua biografia e traços diferentes de personalidade. Os poetas não são pseudônimos e sim heterônimos, isto é indivíduos diferentes, cada qual com seu mundo próprio, representando o que angustiava ou encantava seu autor.

Criou entre outros heterônimos, Alberto Caeiro da Silva, Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Bernardo Soares. Caeiro é considerado naturalista e cético; Reis é um classicista, enquanto Campos tem um estilo associado ao do poeta norte-americano Walt Whitman.

Em 1915, liderou um grupo de intelectuais, entre eles Mário de Sá Carneiro e Almada Negreiros. Fundou a revista Orfeu, onde publicou poemas que escandalizaram a sociedade conservadora da época. Os poemas “Ode Triunfal” e “Opiário”, escritos por “Álvaro de Campos”, causaram reações violentas contra a revista. Fernando Pessoa foi chamado de louco.

Fernando Pessoa mostrou muito pouco de seu trabalho em vida. Em 1934 candidatou-se com a obra “Mensagem”, um dos poucos livros publicados em vida, ao prêmio de poesia do Secretariado Nacional de Informações de Lisboa, sua obra ficou em segundo lugar.

Fernando António Nogueira Pessoa morreu em Lisboa, Portugal, no dia 30 de novembro de 1935.

Fernando Pessoa assumia heterônimos para escrever suas obras. Diferente do pseudônimo, o heterônimo tem estilo particular, assim como personalidade. A criação de heterônimos é uma caracerística importante na obra do autor, tido como misterioso justamente por isso.

Os heterônimos mais importantes são: Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Alberto Caeiro, sendo que o terceiro influencia os demais.

Álvaro de Campos

Apesar de português, o escritor foi educado em inglês, o que o faz sempre se sentir um estrangeiro. O poeta teve fases diferentes em sua literatura, no começo tinha proximidade com o simbolismo, depois com o futurismo e então a visão niilista ficou presente nas suas obras.

Na primeira fase, é o tédio e a busca por experiências diferentes que marcam a poesia. A segunda é marcada pela otimismo da civilização. E a terceira é mais introspectiva e apresenta uma poesia pessimista. Campos apostava em uma linguagem ousada para a época, mais livre.

Ao contrário da racionalidade de Ricardo Reis, Campos coloca emoção em seus escritos. É considerado o alter ego de Pessoa.

Ricardo Reis

O médico que acredita na monarquia tinha uma escrita mais tradicional, a linguagem utilizada pelo heterônimo é culta e apresenta um lado clássico. Ricardo foi viver no Brasil quando a república foi proclamada em Portugal. Os textos de Reis foram publicados na revista “Athena” e na “Presença”.

O autor acredita na busca pela tranquilidade através do epicurismo, uma doutrina que acredita em evitar a dor, aproveitar a vida e não ter medo de morrer. E também do estoicismo, que acredita na importância da razão estar acima da paixão e na aceitação dos limites.

Como Pessoa não determinou sua morte, José Saramago, outro importante autor português, escreveu o livro “O Ano da Morte de Ricardo Reis”

Alberto Caeiro

É um dos heterônimos mais importantes, apesar de ser um camponês sem estudo. É classificado, por Fernando Pessoa e os outros heterônimos, como um mestre. Caeiro tinha um estilo direto e simples, mas a compreensão é complexa, já que o poeta faz reflexões profundas em seus escritos.

Alberto só escrevia poesia, não achava possível retratar a realidade através da prosa. Contra o pensamento filosófico, o escritor acredita que sentir é mais importante que pensar. Uma das obras mais conhecidas é “O Guardador de Rebanhos”.

Bernardo Soares

Um semi-heterônimo parecido com Álvaro de Campos, muito próximo de Fernando Pessoa. Segundo o escritor, Bernardo Soares tem uma parte de sua personalidade.

Obras Publicadas em Vida

35 Sonnets, 1918

Antinous, 1918

English Poems, I, II e III, 1921

Mensagem, 1934

Título terciário

Obras Póstumas

Poesias de Fernando Pessoa, 1942

Poesias de Álvaro de Campos, 1944

A Nova Poesia Portuguesa, 1944

Poesias de Alberto Caeiro, 1946

Odes de Ricardo Reis, 1946

Poemas Dramáticos, 1952

Poesias Inéditas I e II, 1955 e 1956

Textos Filosóficos, 2 v, 1968

Novas Poesias Inéditas, 1973

Poemas Ingleses Publicados por Fernando Pessoa, 1974

Cartas de Amor de Fernando Pessoa, 1978

Sobre Portugal, 1979

Textos de Crítica e de Intervenção, 1980

Carta de Fernando Pessoa a João Gaspar Simões, 1982

Cartas de Fernando Pessoa a Armando Cortes Rodrigues, 1985

Obra Poética de Fernando Pessoa, 1986

O Guardador de Rebanhos de Alberto Caeiro, 1986

Primeiro Fausto, 1986

Conclusão

Um dos poetas mais importantes da literatura portuguesa, Fernando Pessoa escrevia também em inglês, já que morou por um bom tempo na África do Sul.

Educado no país africano, o autor aprendeu o inglês com perfeição e publicou, inclusive, muitas obras no idioma.

Fernando Pessoa pode ser classificado como modernista, já que foi um dos autores que introduziu o movimento em Portugal. Junto com escritores como Mário de Sá Carneiro, Luís de Montalvor e Ronald de Carvalho, Pessoa publicou a revista “Orpheu” em 1915, dando início ao modernismo no país.

Em 1901 escreveu seus primeiros poemas em inglês. Em 1902 a família voltou para Lisboa. Em 1903 Fernando Pessoa retornou sozinho para a África do Sul, onde submeteu-se a uma seleção para a Universidade do Cabo da Boa Esperança. Em 1905 de volta à Lisboa, matriculou-se na Faculdade de Letras, onde cursou Filosofia. Em 1907 abandonou o curso. Em 1912 estreou como crítico literário. 

Fernando Pessoa foi vários poetas ao mesmo tempo. Tendo sido “plural” como se definiu, criou vários poetas, que conviviam nele. Cada um tem sua biografia e traços diferentes de personalidade.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica