Lorem ipsum dolor sit amet

Seu TCC descomplicado? Fale com a gente pra saber mais.

Objetivo Arujá

ENGENHARIA GENÉTICA E MODIFICAÇÃO GÉTICA

ALICE FAUSTINO SILVA

Rafael Trevisan

Orientador: Èrika Lima

Coorientador: Èrika Lima

Resumo

Nos dias de hoje é muito comum vermos alimentos modificados, espécies de plantas diferentes e até mesmo curas de doenças que proveem de outros humanos (por meio de células), mas será que pensamos como tudo isso é possível?
Será apresentado isso e muito mais nesse trabalho de forma simplificada buscando trazer conhecimento para a população de maneira leve e básica

Palavras-chave: Alimentos modificados Espécies. Plantas. Células. Humanos.

Abstract

Nowadays it is very common to see modified foods, different plant species and even cures for diseases that come from other humans (through cells), but do we think how all this is possible?
This and much more will be presented in this work in a simplified way, seeking to bring knowledge to the population in a light and basic way.

Keywords: Modified foods Species. Plants. Cells. Humans.

Introdução

 Engenharia Genética é o conjunto de técnicas que manipulam o DNA, por meio da sua recombinação, com o objetivo de fabricar organismos melhorados. Esse tipo de estudo requer conhecimentos sobre a bioquimica e a biologia molecular.

essa prática busca trazer novas tecnologias e novidades no ramo genético para os seres humanos, frutas,vegetais e plantas.

Desenvolvimento


O que é Engenharia Genética?

Compreende-se por Engenharia Genética o conjunto de técnicas que manipulam o DNA, por meio da sua recombinação, com o objetivo de fabricar organismos melhorados. Esse processo agrega alguns ramos do conhecimento além da própria genética, como a biologia molecular e a bioquímica.


QUANDO A MANIPULAÇÃO GENÉTICA foi consolidada?

A manipulação genética começou a se consolidar no início década de 1970, pois nesse período começaram os primeiros experimentos com certas enzimas bacterianas, chamadas de endonucleases de restrição, que têm a capacidade de separar a molécula de DNA em determinados pontos.

PARA QUE SERVE A MANIPULAÇÃO GENÉTICA?

  • mapear tendências genéticas em homens que desejam ter filhos (aconselhamento genético);
  • elaborar pesquisas sobre doenças genéticas e desenvolver novos medicamentos;
  • aplicar as técnicas da Engenharia Genética em alimentos de origem vegetal;
  • aprimoramento de raças animais.


MANIPULAÇÃO GENÉTICA NAS PLANTAS

O conhecimento em genética é muito mais antigo do que se pensa, apesar do termo ter aparecido apenas nos dias de hoje. As espécies de plantas, mas não somente elas, que constituem o cardápio básico das nossas refeições foram domesticadas e “aprimoradas” desde a pré-história.

Esse mecanismo consiste em separar e aperfeiçoar as qualidades do organismo visando a utilização prática para o ser humano. Em primeiro lugar, esse processo era realizado de forma intuitiva: no momento em que um agricultor precisava obter milho com maior quantidade de grãos ele plantava sementes vindas de espigas que apresentavam essa característica.

Com a advento da modernidade, novos conceitos e técnicas foram surgindo, possibilitando que o processo fosse racionalizado. Pode-se assim selecionar e aperfeiçoar as espécies da melhor maneira.

É necessário ressaltar que grande parte dos alimentos que consumimos hoje foram produzidos por meio de melhoramento genético.

Talvez uma das maiores contribuições da Engenharia Genética para a agropecuária foi descobrir que grande parte das características das espécies que são relevantes para a produção — como a fertilidade dos animais e das plantas, o tamanho e o peso dos grãos, a capacidade de resistir a doenças, pragas e etc. — são formadas em função da interação entre os genes a e os fatores ambientais.

Esse conhecimento foi essencial para melhorar os aspectos das espécies que têm importância econômica.


CLONAGEM   

A clonagem é o processo, feito em laboratório, de reprodução de espécies geneticamente iguais. O primeiro mamífero clonado foi a ovelha Dolly, em 1996, no Reino Unido, que viveu durante seis anos. No Brasil, o primeiro mamífero clonado foi a bezerra Vitória, que nasceu em 2001. 

A clonagem reprodutiva tem como finalidade reproduzir um novo ser, idêntico a um que já existe. Em linhas gerais, no processo de clonagem retira-se uma célula de um organismo adulto e dela se extrai o núcleo (que contém o material genético). Esse núcleo é inserido num óvulo sem núcleo, dessa forma não há combinação entre heranças genéticas diferentes.

Quando o óvulo começa a se dividir, forma-se um embrião. O embrião é em seguida implantado no útero de uma fêmea da mesma espécie do organismo que foi clonado. O resultado será o clone, uma cópia do organismo do qual foi retirado o material genético.

A clonagem terapêutica é a formação de células de determinado órgão (coração, rim, fígado, cérebro), chamadas células-tronco, para substituir células doentes desses órgãos e fazê-los voltar a funcionar normalmente.


CÉLULAS - TRONCO

São chamadas de células-tronco aquelas que têm a capacidade de dar origem a qualquer tipo de célula do organismo humano. Sendo assim, ela detém o potencial de regeneração de tecidos corporais.

Esse tipo de célula pode ser encontrada em algumas partes do próprio homem, como:

  • embriões;
  • cordões umbilicais;
  • alguns tipos de órgão e tecidos humanos, como a medula óssea e a pele.


 Durante os catorze primeiros dias de desenvolvimento de um embrião é possível retirar células-tronco que podem dar origem a qualquer uma das várias células do corpo humano de um adulto.

O processo acontece retirando-se da pessoa que tem um órgão deficiente o núcleo de uma célula-tronco. Em seguida ocorre a introdução desse núcleo em um óvulo e observa-se o seu desenvolvimento até certo ponto.

A massa celular desenvolvida durante o processo é removida e inserida em um meio de cultura, no qual com os estímulos certos pode originar o tipo de célula desejada.


TRANsgêNICOS

Todo transgênico é um organismo geneticamente modificados (OGM) que recebeu pelo menos um gene de outro ser vivo pertencente a uma espécie diferente.

Os transgênicos só puderam ser desenvolvidos a partir da combinação de diferentes técnicas, derivadas da tecnologia do DNA recombinante como, por exemplo, amplificação do DNA (permite fazer cópias de uma região do genoma), clonagem gênica (permite transferir fragmento de DNA entre organismos) e sequenciamento (permite a identificação e leitura dos genes).

Para o desenvolvimento de um organismo transgênico são necessários muitos anos de pesquisa. O trabalho envolve cientistas de diversas áreas do conhecimento, a exemplo de biologia molecular, genética, bioquímica, bioinformática e agronomia.

A primeira geração de plantas transgênicas foi introduzida na década de 90 e proporcionou tolerância a herbicidas e resistência a insetos. Essas características beneficiaram os produtores, reduzindo custos, simplificando o manejo de pragas e aumentando o rendimento das culturas.

Nos anos subsequentes, outras características foram sendo incorporadas em plantas transgênicas, como tolerância a estresses abióticos e ganhos nutricionais. Além disso, estamos acompanhando o desenvolvimento de variedades vegetais com modificações em algumas de suas vias metabólicas, promovendo ganhos na fotossíntese, no metabolismo de carbono e nitrogênio.

A importância dos transgênicos para a agricultura

O desenvolvimento de plantas transgênicas representou uma grande revolução no melhoramento genético de plantas. Com ele foi possível superar a principal limitação do melhoramento convencional, no qual a compatibilidade sexual entre as espécies é um pré-requisito para a transmissão de características.

A transgenia possibilitou que os melhoristas vegetais (pesquisadores que trabalham com melhoramento genético de plantas) introduzissem genes de uma espécie não compatível sexualmente em uma planta.

As técnicas empregadas no desenvolvimento dos transgênicos tem o mesmo objetivo do melhoramento convencional, ou seja, em todos os casos, pretendemos otimizar uma variedade para que ela possa enfrentar os desafios da produção agrícola. O que se traduz por plantas mais tolerantes às condições de seca, salinidade, alagamentos, doenças e pragas.

No entanto, usando a transgenia o melhorista passa a interferir de forma controlada no genoma das plantas, diferentemente do que ocorre no melhoramento convencional. Todo o trabalho é feito selecionando e introduzindo um ou mais genes que resultam em características desejáveis para aquela planta, sem que ela perca qualquer propriedade pré- existente.

Por isso, as plantas transgênicas são consideradas tecnologias de ponta, necessárias para uma produção de alimentos cada vez mais sustentável. A precisão e acompanhamento de todos os processos são elementos cruciais que traduzem o desenvolvimento dos transgênicos. 


  Projeto Genoma Humano

É um projeto que começou em 1990, envolvendo 18 países entre eles o Brasil, cujos objetivos eram: determinar a sequência das bases do DNA humano; identificar e mapear os genes dos 23 pares de cromossomos e armazenar essa informação em bancos de dados, podendo assim desenvolver meios de usar esta informação para fins científicos e terapêuticos.

Em fevereiro de 2001, foi anunciado que 90% do mapeamento genético já estava concluído, com cerca de 3 milhões de pares de bases do DNA e quase 30 mil genes identificados.


Conclusão

Com isso conclui-se que de um modo geral a nossa visão crítica sobre a modificação genética é de um trabalho inútil, mas se tomarmos um pouco de conhecimento e nos aprofundarmos no tema veremos que esse sistema está no nosso dia a dia e muitas das vezes esquecemos que ela se quer existe assim como foi apresentados alguns casos e explicações no conteúdo a cima.

Referências

. Disponível em: https://croplifebrasil.org/conceitos/transgenicos-conheca-os-produtos-que-revolucionaram-a-agricultura-no-mundo/?gclid=Cj0KCQjwhvf6BRCkARIsAGl1GGhfNOEUlOc0vhiwxyBUMyDRFmyiGNJ_xCPZfeI5vXn91FUgaqUYzBIaApQGEALw_wcB. Acesso em: 23 set. 2020.

. Disponível em: https://www.infoescola.com/biologia/engenharia-genetica/#:~:text=Produ%C3%A7%C3%A3o%20de%20alimentos%20geneticamente%20modificados,ansiedade%20e%20mal%20de%20Parkinson.. Acesso em: 14 set. 2020.

. Disponível em: https://www.stoodi.com.br/blog/carreira/engenharia-genetica/. Acesso em: 23 set. 2020.

. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/engenharia-genetica/. Acesso em: 23 set. 2020.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica