ELABORAÇÃO DE PLANO MERCADOLÓGICO PARA UMA STARTUP DE SOLUÇÕES EM ANÁLISES QUÍMICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

ELABORAÇÃO DE PLANO MERCADOLÓGICO PARA UMA STARTUP DE SOLUÇÕES EM ANÁLISES QUÍMICAS

ANIE GABRIÉLLI HIRSCH OLIVEIRA

Orientador: Rodrigo Marques de Almeida Guerra

Introdução

Na introdução do seu projeto você deve demonstrar o tema que será desenvolvido, justificar a importância do estudo, delimitar o problema/hipótese, apresentar a metodologia e mostrar os objetivos do trabalho, relacionando os tópicos principais. Na introdução, evita-se textos longos e antecipação de resultados. A introdução é uma das primeiras impressões que o leitor terá sobre seu projeto, por isso tem que caprichar no texto para gerar interesse em continuar a leitura do seu trabalho.

 Dicas para escrever uma boa introdução: apesar de ser um dos primeiros elementos apresentados no projeto, este deve ser umas das últimas coisas feitas no seu trabalho, afinal você precisa do seu trabalho completo para poder introduzi-lo adequadamente. Deve ter em torno de 10 parágrafos que apresentem o tema, o problema de pesquisa, objetivos e metodologia. Deixe claro o que será investigado e porque esse tema é relevante sem se aprofundar no assunto.

Objetivos

Os objetivos que nortearão esse trabalho consistem em geral e específicos e estão apresentados na próxima subseção.

Objetivo geral 

Propor um plano mercadológico que auxilie na tomada de decisão da cooperativa CCGL em relação ao uso da tecnologia Zeit de análise química da qualidade do leite.

Objetivos específicos

a. Descrever o atual panorama do setor leiteiro no estado do Rio Grande do Sul.

b. Elaborar referencial teórico acerca da área mercadológica.

c. Realizar diagnóstico mercadológico básico da empresa.

d. Apresentar uma proposta de plano mercadológico direcionado à cooperativa CCGL.

Justificativa

Com o estudo do mercado leiteiro de forma estratégica, apresentando dados sobre a relevância desta atividade para a economia gaúcha, abordando questões normativas e sanitárias relacionadas à qualidade do leite e a importância do controle de saúde animal, conseguiremos comprovar a necessidade de investimentos na implementação de uma nova tecnologia que permita que a análise da composição química, mais especificamente a contagem de células somáticas, seja feita de forma individual nas fazendas, objetivando aumento de produtividade animal, lucro para ambas as partes e possibilidades de ganho para o produtor.
https://zeitbr.com.br/por-que-avaliar-a-ccs-individualmente/ - base para complementar a justificativa. -  DEVE SER REFEITA, NÃO ENVIAR AO ORIENTADOR

ESTRUTURA DO TRABALHO

Será escrito quando concluir o relatório.

O ponto fundamental do desenvolvimento é a fundamentação teórica. Utilize análises, pesquisas e obras de diversos autores para embasar sua pesquisa. No desenvolvimento, você deve apresentar e discutir a literatura consultada sobre o tema, descrever a pesquisa realizada de acordo com a metodologia.

CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA E DE SEU AMBIENTe

SOBRE A EMPRESA 

A Zeit Portabilidade em Análises Químicas  é uma startup com foco na portabilidade em análises químicas que surgiu durante Programa de Pós Graduação em Química da UFSM, e atualmente encontra-se incubada na Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia da UFSM, com sede na Cidade Universitária, Avenida Roraima nº 1000, Parque de Eventos Prédio 61H, Sala 7A, Camobi, Santa Maria – RS. É constituída por 3 diretores: de operações, executivo e TI, e também por 3 advisors Doutores na área de química, zootecnia e tecnologia de alimentos, totalizando uma equipe de 6 integrantes. 

Além disso, a empresa possui um grupo de produtores que se dispuseram em auxiliar nas pesquisas, testando o produto. Assim, a empresa pode ter acesso às ordenhas, realizar as coletas de amostras de leite e testar as variáveis conforme necessário.

 Com foco em tecnologia portátil na análise da produção leiteira,  propõe a verificação da qualidade do leite, produtividade e rastreabilidade do leite bovino, empregando a big data (gestão de um conjunto de dados gerados pelo rastreio de informações do usuário no ambiente digital) através do uso de um dispositivo com tecnologia nano NIR (do inglês near-infrared) que, integrado à um aplicativo para a interpretação dos dados, é capaz de apresentar informações sobre a qualidade do leite, tornando a análise rápida e confiável, auxiliando o produtor e empresas a gerar maior produtividade e competitividade.

DIRETRIZ ORGANIZACIONAl

Para  Cruz (2017)  existem dois tipos de diretrizes: organizacional e  genérica. Leis, normas, protocolos etc. constituem as diretrizes genéricas, comumente utilizadas para regulamentar o funcionamento das instituições privadas e públicas, enquanto a missão, visão e valores compõem a diretriz organizacional.

  A definição da diretriz organizacional é um dos elementos mais importantes durante a estruturação da organização, pois ela deve estar em total concordância com o planejamento estratégico, em consequência que, este é composto pela análise dos pontos positivos e negativos da empresa, recursos, desafios, políticas e variáveis macro ambientais e micro ambientais (Oliveira, 2011)

Como a Zeit ainda não possuía esta diretriz organizacional, foi elaborado um arquétipo, de acordo com a identidade construída pelos integrantes e exposta à comunidade. 

 

Missão

Segundo Lupetti (2012), a missão revela a identidade da empresa,  transparecendo o propósito para a qual ela trabalha, enquanto a visão representa o seu sonho, sendo assim declarações que se complementam. Para determinar qual a missão de uma empresa, é essencial que as necessidades e expectativas que o produto ou serviço pretende atender estejam claras, bem como o ramo de atividade do negócio, o mercado-alvo e a imagem que a empresa faz de si própria (Oliveira, 2011).

Sendo assim, a missão da Zeit consiste em: Impulsionar a atividade leiteira conduzindo as heranças e raízes de produção de geração em geração aliadas ao processo de aprimoramento das análises químicas.

Visão

A visão de uma organização é conceituada por Oliveira (2011) como um objetivo extensivo de longo prazo, estabelecido pelos integrantes do nível estratégico, pois este será o norteador do planejamento estratégico adotado pela instituição.

Hax e Majluf (1984),referem-se à visão como a conduta e o propósito que a empresa exterioriza para a comunidade, a fim de regulamentar a relação entre as partes interessadas pelo desempenho da empresa.

Pensando em uma expectativa à longo prazo, a Zeit pretende: Ser referência de mercado no ramo de análises químicas até 2025, promovendo soluções e experiências inovadoras, agregando valor ao disponibilizar sua tecnologia como ferramenta de apoio no processo de tomada de decisão.

Valores

Os valores referem-se  às diretrizes organizacionais que orientam as decisões e atitudes que os colaboradores integrantes parte daquela instituição devem se espelhar (Cruz, 2017).

Os valores da Zeit são fundamentados por:

Foco no resultado: Proporcionar ao produtor os resultados no menor tempo possível, para que possa agir estrategicamente.

Comprometimento: Fornecer suporte técnico aos produtores rurais em relação a utilização do software ou do hardware.

Acessibilidade: Prestar assistência tecnológica inovadora por um valor justo.

Ética e transparência: Buscar sempre uma relação de transparência com o cliente, aliada às normas exigidas pelas agências regulamentadoras.

Eficácia e agilidade: Manter o software constantemente atualizado, buscando fornecer os resultados de maneira mais assertiva e ágil aos produtores rurais com o apoio de informações na nuvem.

Qualidade tecnológica: Simplificar o processo de análise e entregar economia de tempo aliada a maior rentabilidade por meio de tecnologia própria para análise inteligente de dados.

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 

ESTRUTURA SOCIETÁRIA

ATUALIZAR QUADRO SOCIETÁRIO, ATUALMENTE SÃO SEIS PESSOAS.

Tabela 1 — Capital Social
Capital SocialA Empresa (2019)

REFERENCIAL TEÓRICO

Este capítulo consiste na estruturação de uma revisão bibliográfica de materiais já publicados sobre os temas pesquisados durante este estudo, abordando conceitos referentes às áreas: mercadológica, de marketing e de qualidade. 

ÁREA MERCADOLÓGICA 

Arcuri (2020, p. 54) estabelece que: "são os consumidores que definem o mercado, passando a determinar também os rumos da pesquisa para a cadeia do leite". Pensando nisso, a inovação deve estar direcionada às demandas dos consumidores, que apesar de apresentarem características distintas, possuem um aspecto em comum, o consumo de leite e seus derivados.

A divulgação dos produtos e/ou serviços de uma empresa é o principal objetivo da comunicação mercadológica, que tem como propósito aumentar a visibilidade deste produto ou serviço no mercado e consequentemente intensificar o volume de vendas (Lupetti, 2012).

Sobre a competitividade na indústria de laticínios podemos afirmar que:

Pressionadas pela abertura dos mercados, as empresas enfrentam padrões de concorrência que exigem competitividade de custos e novas capacidades gerenciais, valorizando estratégias mercadológicas. Isto representa um desafio particular para as cooperativas, que precisam buscar níveis mais altos de integração para enfrentar as barreiras nos segmentos mais valorizados do mercado e adotar formas organizacionais mais ágeis para acompanhar as tendências do mercado. Internamente, as medidas de profissionalização da estrutura gerencial, já iniciadas, precisam ser aceleradas. A falta de modernização da pecuária leiteira foi identificada como uma fonte importante de conflitos entre os agentes econômicos e um empecilho específico para a competitividade do setor cooperativista.  (Wilkinson, 2008, p. 56).

Ambiente externo e variáveis (concorrentes, demografia, mercado, economia, consumidores, fornecedores, políticas, etc)

Ambiente interno e variáveis (serviço, equipe, qualificação dos colaboradores, recursos, tecnologia, prazo de entrega de resultados, etc)

Matriz FOFA

ÁREA  De marketing 

O marketing concerne a um conjunto de estratégias referentes ao "processo de dinamização e intensificação das trocas entre pessoas e organizações, com o objetivo de alcançar a satisfação recíproca de consumidores e produtores" (Gioia et al., 2013, p. 6). Já  Las Casas (2019) conceitua o marketing como a oferta de bens ou serviço em troca de um benefício, onde cada uma das partes possui algo de interesse para o outro, que são livres para aceitá-las ou rejeitá-las.

As empresas precisam assimilar as mudanças de mercado e adaptar-se à elas, sem esquecer de monitorar seus concorrentes, adequando a estratégia de marketing de modo a orientar seus esforços ao atendimento das expectativas de seus consumidores, e a satisfação de seus colaboradores e fornecedores  (KotlerKeller, 2012).

A partir da construção desse conceito, pode-se considerar então que o marketing é a principal ferramenta de captação de clientes, devendo não somente atraí-los, mas encantá-los e mantê-los. O produto ou serviço então é desenvolvido com a finalidade de solucionar problemas, propor um método mais eficaz que permita o máximo aproveitamento dos recursos, ou somente atender anseios individuais de um determinado público ou pessoa.

Plano de Marketing 

Público Alvo 

Estratégias de Comunicação

Mix de Marketing 

ÁREA DA QUALIDADE

Estudos recentes sobre tendências de mercado mostram um novo cenário, onde os consumidores estão aderindo ao comportamento consciente, dando preferência às empresas que possuem políticas socioambientais, valorizando o uso de atitudes sustentáveis, o que inclui o bem estar animal (Siqueira, 2020).

Lobo (2010)  diz que a qualidade pode ser definida como adequação às necessidades do usuário, outro conceito aborda a qualidade como "um conjunto de características que definem o valor comercial do produto, como o tamanho, a cor, a forma, o peso, a textura, a sanidade e outras características que permitem a sua classificação" (Mello, 2017, p. 31).

Indicadores de desempenho - o que são, quais os tipos e como utilizá-los

5W2H

METODOLOGIA

 Esta seção trata sobre os processos metodológicos adotados para a construção do presente relatório, levando em consideração a padronização de procedimentos que foram muito bem relatados para que outras pessoas possam chegar à conclusões similares ao estudarem sobre o tema aqui tratado, mesmo que a principal evidência desta pesquisa seja obtida de forma inesperada (Almeida, 2014).

TIPO DE PESQUISA 

O presente estudo pode ser classificado como de natureza aplicada, que segundo Almeida (2014) é descrita como o uso de conhecimentos previamente sistematizados para a resolução de problemas cotidianos identificados em organizações e relacionamentos. 

Quanto à abordagem, a pesquisa será de caráter exploratória, a fim de analisar mais profundamente de que forma a implementação de novas tecnologias pode auxiliar na melhor produtividade e qualidade do leite em uma cooperativa leiteira do Rio Grande do Sul. Embora o estado do Rio Grande do Sul seja o terceiro maior produtor de leite do país, considerado um setor relevante e estratégico para a economia do estado, ainda é um mercado pouco analisado e explorado, principalmente por estudantes e pesquisadores do curso administração da UFSM. O objetivo deste tipo de pesquisa pode ser descrito por Almeida (2014). como as descobertas em uma área na qual ainda há pouco conhecimento desenvolvido, não somente por parte do autor, mas também de periódicos e livros, considerando a especificidade do tema pesquisado durante o relatório e a análise elaborada com o intuito de nos familiarizarmos ao problema apresentado.

 COLETA DE DADOS 

Quanto ao procedimento técnico o trabalho foi elaborado por meio de pesquisa bibliográfica e documental. Esta opção justifica-se porque  ambas ferramentas complementam-se durante a construção deste relatório. 

De acordo com Matias-Pereira (2019) a pesquisa bibliográfica pode ser conceituada como aquela que é desenvolvida a partir de material já elaborado, em que são utilizados artigos científicos, periódicos, teses, manuais, normas técnicas, livros, entre outros. Almeida (2014). complementa pontuando que este procedimento trata-se da observação empírica de um estudo, que busca relacionar conceitos, características e ideias de dois ou mais temas.

A pesquisa documental é descrita por  Vergara (2016) como o uso de relatórios e documentos de caráter privado, que não estão disponíveis para o público em geral, esses dados primários são interpretados e analisados por outra ótica, com o propósito de compreender determinada realidade de uma organização ou indivíduo (Almeida, 2014).

Para este estudo, observou-se que o tipo de pesquisa que mais se enquadra é o de abordagem qualitativa, levando em consideração que este preocupa-se com um problema que não pode ser quantificado e precisa ser explorado, tentando estabelecer relação entre o pesquisador e o objeto estudado, coletando dados por meio de interpretações e experiências (Creswell, 2014). Já  Lozada e Nunes (2018) caracterizam a pesquisa qualitativa como um conjunto de técnicas utilizadas para observar a realidade, seus acontecimentos e  consequências, tendo como principal coletor de dados o pesquisador.

O material documentado, bem como, as respectivas análises serão organizadas no relatório de pesquisa componente do estudo que se construiu.

 ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS

Análise realizada a partir de material bibliográfico e documental.

Interpretação de dados - referência

Dados e análise dizem respeito ao tema ------

DIAGNÓSTICO Mercadológico da organização

Escrever introdução

Análise do macro ambiente competitivo  

Escrever breve descrição

O setor leiteiro no Rio Grande do Sul 

A cadeia produtiva do leite é uma das principais atividades econômicas do Brasil, atingindo o valor bruto de R$ 34,91 bilhões da produção primária de leite no ano de 2019  (Governo Federal, 2020), e ocupando atualmente o terceiro lugar no ranking de produtores mundial, perdendo somente para os Estados Unidos e a Índia  (Rocha Carvalho Resende, 2020).

Salgado (2013) aponta que o país possui como vantagem competitiva a presença de recursos naturais favoráveis ao desenvolvimento da atividade, dentre eles pode-se citar o índice pluviométrico, nível de insolação, vasta área para cultivo, variedade vegetativa e a abundância de recursos hídricos.

 Jaime Eduardo Ries, Zootecnista e Assistente Técnico Estadual do Emater RS, aponta que há uma redução expressiva no número de fazendas produtoras de leite no Brasil durante as últimas décadas, principalmente aqueles que trabalhavam em pequena escala devido à estagnação dos preços e a dificuldade financeira de rentabilizar o produto. Entretanto, aqueles que se mantém na área, estão investindo em tecnologia, rastreabilidade, melhoramento genético, equipamentos e especialização, com o objetivo de intensificar a produção e aprimorar a qualidade do leite.

O último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizou um comparativo dos anos de 2006 e 2017 sobre a participação dos estratos de produção diária de leite no número de estabelecimentos e quantidade de leite produzido, corroborando com a análise feita por Ries.

Tabela 2 — Participação dos estratos de produção diária de leite no número de estabelecimentos e quantidade de leite produzido de 2006 e 2017
Participação dos estratos de produção diária de leite no número de estabelecimentos e quantidade de leite produzido de 2006 e 2017IBGE (adaptado)

Conforme observa-se na tabela anterior, o percentual de propriedades brasileiras que produzem diariamente menos de 200 litros, apesar da redução ao longo dos anos, ainda está representada por 93% dos estabelecimentos, detendo 46% de todo o leite produzido em 2017. A partir desses dados, constata-se a importância de investir em ações que favoreçam o pequeno produtor, conferindo a ele condições de continuar no mercado leiteiro.

Verifica-se também, o forte aumento na porcentagem de participação da produção leiteira dos estabelecimentos que, produzem uma quantia diária superior à 200 litros, passando de 35% para 54% dentro do período de 11 anos.

Outro fato importante, evidenciado pelo indicador de atividade leiteira brasileira de 2006 e 2017 é que, apesar da redução do número de produtores e consequentemente do rebanho de vacas ordenhadas, a quantidade de leite produzido e a produtividade individual de cada animal intensificou-se no decorrer dos anos.

Tabela 3 — Indicador de atividade leiteira Brasileira de 2006 e 2017
Indicador de atividade leiteira Brasileira de 2006 e 2017IBGE (adaptado)

Esse acontecimento pode ser explicado pelo aumento na escala de produção, que segundo  Rocha e Carvalho (2020), é o resultado do melhoramento genético animal, aliado ao monitoramento da saúde animal e a adoção de novas tecnologias de rastreabilidade que garantem o controle de enfermidades e certificação da qualidade dos produtos de origem animal. Esse crescimento na produtividade, reflete na competitividade do setor lácteo, que apesar de apresentar grandes avanços no controle da gestão, ainda enfrenta dificuldades para atender aos quesitos sanitários de segurança alimentar, necessitando melhorar ainda mais no que tange o atendimento das instruções normativas de regulamento técnico do leite (Salgado, 2013).

Carvalho (2003) estima que no Brasil somente 40% da produção leiteira formal seja encaminhada às cooperativas, pois não existem estudos recentes que possam fundamentar essa informação. As cooperativas são instituições geralmente compostas por pequenos produtores que buscam valorizar os seus membros, tornando-os capazes de potencializar o poder de barganha durante a comercialização do produto, devido a ampliação da capacidade de distribuição. Além do papel socioeconômico exercido, ainda agrega valor à cadeia produtiva por meio da profissionalização do manejo, da gestão e do controle de qualidade, visando atender as novas exigências do mercado.

Uma cooperativa pode ser descrita como a união autônoma, voluntária e democrática de um grupo para atingimento de objetivos em comum. Acabam tornando-se referências de mercado pela capacidade de desenvolvimento da cadeia produtiva, compromisso com seus associados e a consolidação de novos patamares de tecnologia, inovação, gestão e qualidade na pecuária leiteira.(Vilela et al., 2016).

As ações praticadas pelos cooperados fornecedores de matéria prima aperfeiçoaram o sistema produtivo, a captação e a distribuição dos produtos, ocasionando crescimento das cooperativas de captação regional do leite inspecionado durante o período em que a comercialização era regulada pelo Estado. (Cunha, 2015).

A partir da adaptação dos dados fornecidos pelo IBGE referente à produção leiteira de cada estado do Brasil nos anos de 2008,2013 e 2018, montou-se a tabela informativa por região, que também exibe o resultado total do País, e pode ser vista a seguir:

Tabela 4 — Produção de leite nas regiões brasileiras: 2008 - 2018 E 2018
Produção de leite nas regiões brasileiras: 2008 - 2018 E 2018IBGE (adaptado)

A região Sul destaca-se, por ter obtido a maior produtividade do ano de 2018, onde fica praticamente empatada com o Sudeste, seguido pelo Nordeste, Centro oeste e em última classificação o Norte. No gráfico abaixo, podemos analisar a porcentagem de participação de cada região na produtividade brasileira no ano de 2018.

Figura 1 — Expressividade das regiões brasileiras na produção do leite em 2018
Expressividade das regiões brasileiras na produção do leite em 2018O autor (2021)

O chefe geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo do Carmo Martins destaca que a produtividade das vacas do sul brasileiro é superior à média nacional, resultado da evolução da pecuária leiteira associada ao fato de a maior parte do gerenciamento de propriedades ser conduzido por produtores familiares  (Nascimento, 2019).

Tabela 5 — Produção de leite nos estados sul brasileiros no ano de 2018
Produção de leite nos estados sul brasileiros no ano de 2018IBGE (adaptado)

Segundo o Atlas Econômico do Rio Grande do Sul, o estado apresenta como uma de suas principais atividades econômicas a pecuária, detendo cerca de 6,5% de todo o rebanho bovino do Brasil. Entretanto, posiciona-se como o terceiro maior produtor de leite do país de acordo com o IBGE, com aproximadamente 4,5 bilhões de litros de leite produzidos anualmente, detendo de 13% de toda produtividade nacional.

Figura 2 — Expressividade dos estados sul brasileiros frente a produção nacional de leite no ano de 2018
Expressividade dos estados sul brasileiros frente a produção nacional de leite no ano de 2018O autor (2021)

No ano de 2021, foi estabelecido pelo setor de laticínios juntamente com o governo do Estado do Rio Grande do Sul que o saldo do Fundo de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite (Fundoleite), acumulado durante os últimos 8 anos, no valor de R$20 milhões será utilizado para impulsionar a produtividade e a divulgação dos produtos lácteos fabricados no Estado, o que permitirá o fortalecimento da competitividade do mercado gaúcho. Determinou-se que 10% do fundo efetivo de apoio será voltado ao custeamento de serviços administrativos, 20% direcionado aos projetos que visem desenvolvimento e assistência à cadeia produtiva do leite por meio da intensificação da produção e aumento da qualidade leiteira, enquanto os demais 70% serão destinados ao suporte técnico dos produtores  (MilkPoint, 2021).

 Políticas de Regulamento Técnico do Leite 

Filho (1998) afirma que a qualidade subdivide-se em dois fundamentos: no primeiro a qualidade percebida, que diz respeito às características sensoriais observadas pelo consumidor, enquanto a qualidade intrínseca envolve padrões sanitários, devendo o produto estar de acordo com a legislação, passando confiabilidade ao usuário.

Salgado (2013) observa que o leite produzido no Brasil apresenta qualidade intermediária quando comprada aos países que possuem tradicionalismo no mercado leiteiro. A qualidade da matéria prima e a produtividade animal estão diretamente relacionadas aos limites de Contagem de Células Somáticas (CCS) e Contagem Bacteriana Total (CBT) do leite, índices estes que quando não devidamente monitorados apresentam riscos à saúde pública. A baixa produtividade média por animal diminui a eficácia dos coeficientes de produção, impossibilitando uma remuneração estratégica devido ao aumento de custos e a redução da distribuição em escala.

Quando os índices microbiológicos estão fora dos padrões, além do não cumprimento da legislação, há uma queda no rendimento industrial, bem como a redução no tempo de vida útil, sabores indesejados e risco à saúde pública, aumentando a drasticamente a suscetibilidade de doenças, infecções e intoxicações (Mendes , 2006).

O Ministério de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento aprovou em 2018 as Instruções Normativas nº 76 e 77, que regulamentam as características de qualidade que o leite deve apresentar e os critérios e procedimentos a serem adotados na produção, armazenamento e transporte do leite.

“Instrução Normativa nº 76 – Art. 1º Ficam aprovados os Regulamentos Técnicos que fixam a Identidade e as características de qualidade que devem apresentar o leite cru refrigerado, o leite pasteurizado e o leite pasteurizado tipo A”

“Instrução Normativa nº 77 – Art. 1º Ficam estabelecidos os critérios e procedimentos para a produção, acondicionamento, conservação, transporte, seleção e recepção do leite cru em estabelecimentos registrados no serviço de inspeção oficial” - AMBAS CITAÇÕES DO SITE https://saudeinspecaoanimal.com.br/in76-77, NÃO SOUBE REFERÊNCIAR.

https://www.milkpoint.com.br/colunas/rafael-fagnani/resumao-das-ins-76-e-77-elas-estao-chegando-212785/ - devo montar tabela??? As IN’s estão me deixando confusas, gostaria de deixar as informações mais claras e objetivas.... e depois falar da importância de cada indicador.

Tecnologia para Análise Química do Leite

Apesar da baixa produtividade animal ser um ponto fraco da cadeia produtiva, ela permite sejam investidos tempo e recursos para que este indicador seja estudado e melhorado, modernizando os mecanismos de produção e controle, com foco no desenvolvimento de novos mercados (Salgado, 2013).

Para que uma empresa sobreviva no mercado, e continue crescendo é de extrema importância que ela aprimore e inove constantemente seus produtos e processos, e justamente a falta de modernização da pecuária leiteira constitui um obstáculo que impede que o setor se torne ainda mais competitivo(Wilkinson, 2008).

A incorporação de inovações tecnologias é um fator determinante para o estabelecimento de  valor agregado ao produto, orientando os processos de comercialização, e o relacionamento dos consumidores . 


 decisivos causarão impactos sensíveis 

O futuro do desenvolvimento tecnológico da agricultura brasileira busca antecipar tendências e garantir o ajuste permanente das prioridades de pesquisa e de transferência de tecnologia, com vistas à inovação que se inspira na lógica de cadeias produtivas, cada vez mais dependentes de conhecimento e tecnologias. Tem-se a convicção de que nenhuma organização ou grupo de cientistas detém isoladamente as competências para ajudar o País a enfrentar um ambiente cada vez mais complexo e dinâmico. A migração de sistemas de produção com poucas atividades para aqueles mais complexos se destaca como forte tendência para as próximas décadas e as plataformas tecnológicas poderão contribuir com os processos cada vez mais difíceis que acompanharão a pecuária que se descortina para o futuro. 

Como temas de alta prioridade de pesquisa para que o setor de lácteos passe a ser o protagonista de crescimento sustentável a taxas superiores ao registrado em todo o mundo, atuando de modo eficiente e eficaz visando agregar valor ao produto, com grande retorno à sociedade, ênfase deve ser dada à pesquisa e desenvolvimento em: recursos genéticos; qualidade e segurança do alimento; alimentos alternativos às atuais fontes de energia e proteína na alimentação animal; análise de riscos químicos e biológicos, desenvolvimento de kits para diagnóstico rápido de resíduos químicos e biológicos nos produtos; avaliação de resíduos e contaminantes; certificação e rastreabilidade; agregação de valor aos produtos de origem animal (alimentos funcionais, sem lactose, nutracêuticos, etc.); desenvolvimento de embalagens ativas/bioativas; desenvolvimento de alternativas tecnológicas para uso econômico de novos produtos lácteos como o soro do leite; monitoramento em tempo real das cadeias produtivas do leite; análise da influência de políticas públicas sobre a competitividade das cadeias produtivas; percepção do consumidor; análise da bioeficiência socioeconômica da atividade leiteira e análise da adoção de tecnologias.

Tendo em vista a importância da indústria de laticínios para o atendimento da demanda interna por produtos lácteos seguros, de qualidade e de alto valor agregado, o seu potencial de exportação, as áreas de competências disponíveis no País e as oportunidades e necessidades de inovação do setor, considera-se altamente desejável a adoção de plataformas multi-institucionais e multiusuários que viabilizem a união de diversas competências para atuarem, em conjunto, na promoção de inovações e no desenvolvimento tecnológico e sustentável do setor lácteo nacional.

A Figura 4 apresenta o organograma conceitual resumido do que se idealiza de uma plataforma tecnológica, alicerçada em quatro eixos estruturantes – Produção Eficiente, Qualidade e Inocuidade, Mercado e Novos Produtos – contendo as inovações tecnológicas e gerenciais para agregar valor à cadeia produtiva de leite que poderão nortear as futuras pesquisas em láteos no País. (Vilela et al., 2016).

Avanços tecnológicos

Figura 3 — pecuaria de leite no brasil pg 142
pecuaria de leite no brasil pg 142Vilela et al. (2016)

Considerando essa lacuna na cadeia produtiva, a Zeit se propõe a inovar a forma como a análise química é realizada, apresentando um software de gestão com banco de dados, que realiza análises instantâneas por meio de um equipamento portátil, auxiliando assim fazendas de pecuária leiteira nos processos de nutrição, saúde, qualidade geral do leite e produtividade, aumentando a eficácia na gestão das propriedades produtoras (Zeit,2019).

A portabilidade e a rapidez das análises são os diferenciais frente às demais empresas que oferecem a mesma espécie de serviço, além disso ainda dispõe de processamento contínuo e massivo de dados online, rastreabilidade individual por animal, controle de evolução, relatório de dados, suporte online e presencial, cursos e conteúdos digitais para maior assertividade no uso dos dados, tudo isso por um baixo custo (Zeit, 2019).

Escrever um pouco sobre o funcionamento da tecnologia Nano NIR – preciso de explicações, talvez algum material sobre, de preferência algo que a empresa tenha desenvolvido, direcionado ao funcionamento da análise pelo dispositivo.

 .

Análise do micro ambiente competitivo

Discorrer sobre

Fornecedores   

Tabela fornecida pela empresa, conseguir mais informações.

Concorrentes   

 Ainda preciso coletar mais informações, dados disponibilizados pela empresa.

Do cenário atual, organizamos uma lista de empresas que possuem certa semelhança em atuação ou público-alvo. Assim, listamos algumas empresas de maior destaque, assim como empresas que estiveram presente em eventos ou premiações recentes.

- Leigado – sistema de gestão de todo o processo

- SmartMilk 

- OnFarm - Saúde do Úbere

Empresa com mais tempo de atuação, com tecnologia consolidada e equipe multidisciplinar na gestão da plataforma e tecnologia.

Possui uma equipe própria de profissionais para suporte às fazendas. 

Possuem um custo por vaca um pouco alto, podendo chegar a 600 reais uma fazenda pequena, e entrega resultados em 24h de incubação. Precisa de conhecimento técnico na gestão do equipamento.

Comunicação voltada para o produtor. 

Cowmed – coleira de monitoramento animal

Empresa com vários anos de mercado atuando com produtores de leite. 

Possuem uma equipe grande de suporte técnico e vendedores. Além dos benefícios na gestão da fazenda, entregam resultados sobre cio da vaca, informação valiosa para muitos produtores.

Possuem um valor razoável, de 15 reais por coleira por mês, além de custos de instalação ou manutenção.

Focam a comunicação em conteúdo técnico para produtores, e possuem investimento maior em tráfego pago.

- Bionexus 

Atua em mais áreas além da produção de leite. Se posicionam como uma empresa de gestão de dados. Ainda enfatizam a questão da análise da qualidade dos objetos analisados. A contagem de células somáticas é feita por faixa estimativa, identificando somente potenciais casos de inflamação na glândula mamária, levando em consideração a composição química do leite somadas a sensibilidade à presença do volume de células na amostra, o que ocasiona resultados não tão precisos.Não possuem uma comunicação, e faz pouco mudaram o conteúdo das redes em geral para uma imagem mais ampla do serviço, além da análise do leite.Possuem mais tempo de mercado, e possuem uma tecnologia semelhante, porém menos portátil.

A Zeit oferece um serviço diferenciado das demais empresas já atuantes no mercado, com enfoque no uso de dispositivos portáteis que possibilitam análises químicas a campo e que podem ser utilizados pelo próprio cliente após treinamento da nossa equipe. Além disso, não temos como foco a venda dos dispositivos, e sim oferecer um serviço de análise química com tecnologia avançada aliado ao rápido processamento dos resultados para que a tomada de decisão do nosso cliente seja mais rápida. Dessa forma, ao contrário das empresas acima citadas, a Zeit oferece a análise química na propriedade ou empresa do próprio cliente e, rompe com a ideia tradicional de que esses serviços devem ser feitos em laboratórios, os quais seguem um protocolo padrão e geralmente demorado de coleta e transporte das amostras, processamento e emissão dos laudos, protocolo esse que pode demorar até 15 dias úteis dependendo do laboratório.

 Consumidores

Compilado de informações retiradas dos documentos fornecidos pela empresa, trazer novas considerações ao tópico.

O público principal são produtores agro, seja de grãos ou pecuária leiteira, principais dois recortes da empresa. Um público secundário seriam cooperativas e técnicos que trabalham em cooperativas. Uma vez que a tecnologia de análise não é acessível para a maioria dos produtores, as cooperativas se tornam parte do público por terem capital para investir e técnicos qualificados para realizar as coletas e testes. Para veterinários e produtores leiteiros 

- Principal

Veterinários, zootecnistas e técnicos de fazendas que atendam fazendas de

produção leiteira.

- Secundário

Cooperativas e empresas de laticínios.

- Terciário

Produtores de leite de grande porte com equipes próprias de profissionais.

Análise de marketing

Plano de Marketing 

 Público Alvo 

Cooperativas

Estratégias de Comunicação

Parceiros em potencial

 Mix de Marketing 

4 Ps - DEVE SER ATUALIZADO, PRINCIPALMENTE REFERENTE A PREÇO E PRAÇA

Produto: Por não possuírem produto tangível atualmente, posicionaram a própria empresa como um produto, pensando em seu valor de marca. Possui como objetivo o desenvolvimento de tecnologias que aumentem a produtividade e economizem tempo, por um custo benefício condizente ao disponibilizado pelo consumidor.

Preço: Ainda não possuem método de capitalização definido, porém pensam em adotaro modelo de cobrança de mensalidades aliado a um custo variável ainda não definido, estimando um valor mensal médio de R$250,00, estipulado de acordo com a quantidade de animais da fazenda. O custo de aquisição do equipamento está estimada em um valor de R$ 15 000, investimento alto e inviável para a maior parte dos produtores. Pensando nisso, este equipamento será comercializado apenas para cooperativas, e em cada visita à propriedade (procedimento padrão das cooperativas) o técnico irá realizar a análise juntamente com o produtor, apontando possíveis melhorias que o produtor deveria fazer. Com a adoção de mensalidades, a cooperativa terá retorno total sobre o valor investido ao longo do tempo.

Praça: Neste momento, o mercado está direcionado ao interior do estado do Rio Grande do Sul, onde estão localizadas grande parte das fazendas. A divulgação de conteúdos e o contato com o público será feito nas redes sociais (Facebook e Instagram), o site será a ferramenta principal de captação de clientes, Linkedin por sua vez será utilizado para a atração de possíveis investidores e também para contato com outras empresas, e contarão também com a presença em eventos e rádios, para divulgar a empresa, e posicionar a marca de forma estratégica, visto a qualidade de conteúdo e o conhecimento que sua equipe técnica possui. O contato com as cooperativas estima-se que será feito por uma equipe de vendas.

 Promoção: Em um primeiro momento, a comunicação será feita, predominantemente, de forma não presencial, com o uso de ferramentas online e divulgação em rádio. O site e as redes sociais apresentarão modelo blog, com conteúdo técnico e curiosidades, enquanto anúncios patrocinados são transmitidos na rádio. Essa estratégia foi pensada justamente por ainda não haver a comercialização do equipamento, priorizando o valor da marca como detentora de conhecimento ou know-how, para que se torne ostensiva ao público.

Pessoas: Com o intuito de aumentar o valor da marca e melhorar a percepção de qualidade do produto ofertado, a empresa busca cada vez mais sensibilizar-se à realidade do seu público, agregando valor ao serviço prestado por meio da experiência, entregando soluções, benefícios pessoais e profissionais, bem como a redução de recursos e esforços.

Processos: A empresa deve fazer um estudo para mapear seus processos, para que possa criar uma linha de produção lógica, aumentar a sinergia entre os setores e evitar gastos desnecessários. Uma linha produtiva bem estruturada permite que a empresa possa desenvolver uma relação mais íntima e transparente com seus clientes. (REFAZER)

Prova física: Tratam-se dos aspectos tangíveis do negócio, que contribuem para a experiência dos usuários. Como a empresa ainda não possui um produto disponível para a venda, o uso de diversificação de mídias por meio dos canais de comunicação, em especial aquele que é utilizado para a captura de Leads, deve apresentar personalidade por meio de um layout funcional, apresentando fluidez e também um design que remeta ao serviço que está sendo disponibilizado. (REFAZER - FOCO NOS RESULTADOS JÁ OBTIDOS)

 Diferenciais Competitivos

Equipe altamente qualificada

E é diferente de laboratórios pelo tempo e rastreabilidade

O diferencial da Zeit é a economia de tempo e simplicidade nos processos.

ANÁLISE DE DESEMPENHO

Possuímos relatórios mais completos/ informativos do resultado obtido durante o período de teste na propriedade Santini, ou então rendimentos verificados durante a análise do serviço.

Resultados Produtivos 

 Resultados Financeiros 

 Resultados Qualitativos

Focar nos resultados observados.

Ler texto abaixo e definir o que é interessante para o tópico, acrescentar.

O propósito da Zeit não está na venda dos dispositivos, mas sim na oferta de serviço diferenciado de análise química com tecnologia avançada aliada ao rápido processamento dos resultados para que o tempo necessário na tomada de decisão do nosso cliente seja otimizado. 

A empresa atua no mercado B2B onde, por meio de um hardware portátil e software dedicado, oferece um serviço que permite análises in loco (em campo), obtendo os resultados necessários para auxiliar os clientes na otimização do tempo, planejamento, rastreabilidade e tomada de decisão dos processos. A Zeit oferece um serviço  onde dispositivos portáteis são usados para efetuar as análises químicas em campo, permitindo que o próprio cliente possa operar o sistema após o treinamento feito pela nossa equipe.

Um público secundário seria a participação de cooperativas e técnicos que trabalham em cooperativas. Sabendo que a tecnologia de análise não é acessível para a maioria dos produtores, as cooperativas fazem parte do público por terem capital para investir e técnicos qualificados para realizar as coletas e testes.

Conceitos mais complexos, ou melhoria na tecnologia não costumam ser o foco de pequenos produtores de leite, de modo que, o método de produção sedimentado ao longo de gerações de produtores locais na maioria das vezes é mais artesanal e ultrapassada, do mesmo jeito que seus avôs e avós, pais e mães. Nesse sentido, a Zeit ingressou no ramo leiteiro com o intuito de modificar a forma como o produtor visualiza o rendimento de seus animais e gerencia sua fazenda.

Assim, o objetivo principal da Zeit é simplificar os processos de análise e entregar ao produtor economia de tempo aliada com maior rentabilidade.

Recursos Necessários para Implantação da Tecnologia

Para este tópico, irei necessitar de um "mapa de processos" ou algo do tipo, caso a empresa não possua, construir.

Análise da Matriz FOFA

Quadro 1 — Matriz FOFA
Matriz FOFAO autor (2021)

apresentação de resultados

Proposta de um Plano Mercadológico

5W2H

  • Apresentar a Zeit como referência em tradicionalismo e autoridade no ramo (mostrar que os princípios da Zeit vão ao encontro dos pilares da Cooperativa)
  • Expor as vantagens obtidas ao realizar o monitoramento individual da CCS por meio da apresentação de resultados já obtidos durante as atividades desenvolvidas nas propriedades rurais
  • Estimar/ mensurar ganhos produtivos, qualitativos e financeiros. (Vai depender do tipo de indicador avaliado)
  • Estruturar as etapas de implementação da tecnologia/produto.
  • Definir modelo de negócio a ser proposto (definir nome comercial para o produto, a fim de facilitar a identificação da tecnologia)


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Breve retomada dos assuntos estudados e conclusões que o estudo possibilitou.


Referências

AlmeidaM. de S. Elaboração de projeto, TCC, Dissertação e tese: uma abordagem simples, prática e objetiva. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

AppolinárioF. Dicionário de Metodologia Científica: Um Guia Para a Produção Do Conhecimento Científico . 2. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

ArcuriPedro Braga . Inovação focada no consumidor. Anuário do leite 2020: leite de vacas felizes, São Paulo, 2020. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1124722/anuario-leite-2020-leite-de-vacas-felizes. Acesso em: 7 jun. 2021.

CarvalhoMarcelo Pereira de . Cooperativismo lácteo no Brasil: Desafios e oportunidades. MilkPoint. 2003. Disponível em: https://www.milkpoint.com.br/noticias-e-mercado/giro-noticias/cooperativismo-lacteo-no-brasil-desafios-e-oportunidades-8625n.aspx. Acesso em: 21 jun. 2021.

ChiavenatoI. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações . 10. ed. São Paulo: Atlas, 2020.

CreswellJ. W.. Investigação Qualitativa e Projeto de Pesquisa : Escolhendo entre Cinco Abordagens. 3. ed. Porto Alegre: Penso, 2014.

CruzT. Manual de planejamento estratégico : ferramentas para desenvolver, executar e aplicar. São Paulo: Atlas, 2017.

CunhaPedro Guilherme Vieira. Benefícios do Cooperativismo aos Produtores de Leite: Visão Geral. 2015. Monografia (Administração) - Faculdade de Ceres (facer), Goias, 2015.

FilhoCláudio Bertolli. História da saúde pública no Brasil. 2. ed. São Paulo: Ática, 1998.

GioiaR. M et al. FUNDAMENTOS DE MARKETING: conceitos básicos. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2013. (Coleção de Marketing ; v.1).

Governo Federal. VBP é estimado em R$ 689,97 bilhões para 2020. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. 2020. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/vbp-e-estimado-em-r-689-97-bilhoes-para-2020. Acesso em: 20 jun. 2021.

GuerraAlexandre . A caminho de uma nova ordem. Anuário do leite 2020: leite de vacas felizes, São Paulo, 2020. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1124722/anuario-leite-2020-leite-de-vacas-felizes. Acesso em: 7 jun. 2021.

HaxA. C; MajlufN. S. The Corporate Strategic Planning Process. Interfaces, v. 14, n. 1, 1984, p. 47-60.

KotlerP; ArmstrongG. Principios de Marketing. 15. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2015.

KotlerP; KellerK. L. Administração de marketing. 14. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012. 676 p.

Las CasasA. L. ADMINISTRAÇAO DE MARKETING. 2. ed. São Paulo: Atlas , 2019.

LoboR. N. Gestão Da Qualidade. 1. ed. São Paulo : Érica, 2010.

LozadaG; NunesK. da S. Metodologia Científica . Porto Alegre : Sagah, 2018.

LupettiM. Gestão estratégica da comunicação mercadológica: planejamento. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

Matias-PereiraJ. MANUAL DE METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTIFICA. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

MelloF. R. de. Controle e Qualidade dos Alimentos. Porto Alegre: Sagah, 2017.

Mendes Marcelo Henrique Atta Figueira . Produção higiênica do leite: Boas Práticas Agrícolas. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso ( Especialização Latu Sensu em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal) - Universidade Castelo Branco - Ucb, Brasília, 2006.

MilkPoint. RS: Fundoleite deve injetar R$ 20 milhões no setor lácteo. MilkPoint. 2021. Disponível em: https://www.milkpoint.com.br/noticias-e-mercado/giro-noticias/acordo-sobre-fundoleite-deve-injetar-r-20-milhoes-no-setor-de-lacteo-gaucho-225149/. Acesso em: 22 jun. 2021.

NascimentoSebastião . Sul do país é o maior produtor de leite. Globo Rural, 22 07 2019. Disponível em: https://revistagloborural.globo.com/Colunas/sebastiao-nascimento/noticia/2019/07/sul-do-pais-e-o-maior-produtor-de-leite.html. Acesso em: 20 jun. 2021.

NielsenF. A. G; OlivoR. L. de F; Morilhas L. J. Guia prático para elaboração de monografias, dissertações e teses em administração. São Paulo: Saraiva, 2017. 224 p.

OliveiraD. de P. R. de. Planejamento Estratégico: conceitos, metodologia e práticas. 29. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

RiesJaime Eduardo . Bovinocultura de Leite. Emater RS. Disponível em: http://www.emater.tche.br/site/area-tecnica/sistema-de-producao-animal/bovinos-de-leite.php#.YM2G3mhKjIV. Acesso em: 18 jun. 2021.

Rocha D. T. da ; CarvalhoG. R. Carvalho. Anuário do leite 2020: leite de vacas felizes, São Paulo, p. 12-13, 2020. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1124722/anuario-leite-2020-leite-de-vacas-felizes. Acesso em: 7 jun. 2021.

Rocha Denis Teixeira da ; Carvalho Glauco Rodrigues ; ResendeJoão Cesar de . Cadeia Produtiva do Leite no Brasil: Produção primária. Embrapa Digital. Juiz de Fora, MG, 2020. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/215880/1/CT-123.pdf. Acesso em: 22 jun. 2021.

SalgadoFrancisco Marcos Macedo. O Futuro do Leite no Brasil: Uma análise de ambiente da cadeia produtiva de lácteos. 2013. Dissertação (Programa de Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia do Leite e Derivados) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, 2013.

Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão. Bovinos. Atlas Socioeconômico Rio Grande do Sul. 2020. Disponível em: https://atlassocioeconomico.rs.gov.br/bovinos. Acesso em: 18 jun. 2021.

SertekP; GuindaniR A; MartinsT S. Administração e planejamento estratégico. 3. ed. Curitiba: Editora Ibpex, 2011. (Série Administração Estratégica).

SiqueiraKennya B. Bem-estar animal, sustentabilidade e a relação com o consumidor. Anuário do leite 2020: leite de vacas felizes, São Paulo, 2020. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1124722/anuario-leite-2020-leite-de-vacas-felizes. Acesso em: 7 jun. 2021.

VergaraS. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 16. ed. São Paulo: Atlas, 2016.

VilelaDuarte et al. Pecuária de leite no Brasil: cenários e avanços tecnológicos. Brasília, DF: Embrapa, f. 218, 2016. 435 p.

WilkinsonJ. 1.Padrões de concorrência e regulação na indústria mundial: In: Estudo da competitividade da indústria brasileira: o complexo agroindustrial [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisa Social,: Centro Edelstein de Pesquisa Social, 2008. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em: 7 jun. 2021.

ZügeRoberta . Produção de leite com chancela oficial. Anuário do leite 2020: leite de vacas felizes, São Paulo, p. 84-85, 2020. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1124722/anuario-leite-2020-leite-de-vacas-felizes. Acesso em: 7 jun. 2021.

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica