CONCEPÇÃO EPISTEMIOLÓGICA SOBRE O PROCESSO EDUCATIVO NA ÁREA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DESTACANDO COMO O JOGO QUEIMADA E SUAS VARIANTES SE APLICAM AO HANDEBOL E O REFLEXO DESSA APLICABILIDADE NA DIDÁTICA E NA APRENDIZAGEM INTER E TRANSDISCIPLINAR DO ALUNO.

Instituto Federal Catarinense

CONCEPÇÃO EPISTEMIOLÓGICA SOBRE O PROCESSO EDUCATIVO NA ÁREA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DESTACANDO COMO O JOGO QUEIMADA E SUAS VARIANTES SE APLICAM AO HANDEBOL E O REFLEXO DESSA APLICABILIDADE NA DIDÁTICA E NA APRENDIZAGEM INTER E TRANSDISCIPLINAR DO ALUNO.

ÁLVARO CESAR DE ANDRADE FILHO

Linha de Pesquisa:
Processos Formativos e Políticas Educacionais

Resumo

A proposta para o projeto foi construída e norteada a partir de um olhar histórico/social/pedagógico sobre as limitações sofridas pelo professor de educação física no processo formativo/educativo da Educação no Brasil, bem como a partir de necessidade de adequação da educação escolar a uma realidade que contemple o aprendizado sob uma dinâmica contemporânea, que contemple o jogo aplicado ao esporte como condição para aquisição de conhecimento inter e transdisciplinar.
Através da observação assistemática da aplicação do jogo queimada e suas variantes e do esporte handebol, feitas durante a aula de educação física, poder-se-á estudar possíveis conflitos pedagógicos, tanto em relação a parte prática, como também em relação a parte teórica.
A seriação e repetição da aplicação do jogo é um dos maiores riscos, pois pode contribuir para uma desmotivação dos alunos e dos professores em relação às aulas, daí a importância de se trabalhar a prática pedagógica também em relação as variantes do jogo queimada e sua aplicação no jogo de handebol.
A história da educação brasileira e o modo como a educação física foi concebida em ambiente escolar serão consideradas nas observações e relatórios – identificando como as transformações políticas, econômicas, sociais e ideológicas afetaram e ainda afetam as práticas pedagógicas em educação física dentro do ambiente escolar.
Contextualizar a educação física dentro da história do Brasil e dentro de uma política pública permitirá que o trabalho proposto aconteça valorando a cultura e respeitando as regras do comportamento social atual e local.
Angela Victoria Palma, em sua tese de doutorado, A Educação Física e o construtivismo: a busca de um caminho na formação continuada de professores, apresentou um estudo que retratava a realidade das aulas de educação física em escolas públicas. A autora demonstrou que os professores se encontram em uma grande “confusão epistemiológica”, pensam a partir de pressupostos que não refletem na prática; demonstrando que a educação física está estruturada no fazer, objetivando unicamente o desenvolvimento motor e o gesto técnico-desportivo.
Trabalhar com o jogo queimada e suas variantes aplicadas ao handebol enfatizará como ao conhecimento do aluno pode ser utilizado na prática, mudando o enfoque dos professores e trabalhando conjuntamente uma possibilidade inter e transdisciplinar. Os jogos, por si, compõe um conjunto de possibilidades que ampliam a percepção e interpretação da realidade – podendo ser uma ferramenta importante para se aprender a lógica da tessitura das tramas sociais, bem como compreender suas estruturas, pois neles estão presentes as ideias de liberdade, de espontaneidade, acaso e aleatoriedade, que se materializam sem qualquer forma de predeterminismos
O projeto visa colocar os alunos e professores diante dessa nova abordagem. A metodologia específica, como o número de participantes, o local, os pré-testes, questionário a ser aplicado, serão ainda definidos.
Os resultados serão anotados em relatórios, juntamente com diretrizes e metodologias.

Palavras-chave: jogo, esporte, educação, educação física, interdisciplinaridade, transdisciplinaridade

PROBLEMA

Os professores de educação física, de um modo geral, acabam sofrendo limitações no processo formativo/educativo devido ao contexto histórico e social da Educação no Brasil, bem como devido ao próprio contexto em que a disciplina foi inserida como obrigatória nas escolas.

Como transformar o processo formativo/educativo na área de educação física através do jogo queimada e suas variantes aplicadas ao handebol de modo a incitar a aprendizagem do aluno e a didática do professor cultivando não somente a interdisciplinaridade, mas também da transdisciplinaridade? 

JUSTIFICATIVA

O tema foi escolhido com o intuito de quebrar o estigma que as aulas de educação física trazem consigo. Historicamente no Brasil ela foi enraízada no ambiente escolar com o intuito maior de capacitar os cidadãos física e moralmente.

EstudosAs referências bibliográficas trazidas no projeto não objetivam esgotar o assunto, mas somente oportunizar maior entendimento sobre os processos formativos e de aprendizagem. demonstram que os professores de educação física precisam reciclar seus conhecimentos em processos formativos contínuos para quebrar o estigma histórico, permitindo que os alunos vivenciem uma nova realidade no processo de aprendizagem.

O estudo dos jogosPara o desenvolvimento do trabalho será entendido por jogo atividade que apresente a figura do jogador, do adversário, que exista interatividade, regras, objetivos, condições de vitória, empate e derrota, e que seja uma forma de entretenimento (latim, “jocus”, que significa brincadeira, divertimento).Não obstante, o trabalho pretende associar o vocábulo “jogo” à expressão de ideias e emoções, capaz de estimular os jogadores não só fisicamente, mas também mentalmente, corroborando para o desenvolvimento de habilidades práticas dentro de um papel educativo.

, especificamente a Queimada e suas variantes, aplicados  ao esporte handebol podem contribuir para uma abordagem contemporânea da educação física em ambiente escolar e através da abordagem inter e transdisciplinar contribuir com o processo formativo do professor e para a aprendizagem e integração dos alunos.

A viabilidade técnica acontecerá acontecerá através do jogo queimada e suas variantes, através do esporte handebol, a aplicação da didática apropriada e o coorreto preenchimento de relatórios.

O uso da literatura específica fará parte do processo metodológico para que exista um melhor aproveitamento da análise dos relatórios.

A inter e a transdisciplinaridade será analisada tanto do ponto de vista formativo, como também educacional de aprendizagem.

OBJETIVO

Aplicar o jogo queimada e suas variantes ao esporte handebol redimensionando o papel da educação física dentro do ambiente escolar com a consequente avaliação desempenhada pelo professor e o desempenho obtido pelo aluno, obsevando a inter e transdisciplinaridade.

O jogo queimada e eo esporte handebol serão aplicados dentro do ambiente escolar que resultarão em relatórios de observação e participação, onde evidenciar-se-á  o desempenho obtido e os benefícios aplicados a inter e transdisciplinaridade.

METODOLOGIA

O trabalho desenvolver-se-á através da pesquisa exploratória e descritiva (questionários, relatórios), combinando uma abordagem quantitativa e qualitativa (quali-quanti), proporcionando associar a investigação interativa. O ambiente escolar será utilizado no desenvolvimento do trabalho, juntamente com alunos e professores, que serão definidos após o início do ano letivo, bem como a amostragem.

Os procedimentos acontecerão através da pesquisa de campo, observando os sujeitos que integram o trabalho, analisando as anotações, interpretando-as e relacionando-as com a fundamentação teórica.

A pesquisa de campo pode ser prejudicada por depender da cooperação dos sujeitos envolvidos e de fatores presentes no ambiente escolar.

REFERENCIAL TEÓRICO

 O trabalho não poderia acontecer sem a colaboração de alguns autores e obras clássicas.

A obra Educação de Corpo Inteiro, de João Batista Freire, é um clássico nacional para os professores que atuam com a Educação Física, oferecendo fundamentos teóricos e práticos que valorizam o jogo como recurso para uma intervenção pedagógica capaz de integrar corpo e mente no espaço escolar. Ao longo dos anos a educação física passou por vários momentos distintos, cada qual adequado ao seu tempo e ao objetivo da época e, o foco dos trabalhos da área passou do militarismo ao tecnicismo até outras diversas formas de se desenvolver. João Batista Freire e suas idéias apresentam uma nova visão da educação física escolar no aspecto pedagógico, o qual enfatiza o corpo como um todo se movimentando na relação com o outro e com o ambiente.

Jocimar Daólio, professor recém aposentado da Unicamp, classifica a produção de João batista Freire como uma vertente da pedagogia humanista, em decorrência ao foco principal que é dado
 a infância, sua individualidade, a criatividade e a liberdade individual e propõe “uma redescoberta do corpo, na qual a educação física é o carro chefe de uma educação conscientizadora”DAOLIO, J. Educação física brasileira: autores e atores da década de 1980. Campinas, Papirus, 1998. p.48.

Autores como David Gallahue e Frances Donnelly são extramente valiosos para a pesquisa e para a releitura da educação física na contemporaneidade.

Há outros autores que colaboraram para que o projeto “tomasse corpo”, como Lino de macedo, Adriano Rossetto, Irene Conceição Rangel. 

Os autores acima, entre outros citados nas referências bibliográficas trouxeram a contextualização de como a educação física escolar e suas diferentes abordagens evoluíram ao longo do tempo, subsidiando o trabalho com conteúdos atitudinais, procedimentais e conceituais.

Marco Paulo Stigger e Hugo Lovisolo também contribuiram para que o projeto se concretizasse, em sua obra Esporte de Rendimento e Esporte na Escola, expondo de maneira bastante didática a razão pela qual o esporte é um dos conteúdos mais privilegiados nos currículos da educação física.

Gaudêncio Frigotto, também contribui com suas obras questionadoras, intrigando com as novas demandas da educação.

Os autores acima citados não têm a intenção de esgotar a fonte de referenciais teóricos, apenas de afirmá-los como indispensáveis para a concretização do ideal que este trabalho representa.

Importante ainda mencionar que foram utilizados os manuais que trazem os jogos e o esporte handebol, que se apresentam como parte fundamental para o projeto, haja vista serem a base na adequação da proposta e o elo inter e transdisciplinar.


RESULTADO ESPERADO

O trabalho busca demonstrar a possibilidade de uma didática fundamentada no conhecimento do aluno. 

Ainda, visa revelar a necessidade de integração entre as disciplinas e a real possibilidade do jogo queimada e suas variantes aplicadas ao handebol idealizarem o rompimento com uma organização de ensino fragmentada e desarticulada, em que os currículos escolares são constituídos por compartimentos estanques e incomunicáveis, que produzem uma formação humana e profissional de alunos e professores insuficiente para o enfrentamento das práticas sociais que exigem formação mais crítica e competente.

1

2

CRONOGRAMA

Cronograma

ETAPAjan fev mar abrilmaio  junjul agos set 
REVISAO BIBLIOGRÁFICA         
SELEÇÃO DE FONTES         
ANÁLISE INTEGRATIVO DE PROJETO         
CONTATOS COM O ORIENTADOR         
PRIMEIRA VERSÃO DO ORIENTADOR         
REVISÕES         
DEFESA DE DISSERTAÇÃO         
ENTREGA VERSÃO FINAL       

O autor (2019)

*** A ser definido com orientador. Como o projeto apresenta pesquisa de campo – necessário compatibilizar horários de ano letivo.

Referências

ALTMANNHelena. Educação física escolar: Relações de Gênero em Jogo. Cortez, 2015. (Coleção Educação & Saúde). Disponível em: eBook Kindle. Acesso em: 3 Ago. 2019.

ASSIS DE OLIVEIRASávio. Reinventando o esporte: Possibilidades da prática pedagógica. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

BREGOLATORoseli Aparecida. Cultura Corporal do Jogo. São Paulo: Ícone, 2005.

BROTOFábio Otuzi. Jogos Cooperativos: O jogo e o esporte como um exercício de convivência. 4. ed. Palas Athena, 2013.

CAMARGOJosé Carlos  (Coord.). Coleção Educação Física Escolar. 2. ed. Esporte e Educação Ltda, v. I – VI, 1978.

CASTELANI FILHOLino. Educação Física no Brasil: A História que não Se Conta. 19. ed. Papirus, 1989.

Coletivo Autores. A Cultura Corporal em Questão. Scielo. Revista Brasileira de Ciencia e Esporte, 2011, p. 391-411. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbce/v33n2/08.pdf. Acesso em: 1 Ago. 2019.

DAOLIOJocimar. Da Cultura do Corpo. 17. ed. Papirus, 1995.

DAOLIOJocimar. Educação Física e o Conceito de Cultura. 3. ed. 2010.

de MACEDOLino; PETTYAna Lucia; PASSOSNorimar. Aprender com Jogos e Situações-Problema. Artmed, 2000. Disponível em: . Acesso em: 18 Ago. 2019.

de OliveiraAssis. Reinventando o esporte: Possibilidades da prática pedagógica. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

EHERTArno. Manual de Handebol: Treinamento de Base Para Crianças e Adolescentes. Phorte, 2000.

FAZENDAIvani. O Que é Interdisciplinaridade. Cortez, 2013.

FREIREJoão Batista. Educação de Corpo Inteiro. 4. ed. Scipione, 1994.

FREIREJoão Batista. Oficina de Jogos. Avercamp, 2013.

FRIGOTTOGaudêncio et al. Interdisciplinaridade: Para Além da Filosofia do Sujeito. 9. ed. Vozes, 2011.

FRIGOTTOGaudêncio. A produtividade da escola improdutiva. 4. ed. Cortês, 1993.

GALLAHUEDavid Lee. Motor development: A descriptive and analytical perspective. Prentice Hall , 1982.

GALLARDOJorge Sergio Perez; outros. Didática de Educação Física: A criança em movimento. Ftd, 1998.

GATTIBernardete; BARRETOElba de sá; ANDRÉMarli E. D. de Afonso. Politicas Docentes no Brasil. bRASÍLIA: uNESCO, 2011.

GRECOPablo Juan. Manual de Handebol: Da Iniciação ao Alto Nível. Phorte, 2012.

GUIRALDELLPaulo. História da Educação. Cortez, 1991.

HABERMANNJosiane; ALBERTINIConceição. As Normas Da ABNT em Trabalhos Academicos: TCC, dissertação e tese. GLOBUS, 2016.

KISCHIMOTOTizuko Morchida. Jogos tradicionais Infantis : o jogo, a criança e a educação. Petrópolis: Vozes, 1983.

KUNTZEleonor. Transformação didático-pedagógica do esporte. 6. ed. Unijuí, 2004.

KÄSLERHorst. Handebol: Do Aprendizado ao Jogo disputado. Reimpressão. ed. Rio de Janeiro: Ao Livro técnico S/A – Indústria e Comércio, 1980. 148 p.

LIBÂNEOJosé Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 28. ed. Loyola, 1985.

MARCELINONelson Carvalho. Lúdico, educação e educação física. 2. ed. Unijuí, 2006.

MAY BERKENBROCK-ROSITO Margaréte; HASSCélia Maria. Interdisciplinaridade e Transdisciplinaridade. Wak, 2014.

MENDES MAIAMayara Cristina. Grupo de Estudos sobre esporte, cultura e história. Porto Alegre – UFRGS: Cloeção Greco, 2017.

PALMAAngela Victoria. A Educação Física e o construtivismo: a busca de um caminho na formação continuada de professores. Campinas, SP, 2001. Tese (Educação Física – Programa de Formação Inicial de Professores – Para Atuação no Ensino Fundamental e Médio)UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS.

ROSSETTO JuniorAdriano. Práticas Pedagógicas Reflexivas no Esporte Educacional: Unidade Didática Como Instrumento de Ensino e Aprendizagem. 2. ed. Phorte, 2012.

SAVIANIDemerval. Escola e Democracia. Edição Comemorativa. ed. Autores Associados, 2008.

SEVERINOAntonio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 24. ed. Cortez, 2018.

´CAMARGOJosé Carlos (Coord.). Treinamento Esportivo: Jorge de Hegedus. Esporte e educação, v. I – V, 1978. (Coleção Educação Física Escolar).

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica