CASO PRÁTICO

Sua universidade

CASO PRÁTICO

LUCIANA LOPESFUNIBER

A ,partir da leitura do Caso Prático anterior, responda as seguintes perguntas:

1.Quais elementos do Fordismo continuam vigentes na maioria das instituições?

Podemos enxergar ainda hoje nas organizações alguns elementos do fordismo ainda que não de forma totalitária, como produção em massa, a descrição de cargos, a relação tempo- produtividade e o planejamento de fluxos de trabalho são algumas das características ainda presente em muitas empresas.

O que podemos perceber ainda mais é que esta predominância se apresenta em percentual maior de empresas pequenas e/ou familiares que são comprovadamente mais resistentes à mudanças disruptivas.

Mesmo no cenário atual, onde a pandemia obrigou - nos a repensar a questão da presencialidade, do controle visual do colaborador ainda houveram empresas instalando sistemas de controles de ponto remotos por exemplo.

Em alguns modelos de negócio o fordismo é a chave do sucesso. Podemos usar como exemplo as redes de fast food, onde  a produção padronizada, em massa e mensurada por tempo é a métrica de funcionamento do negócio.

2.Como você enfrenta as mudanças em seu campo profissional? Elas são radicais? Significaram a perda de emprego? 

De modo pessoal posso relatar que as mudanças no meu campo profissional têm sido bastante condizentes com o cenário de um mundo VUCA. Hoje não basta apenas ser gestor de um setor, mas é preciso ser gestor de processos de forma ágil (de onde surge a necessidade do conhecimento das metodologias ágeis), ser capaz de conhecer as demandas de outros setores para atuar de forma integrada e ser leitor do ambiente externo e do cliente para que o foco da sua atuação comtemple a junção entre o atendimento dos objetivos da empresa, do colaborador e do cliente externo

Em meu caso não implicou em perda de posicionamento no mercado de trabalho mas sim numa reinvenção do meu papel enquanto profissional.

3.Como gerar lealdade em um ambiente profissional no qual a rotatividade de pessoas nos postos de trabalho é muito alta e muito rápida? 

Inicialmente devemos considerar que o conceito de lealdade no trabalho também mudou conforme o tempo. 

A definição clássica de lealdade organizacional pode ser exemplificada pela cena do colaborador que se aposenta na empresa que iniciou a sua vida laboral, ou que mesmo com insatisfações ou propostas melhores tem um sentimento de gratidão ou de aprisionamento com a empresa a quem está vinculado. Esse cenário bem comum até os anos 80, com a chegada das gerações X, Y, Z e os millenials atualmente desfizeram todo esse conceito. 

Criar uma lealdade nessas gerações, especialmente nos millenials significa exercer uma liderança transformadora, circular e criativa. A lealdade organizacional hoje não perpassa por valores financeiros ou totens estáticos de representatividade, mas está na entrega de um projeto coletivo em que cada membro da equipe realmente se sinta parte fundadora e integrante. Somente assim é possível despertar lealdade em uma equipe, ainda que com grande rotatividade, mesmo em equipes de projetos por exemplo, com datas de início e fim definidas.

4.Elabore um esquema apresentando cinco vantagens e cinco desvantagens da organizações flexíveis.

Vantagens:

  • Organização do trabalho em vários grupos interdisciplinares e autônomos com a  inclusão de diversos profissionais na tomada de decisões;
  • Comunicação totalmente horizontal entre os departamentos ;
  • Gerentes hierárquicos substituídos por “donos” de processos (process owners);
  • Operação flexível e focada nos propósitos da organização;
  • Maior proximidade do consumidor final e suas necessidades. 

Desvantagens:

  • implementação mais complexa pois requer clara comunicação dos objetivos e a percepção de unidade e pertinência da equipe ao processo;
  • mudança do mindset da empresa e dos colaboradores
  • investimento em treinamentos e capacitações contínuas
  • maior frequência de processos avaliativos de resultados e alcance de metas e objetivos
  • necessidade de amadurecimento da equipe enquanto autonomia, visto que numa organização flexível em muitas das vezes não há o controle vertical de uma liderança definida a quem se pode culpabilizar integral e individualmente pelo fracasso.

Vale a pena ressaltar que as desvantagens seriam melhor definidas como dificuldades de processo, que terão maior ou menor impacto na organização em relação direta com a predisponibilidade dos colaboradores em todos os níveis e lideranças em abandonar o padrão tradicional de orientação e se voltarem à uma gestão cíclica, coletiva e baseada no ciclo PDCA por exemplo ou em metodologias como o Scrum.

5.Pesquise e reflita sobre a utilidade e a aplicação dos seguintes termos no contexto organizacional:

a) Downsizing.- é uma técnica de administração contemporânea que, de acordo com Caldas (2000), surgiu nos Estados Unidos na década de 1970, com o principal objetivo de diferenciar a competitividade entre as organizações. Após uma década, chegou ao Brasil com a tentativa de reestruturar as organizações, a fim de atingir a eficiência de custos e a tentativa de eliminação da burocracia corporativa desnecessária, provocando assim um achatamento na pirâmide hierárquica.

Uma de suas implicações são os desligamentos de funcionários mas considerando o panorama mundial que determina eficiência e eficácia com o menor custo acabou se tornando uma prática necessária. 

Está intimamente ligada à redefinição de cargos, tarefas e até mesmo do conceito de trabalho no século XXI.

b) Rightsizing - Enquanto o downsizing tradicionalmente vem com as demissões, os defensores do rightsizing procuram primeiro os meios mais positivos de redução do trabalho. Isso inclui oferta de aposentadoria antecipada, movimentações laterais internas, adiantamento de férias e congelamento das contratações. O próximo passo é liberar aqueles que passam muito tempo doentes e os que possuem baixo desempenho. Só então uma empresa considera as demissões. Pode ser compreendida grosseiramente como uma racionalização dos custos da empresa no que tange ao setor de pessoal.

c) Reengenharia -  A Reengenharia organizacional constitui o replanejamento, ou seja, repensar a empresa como um todo, traçando novas estratégias competitivas visando naõ sóa sobrevivência da mesma mas sua permanência de modo relevante no mercao. Já a Reengenharia de processos, enxuga os processos ou procedimentos e, por fim, a Reengenharia cargos atua com  alterações das funções de modo a aumentar a contribuição de cada colaborador de acordo com os objetivos estratégicos da organização.

d) Outsourcing - trata -se da contratação de uma empresa externa para desenvolver uma área específica da empresa raiz. Comumente usada em setores de TI, hoje já é utilizada em áreas de vendas e marketing, seja por necessidade de um know how que a empresa raiz não possui ou por se tratar de atividades que não são rotineiramente desempenhadas na mesma.

Referências

. In: Maria Inês CasertaScatena. Ferramentas para a moderna gestão empresarial: teoria,implementação e prática. 1. ed. São Paulo: Dialógica, 2012.

. In: Orr ewingAmy. Millenials: reaching e releasing the rising generation. Upfront Publishing, 2010.

CAMPOSV F. TQC: Controle da Qualidade Total (no Estilo Japonês). 2. ed. Rio de Janeiro: Bloch, 1992.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica