AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES COM OSTEOARTROSE DE QUADRIL SUBMETIDOS À ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA SANTA CASA DE SÃO PAULO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES COM OSTEOARTROSE DE QUADRIL SUBMETIDOS À ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL

maria carolina valencise

Orientador:
Claudio Cazarini Junior

Resumo

Introdução: A osteoartrose (OA) é a doença musculoesquelética mais prevalente, comum na população idosa, e está se tornando a principal causadora de incapacidade em todo o mundo. A OA de quadril é a causa mais comum de dor no quadril em adultos, com idade maior que 50 anos. Caracterizada como uma degeneração crônica da articulação, proveniente do desgaste da cartilagem articular do quadril. Pacientes com AO de moderada a grave apresentam performance funcional de 28 a 50% pior, e diminuição da amplitude de movimento do quadril, geralmente flexão e rotação interna, da capacidade de caminhar e da qualidade de vida comparado com indivíduos saudáveis. A artroplastia de quadril é uma forma de tratamento comum para osteoartrose grave, tendo como primeira indicação a dor e perda de função. Objetivo: Avaliar se a artroplastia de quadril promove mudança na qualidade de em para pacientes com osteoartrose de quadril. Metodologia: foi realizada uma revisão de literatura por ensaios clínicos coletados nas bases de dados pubmed, Pedro e Scielo, totalizando 669 artigos, e após passar pelos critérios de exclusão, restaram 6 para desenvolvimento desse estudo. Resultados: A artroplastia de quadril promove melhora da qualidade de vida em pacientes com osteoartrose de quadril, com resultado significativo no primeiro ano de pós operatório. Conclusão: Conclui-se que a artroplastia de quadril promove melhora da qualidade de vida em pacientes com osteoartrose de quadril, e deve ser indicada, porém, depois de tentativa de tratamento conservador e falha do mesmo, por ser um procedimento invasivo e com riscos, principalmente para pacientes idosos que tem maior risco em desenvolver complicações, aumento do tempo de hospitalização e de mortalidade.

Palavras-chave: Artroplastia de quadril, osteoartrose, quaidade de vida.

Abstract

Introduction: Osteoarthritis (OA) is the most prevalent musculoskeletal disease, common in the elderly population, and is becoming the main cause of disability worldwide. Hip OA is the most common cause of hip pain in adults over the age of 50. Characterized as a chronic degeneration of the joint, resulting from the wear of the articular cartilage of the hip. Patients with moderate to severe OA have 28 to 50% worse functional performance, and decreased hip range of motion, usually flexion and internal rotation, ability to walk and quality of life compared to healthy individuals. Hip arthroplasty is a common form of treatment for severe osteoarthritis, with pain and loss of function as the first indication. Objective: To evaluate whether hip arthroplasty promotes a change in the quality of in for patients with hip osteoarthrosis. Methodology: a literature review was carried out by clinical trials collected in the pubmed, Pedro and Scielo databases, totaling 669 articles, and after going through the exclusion criteria, six remained for the development of this study. Results: Hip arthroplasty improves quality of life in patients with osteoarthritis of the hip, with a significant result in the first year after surgery. Conclusion: It is concluded that hip arthroplasty improves quality of life in patients with hip osteoarthrosis, and should be indicated, however, after an attempt at conservative treatment and its failure, as it is an invasive and risky procedure, mainly for elderly patients who are at higher risk of developing complications, increased lenght of stay and mortality.

Keywords: Hip Arthroplasty, ostheoarthritis, quality of life.

Introdução

A osteoartrose (OA) é a doença musculoesquelética mais prevalente, comum na população idosa, e está se tornando a principal causadora de incapacidade em todo o mundo, gerando custos econômicos e sociais, sendo responsável por cerca de 80 a 90% dos quadris e joelhos substituídos por prótese nos Estados Unidos e Reino Unido. Aproximadamente 5 a 11% da população mundial apresenta osteoartrose de quadril, e a prevalência é de 0,4 a 27%, aumentando conforme o avanço da idade 1, 2, 3, 4, 7.

A OA de quadril é a causa mais comum de dor no quadril em adultos, com idade maior que 50 anos 7 . Caracterizada como uma degeneração crônica da articulação, proveniente do desgaste da cartilagem articular do quadril (5). Apesar da destruição da cartilagem ser a característica principal desta doença, os conceitos atuais estão demonstrando que é apenas um dos fatores da afecção, a qual envolve todas as estruturas articulares, dentre elas a sinóvia e o osso subcondral, levando a dor e rigidez articular 3, 4, 1,5.

A etiologia da AO é complexa, e provém de vários fatores, como genética, fatores biomecânicos, bioquímicos e imunológicos 1,3. Além do sexo e idade, a obesidade têm sido demonstrada como o principal fator de risco para o desenvolvimento e evolução da OA no quadril, bem como, a alta taxa de densidade mineral óssea no colo femoral, e o baixo nível de pressão sistólica sanguínea. As alterações metabólicas (colesterol, diabetes, triglicérides) quando apontadas são diretamente ligadas ao IMC, mas não há um consenso sobre sua causalidade 6.

Pode ser classificada em tipos primários e secundários, na primária a doença é de origem idiopática (sem causa conhecida) e geralmente afeta múltiplas articulações em uma população relativamente idosa. A OA secundária geralmente é uma condição monoarticular resultante de um distúrbio definido que afeta a superfície articular da articulação (por exemplo, trauma) 8.

Outras classificações também são utilizadas, como a de Bombelli, que a categoriza por etiologia, morfologia, reação biológica e ADM; a de Kelgreen e Lawrence que classifica de acordo com as alterações radiográficas, em 5 graus, e a de Tonnis que classifica em 4 graus, desde nenhum sinal de osteoartrose até osteoartose grave, sendo a última mais amplamente utilizada e aceita. 9,10, 12.

Dor, rigidez, alterações funcionais e da marcha, e consequente limitação das avd’s, são os principais sinais e sintomas. Pacientes com AO de moderada a grave apresentam performance funcional de 28 a 50% pior, e diminuição da amplitude de movimento do quadril, geralmente flexão e rotação interna, da capacidade de caminhar e da qualidade de vida comparado com indivíduos saudáveis 4, 6, 11, 7.

A artroplastia de quadril é uma forma de tratamento comum para osteoartrose grave, tendo como primeira indicação a dor e perda de função. Na fase pré operatória, uma diminuição de adm e de capacidade funcional prediz pouca recuperação pós operatória da funcionalidade e qualidade de vida 11, 13.

Objetivo

    Avaliar se a artroplastia de quadril promove mudança na qualidade de em para pacientes com osteoartrose de quadril.

Metodologia

Para esta revisão bibliográfica as bases de dados utilizadas foram: PubMed, Pedro e Scielo, e os descritores nos idiomas inglês e português, respectivamente, artroplastia de quadril, qualidade de vida, osteoartrose, hip arthroplasty, quality of life e osteoarthritis. A partir desta coleta foram selecionados 669 artigos, sendo que estes passaram por critérios de exclusão.

Os critérios de exclusão foram: artigos que não estivessem na língua portuguesa ou inglesa, tipo de estudo (artigos que não eram ensaios clínicos), artigos sem relevância com o tema deste trabalho (pacientes com artroplastia não decorrente de osteoartrose, que não avaliassem a qualidade de vida, artigos em que os pacientes em espera para a ATQ ou com comorbidades e doenças neurológicas, e artigos que focassem em fatores cirúrgico), publicados há mais de cinco anos, amostra populacional composta de adultos jovens, artigos sem acesso, e com nota Pedro menor que sete.

Coleta de dados
Coleta de dadosO autor (2020)

Discussão

A escolha do tratamento, fármacos, fisioterapia, exercícios, injeções ou cirurgia, para pacientes com osteaortrite é dependente de alguns fatores como a expectativa em relação aos benefícios e riscos, a acessibilidade, custos e possibilidade de investimento, suporte dos serviços de saúde e do ambiente social do paciente, e de fatores pessoais: idade, comorbidades, peso corporal, experiências prévias de tratamentos.22

A artroplastia de quadril promove melhores resultados em termos de dor, função e mobilidade, e consequentemente qualidade de vida, com resultados superiores à artroplastia de joelho 23. Assim como todos os trabalhos demonstraram, sendo que, foi evidenciado melhora mais significativa durante o primeiro ano de pós operatório, em especial primeiros 6 meses com manutenção dos resultados depois de 5 anos 16, 18, 19, 20, isso pode ser explicado pelo fato da artroplastia de quadril ser um dos maiores avanços no tratamento das doenças ortopédicas e uma das cirurgias mais feitas no mundo23.

Entretanto, os riscos artroplastia total de quadril não deve ser banalizados, embora a ATQ seja relatada na literatura como uma intervenção relativamente segura, um estudo mostrou que 79,5% dos pacientes apresentaram alguma complicação, no total de 229 complicações clínicas durante o período de internação24. As complicações relatadas são: TVP, luxação do quadril, infecção, lesão nervosa e vascular. A TVP é a mais frequente, e a luxação de quadril a responsável pelo maior número de revisões cirúrgicas, bem como foi demonstrado no estudo de Haohan Zhai et al. em que 6.7% apresentaram complicações, e por Eberhard von Rottkay et al. que evidenciou 7.8% de pacientes que sofreram lesão do nervo femoral lateral. A população idosa é a mais propensa a desenvolver alguma complicação, ficar em maior tempo de hospitalização, segundo Y. Matsunaga-Myoji et al. em torno de 5%, e a que mais apresenta maiores taxas de mortalidade, em torno de 6,9% 23, 16, 20, 18, 25 .

A necessidade de artroplastia deve ser resultado de falha de tratamento conservador, assim como os pacientes dos estudos de Y. Matsunaga-Myoji et al. e Audrey Neuprez et al. que anteriormente à artroplastia foram submetidos ao tratamento conservador, este realizado, por meio de fisioterapia, exercícios, e fármaco,s tem efeitos positivos propiciando melhora da dor, mobilidade, função e qualidade de vida, e devem ser o tratamento de primeira escolha, caso o paciente não responda ao tratamento, e haja progressão da doença e sintomas, a artroplastia, depois da tentativa de tratamento minimamente invasivo, como a artroscopia, deve ser intervenção proposta 26, 18, 19, 27.

Conclusão

Conclui-se que a artroplastia de quadril promove melhora da qualidade de vida em pacientes com osteoartrose de quadril, e deve ser indicada, porém, depois de tentativa de tratamento conservador e falha do mesmo, por ser um procedimento invasivo e com riscos, principalmente para pacientes idosos que tem maior risco em desenvolver complicações, aumento do tempo de hospitalização e de mortalidade.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica