AULA – 4

UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA

AULA - 4

Andresa pires de oliveira - 23558288

dayane silva brito - 25184954

larissa costa silva - 25248448

miriani garcia bonfim - 24756598

rodrigo guido - 25062646

rosane braga - 25078585

tiago alef da silva - 24875864

viviane principal de freitas - 25222317

Professora: Marcia Regina Pinez Mendes

Resumo

Em laboratório de avaliação física e funcional estudamos vários tópicos abordando a parte prática da fisioterapia, começando por avaliar o paciente desde o primeiro momento, quando ele entra na sala até a saída, avaliando sua condição física e psicológica, além de abordar outros assuntos de extrema importância como a existência de outras doenças, histórico da moléstia até a atualidade, e escala de dor, a partir de uma anamnese bem completa faremos a avaliação física e funcional afim de avaliar a força muscular, mobilidade e incapacidade, além da presença de edemas entre outros, aprendemos à respeito do material usado na atuação do fisioterapeuta, a finalidade de cada um e como usá-los.

.:

Introdução

A anamnese e a avaliação física são indispensáveis na vida diária do fisioterapeuta, na avaliação podemos usar recursos de aparelhos específicos ou mesmo manuais, como por exemplo, a palpação, através delas conhecemos melhor os pacientes e conseguimos reunir elementos essenciais para decidir o melhor método a ser usado, avaliação fisioterapêutica é um procedimento que deve ser realizado antes do início de qualquer tratamento na fisioterapia. A avaliação é responsável por compreender o verdadeiro estado físico do paciente, identificar dificuldades e habilidades, possíveis aspectos físicos, motores, sensitivos e funcionais. Ela deve ser sempre o primeiro passo para preparar ou decidir qual tipo de tratamento seguir em cada caso.

No desenvolvimento deste trabalho abordaremos a conduta a ser seguida pelo fisioterapeuta, os materiais de trabalhos usados, qual a finalidade de cada um e como fazer o manuseio de cada um deles.

Anamnese


Anamnese é o termo utilizado dentro da área da saúde, que tem como objetivo em fazer uma entrevista junto ao paciente, afim de traçar um diagnóstico, com bases na informação do paciente.

A Ficha de anamnese, faz parte da ficha do paciente ou prontuário. Na anamnese dever conter a queixa principal, história da moléstia atual, diagnostico médico, doenças associadas e familiares, laudos dos exames complementares e tratamentos realizados. Em relação aos sintomas, são abordadas características de eventuais parestesias (tipo, intensidade e duração), dor (caráter e duração) e intensidade dolorosa segundo escala numérica.

Figura 1 — Ficha de anamnese
Ficha de anamnesehttps://www.google.com/search?q=ficha+de+anamnese+fisioterapia+completa&tbm=isch&source=iu&ictx=1&fir=iPvK4DqAAUl40M%252Czfmg-Z8hTp29vM%252C_&vet=1&usg=AI4_-kRhGLtsIgKI1tErCVwYfERO58pxgA&sa=X&ve

Dinamômetro

Dinamômetro é um instrumento utilizado para medir a intensidade

da força, essa intensidade pode ser medida em quilograma-força ou

em newton(N) conforme a SI.

Esse dispositivo é composto por:

● Estrutura

● Mola

● Gancho em uma das extremidades da mola

● Graduação na estrutura

Em uma das extremidades da mola encontra-se presa a

estrutura e em outra extremidade, o gancho, que se localiza

fora da estrutura.

Como se utiliza esse equipamento ?

O dinamômetro é baseado na deformidade de uma das

molas, ou seja, ela recebe uma carga de força causando a

deformidade, da mola localizada na extremidade de fora do

aparelho, dessa forma a intensidade da força é indicada na

estrutura do dinamômetro.

Com o uso desse aparelho conseguimos medir a capacidade

muscular máxima e media de nossos pacientes tanto em

membros superiores quanto membros inferiores.

Tipos de dinamômetros

Figura 2 — Dinamômetro digital de mão
Dinamômetro digital de mãohttps://instrutemp.com.br/dinamometro-para-que-serve-e-como-funciona/

Figura 3 — Dinamômetro digital
Dinamômetro digitalhttps://elastic.fit/blog/dinamometro-para-avaliacao-fisica-na-fisioterapia/

Goniometria

A goniometria é a forma de realizar a medição da amplitude de movimento (ADM), onde se estabelece o grau de amplitude para cada articulação do corpo humano, onde pode estabelecer o valor máximo da amplitude que um individuo pode realizar. O nome deste instrumento é goniômetro, que é um instrumento especifico para mensurar os ângulos e movimentos das articulações.

É possível encontrar diferentes modelos de goniômetros. Sendo os mais comuns, no material em acrílico e metálico. Existem também goniômetros, para articulações menores, como exemplo, as articulações dos dedos.

O goniômetro é um instrumento de baixo custo, e de baixa complexidade quanto a sua utilização. Não precisa ser descartado, pois é possível esterilizar com álcool 70. Pode sofrer avarias, caso sofra uma queda, mas em geral é um instrumento de boa durabilidade.

O goniômetro universal é o mais utilizado, e é formado pelo braço fixo ou estacionário, pelo braço móvel e pelo corpo do círculo. Suas características estruturais e de uso são:

⦁ um parafuso liga o braço móvel ao braço fixo e ao corpo do círculo;

⦁ o eixo do braço fixo deve estar alinhado com o segmento adjacente à articulação estudada;

⦁ o braço móvel se movimenta de acordo com o movimento da articulação;

⦁ o braço fixo fica parado, enquanto o braço móvel que faz o movimento;

⦁ a articulação que será avaliada deverá ser colocada em posição inicial de zero grau;

⦁ para avaliação correta, deve-se permitir uma amplitude de movimento completa

Goniômetro

O goniômetro é um instrumento utilizado pelo fisioterapeuta, ao qual irá servir de referencia e orientação ao fisioterapeuta, para entender a real situação do paciente, como o grau de amplitude e flexibilidade, para que o fisioterapeuta, possa realizar o diagnostico de forma precisa e estabelecer e decidir qual melhor protocolo a ser realizado no paciente, quando houver alguma disfunção, ou para que o fisioterapeuta, conclua que não há nenhuma disfunção na articulação.

Os outros objetivos da goniometria são:

⦁ estabelecimento de um diagnóstico músculo-esquelético;

⦁ estabelecimento dos objetivos do tratamento;

⦁ direcionamento da fabricação de órteses;

⦁ avaliação da melhora ou recuperação funcional;

⦁ modificação do tratamento.

A amplitude de movimento de todas as articulações do corpo podem ser mensuradas com o uso do goniômetro. Para isso, o examinador precisa ter conhecimentos referentes a:

⦁ conhecimento dos valores de referência normais para cada segmento;

⦁ posições recomendadas para a realização do teste;

⦁ estabilização necessária para cada avaliação;

⦁ limites ósseos anatômicos;

⦁ alinhamento correto do instrumento;

⦁ determinação do fim da amplitude de movimento (sensação final);

⦁ palpação adequada dos pontos anatômicos.

Para cada articulação avaliada, existem diferentes itens de avaliação: flexão, extensão, abdução, adução. Antes da realização do exercício, é preciso explicar ao paciente o que será realizado e qual movimento ele deve fazer.

Figura 4 — 3.1 Goniômetro em acrílico
3.1 Goniômetro em acrílicohttps://www.santaapolonia.com.br/produtos/goniometro-acrilico-20cm-carci-393200

Figura 5 — 3.1 Goniômetro pequenas articulações
3.1 Goniômetro pequenas articulaçõeshttps://loja.carci.net/sh5100

Termômetro

Termômetro é um instrumento, utilizado na medicina que tem a capacidade de aferir a temperatura do corpo humano.

Existem diversos modelos de termômetros no mercado, podendo registrar a temperatura, através da boca (via oral), preso na axila, tímpano ou pelo ânus. O termômetro mais utilizado é o termômetro clinico, que pode ser analógico, digital ou infra vermelho. As faixas de temperatura, costumam medir de 34°C à 43°C.

Os termômetros mais conhecidos são:

⦁ Termômetro de mercúrio

⦁ Termômetro digital

⦁ Termômetro de cristal liquido

Figura 6 — 4 termômetro digital
4 termômetro digitalhttps://www.hospinet.com.br/termometro-clinico-digital-incoterm-a-prova-de-agua/p

Figura 7 — 4 - Termômetro com mercúrio
4 - Termômetro com mercúriohttps://noticias.r7.com/saude/ministerio-proibe-termometro-e-aparelho-de-pressao-com-mercurio-27122018

ESTADIÔMETRO

O Estadiômetro é o equipamento mais indicado para realizar a *mensuração da estatura durante uma avaliação física.

*Meio de investigação empregado em medicina e em antropologia para determinar certas dimensões ou para localizar determinados pontos anatômicos.

Para que serve o Estadiometro?

É um aparelho utilizado para realizar uma avaliação física mais completa possível. É uma régua vertical com uma ponteira móvel. O estadiômetro é usado para medir a estatura das pessoas.

Para medição da estatura serão adotados os seguintes procedimentos: - Encaixada nessa régua, fica uma ponteira, que é móvel O participante deverá estar descalço (ou com meias); posicionar o participante no centro do equipamento; Mantê-lo de pé, ereto com a coluna retinha, com as pernas e pés paralelos, braços estendidos ao lado do corpo, assim é possível medir a altura exata, que vai aparecer na régua apontada pela ponteira.

Esclarecimentos:

A estatura é a medida da altura de um ser humano. As medidas de altura possuem muitas unidades de medida, porém as mais comuns são em metros/centímetros e em pés/polegadas. De maneira simples a altura é quantos metros e quantos cms você tem. Estatura é "baixa, média, ou alta".

A altura, como medida, é a dimensão de um corpo considerado verticalmente. É semelhante à altitude, exceto no referencial. Enquanto a altitude usa como referencial o nível médio do mar, a altura vai desde a base de um corpo até a extremidade, mas é variável, embora normalmente o sujeito esteja sobre o solo.

Figura 8 — 5- ESTADIÔMETRO PORTÁTIL
5- ESTADIÔMETRO PORTÁTILhttps://www.viveestore.com.br/estadiometro-portatil-avanutri

Estetoscópio

O estetoscópio é um instrumento utilizado por diversos profissionais, como médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, nutricionistas e veterinários, para amplificar sons corporais de humanos ou animais. É geralmente constituído de um ressonador em forma de disco e dois tubos conectados a olivas auriculares.

Através do material didático da Cruzeiro do Sul e do site Wikipedia, podemos identificar que é comumente usado para escutar sons provenientes do pulmão (ruídos adventícios), coração (bulhas cardíacas) e intestinos (presença de gases, líquidos e presença ou ausência de peristalse (movimentos intestinais). Quando combinado a um esfigmomanômetro, serve para aferir a pressão sanguínea do examinado.

O aparelho funciona transmitindo ondas sonoras, impedindo que o som se perca no ar. O barulho dos batimentos do nosso coração e os demais sons produzidos no interior do nosso corpo podem não ser dos mais audíveis naturalmente, mas ainda assim são sons. E qualquer som captado pelo auscultador do estetoscópio – aquela parte metálica que o profissional de saúde encosta no paciente – é amplificado através de uma estrutura interna que imita o ouvido humano. O som amplificado segue pelos tubos de condução, passa pela haste metálica e chega ao ouvido do médico através das olivas auriculares.

É assim desde 1816, quando o médico francês René Théophile-Hyacinthe Laennec desenvolveu o primeiro estetoscópio, que transmitia um som bem menos nítido, mas, ainda assim, já cumpria a função que ele tem hoje. A seguir, segundo o site “Super Abril”:

  •  A peça metálica colocada em contato com o corpo do paciente chama-se auscultador. Ela tem dupla face: de um lado, o diafragma e, do outro, o sino.
  •  O diafragma é usado para captação de sons de alta freqüência, como os do pulmão e do abdome. Ele consiste em uma fina membrana circular, feita de material plástico. Os sons do nosso corpo fazem essa membrana vibrar, criando novas ondas acústicas.
  • O sino é mais apropriado para percepção de sons de baixa freqüência, como as batidas do coração. Ele não tem membrana nenhuma. O som é captado devido ao formato cônico, que conduz as ondas sonoras para o orifício no fundo do cone.
  •  As ondas acústicas captadas, seja pelo sino seja pelo diafragma, seguem pelo tubo de condução, estrutura oca e flexível feita de um tipo especial de borracha que impede o vazamento de som.
  • A haste metálica, também oca, é um prolongamento dos tubos, cuja função é conectá-los às olivas auriculares, aquelas pecinhas de borracha que se encaixam no ouvido.

Figura 9 — 6-Estetoscópio
6-Estetoscópiohttps://www.utilidadesclinicas.com.br/estetoscopio-duplo-lamedid-lam14637a.html

fita métrica

A fita métrica é os instrumentos mais simples e baratos necessários para realização da avaliação antropométrica. Ela é utilizada para mensurar perímetros corporais, alturas e comprimentos.

Para facilitar a mensuração dos perímetros corporais seria interessante o profissional que realizará a medição utilizar uma fita métrica maleável. Uma vez selecionado esse tipo de fita métrica, o profissional deverá certificar-se que está com uma boa inextensibilidade, ou seja, quando colocada pressão em suas extremidades ela não deve sofrer alterações no seu tamanho.

Outro ponto, é que a fita métrica selecionada deverá ter uma capacidade de ser flexível para conseguir se acomodar os perímetros. Isto é, deverá permitir ao profissional que ele consiga manipular de forma fácil para acomodar ela aos perímetros.

Fitas métricas metálicas são mais resistentes, porém exigem mais atenção. O profissional deve ter um grande cuidado para identificar que fita métrica está se acomodando de forma adequada ao perímetro corporal. Pois em virtude da característica metálica, em alguns perímetros ela pode não se acomodar tão facilmente.

Um ponto importante a frisar, é que essas fitas métricas metálicas são na maioria das vezes na avaliação antropométrica utilizadas para realizar a mensuração dos comprimentos ou alturas dos seguimentos corporais e não tanto para mensuração dos perímetros. Portanto, para perímetros utilizar fitas métricas não metálicas poderá facilitar a tomada da medida.

Figura 10 — FITA MÉTRICA
FITA MÉTRICAhttps://pt.dreamstime.com/fotos-de-stock-mulher-magro-que-mede-sua-medida-de-fita-m%C3%A9trica-da-cintura-image23662153

Figura 11 — FITA MÉTRICA
FITA MÉTRICAhttps://www.fibracirurgica.com.br/esporte-e-fitness/goniometro-e-fita-metrica

Martelo de Reflexo

O martelo de reflexo é capaz de realizar testes para identificar as condições de resposta neurológica de um paciente, mesmo que ele não apresente sintomas específicos.

Existem diferentes tipos de martelo. O modelo Taylor tem cabeça triangular e costuma ser feito de borracha sintética. O de Babinski tem formato circular, enquanto o Buck MD tem duas extremidades com material sintético.

Figura 12 — Martelo de reflexo
Martelo de reflexohttps://blog.maconequi.com.br/martelo-de-reflexo-como-utilizar/

O uso do martelo é baseado em respostas rápidas dada pelo organismo. Após um estímulo, os nervos e a medula trabalham de forma independente ao cérebro e oferecem um retorno. Se o movimento não acontece como deveria existe a possibilidade de haver algum tipo de problema.

Por meio desse teste simples é possível identificar doenças neurológicas ou problemas nos nervos e terminações nervosas. Também podemos diagnosticar doenças medulares se o reflexo não ocorre conforme o esperado. As alterações de sensibilidade associadas a outros sintomas apontam para problemas específicos.

O teste costuma ser simples, indolor e rápido. A partir da avaliação dos resultados é possível termos uma visão clara do estado do paciente.

Os músculos testados

Teoricamente todos os músculos do corpo humano poderiam ser verificados pelo martelo de reflexo. Porém isso não seria produtivo ou interessante já que há músculos mais importantes.

Em geral são testados alguns grupamentos específicos e entre eles estão:

● Bíceps (parte anterior do braço);

● Tríceps (parte posterior do braço);

● Adutores da coxa (parte interna do joelho);

● Flexores da coxa (parte posterior do joelho);

● Quadríceps (na patela ou rótula);

● Tríceps sural (parte do tendão do calcanhar).

 USO DO MARTELO DE REFLEXO

Na hora de analisar a patela, por exemplo, o paciente tem que estar sentado e com as pernas livres. Ao bater com o martelo podemos notar o movimento ou a falta dele.

Também não é preciso usar uma força muito grande. A chamada percussão deve ser leve, pois ao menor estímulo já se obtém reflexo. O truque é pegar precisamente na área esticada para obter o efeito esperado.

O martelo precisa ser utilizado do mesmo modo em ambos os lados. Também é possível utilizar modelos diferentes dependendo do grupo muscular e do paciente. Crianças, por exemplo, exigem martelos menores por causa de sua composição corporal.

O martelo de reflexo é um equipamento essencial para realização de testes neurológicos. Ele possui diferentes tipos, pode ser usado em grupos musculares variados e oferece informações importantes para o cuidado com a saúde dos pacientes.

Figura 13 — Uso do martelo de reflexo
Uso do martelo de reflexohttps://blog.maconequi.com.br/martelo-de-reflexo-como-utilizar/

 Estesiômetro

Estesiômetro é um instrumento utilizado para definir o nível de

sensibilidade do paciente.

Ele é composto por 7 monofilamentos de cores e espessuras

diferentes começando do mais fino cor (verde) para o mais grosso.

 Como se utiliza esse equipamento ? Pressionamos sobre a pele de

nosso paciente ate formar uma leve curva começando pelo

monofilamento mais fino, caso o paciente não sinta vamos subindo

de espessura. Esse processo é bem importante, pois entra como

procedimento na ficha de anamnese, exemplo o paciente que não

tiver nenhuma sensibilidade pode acabar afetando algum tratamento

prescrito.

Figura 14 — Extensiômetro
Extensiômetrohttps://www.docsity.com/pt/manual-kit-estesiometro/4803757/

Figura 15 — Interpretação do estesiômetro
Interpretação do estesiômetrohttps://www.dormed.com.br/est/p

FIO DE PRUMO

O fio de prumo é constituído por um fio de nylon e por um peso de chumbo suspenso na sua extremidade inferior.

Figura 16 — FIO DE PRUMO
FIO DE PRUMOhttps://www.3bscientific.com.br/fio-de-prumo-1002940-u15015,p_971_1137.html

Como é feita uma avaliação postural com fio de prumo?

Com o indivíduo vestindo roupas apropriadas e em pé, primeiramente é feito a marcação/verificação dos pontos anatômicos.

Após verificar os pontos anatômicos, a avaliação é feita sempre partindo de um ponto específico em relação ao fio de prumo.

Figura 17 — Seguimento lateral
Seguimento lateralFonte: https://fisioterapiaquintana.blogspot.com/2010/01/avaliacao-postural.html

O ponto utilizado como referência para alinhar ao fio de prumo será a articulação calcâneo cuboidéa.

Figura 18 — Seguimento posterior
Seguimento posteriorFonte: https://fisioterapiaquintana.blogspot.com/2010/01/avaliacao-postural.htm

O ponto referência utilizado em relação ao fio de prumo será a linha

equidistante entre os calcanhares.

Figura 19 — Seguimento anterior
Seguimento anteriorFonte: https://efdeportes.com/efd125/instrumentos-de-avaliacao-do-equilibrio-corporal-de-idosos.htm

Esfigmomanômetro

O esfigmomanômetro é um aparelho para verificar a pressão arterial (PA). Consiste num sistema para compressão da artéria braquial. É composto por uma bolsa inflável de borracha de formato laminar, a qual é envolvida por uma capa de tecido inelástico (braçadeira, cuff com manguito = bladder) e conectada por um tubo de borracha a um manômetro e por outro tubo, que contém uma válvula controlada pelo operador, conectado a uma pêra, que tem a finalidade de insuflar a bolsa pneumática. Usado para medida indireta da pressão arterial.

Com o auxílio de um estetoscópio para a ausculta dos sons de Korotkov (são os sons ouvidos durante a aferição da pressão arterial) é possível verificar tanto a pressão sistólica quanto a pressão diastólica.

- Colocar a pessoa sentada ou deitada, de forma confortável para que não gere estresse ou nervosismo, já que pode alterar o valor de pressão arterial;

- Apoiar um dos braços com a palma da mão virada para cima e de forma a não fazer pressão sobre o braço;

- Retirar peças de roupa que possam apertar o braço ou que sejam muito grossas, sendo que o ideal é fazer a medição com o braço despido ou apenas com uma camada fina de roupa;

- Identificar o pulso na dobra do braço, na região por onde passa a artéria braquial;

- Colocar a braçadeira 2 a 3 cm acima da dobra do braço, apertando-a ligeiramente de forma a que o fio de borracha fique na parte de cima;

- Colocar a cabeça do estetoscópio sobre o pulso da dobra do braço, e segurar no local com uma das mãos;

- Fechar a válvula da bomba do esfigmomanômetro, com a outra mão, e encher a braçadeira até atingir cerca de 180 mmHg;

- Abrir a válvula ligeiramente para esvaziar a braçadeira lentamente, até que se comecem a escutar pequenos sons no estetoscópio;

- Registrar o valor que é indicado no manômetro do esfigmomanômetro, pois esse é o valor da pressão arterial máxima, ou sistólica;

- Continuar esvaziando lentamente a braçadeira, até que deixe de se escutar sons no estetoscópio;

- Registrar o valor indicado no manômetro novamente, pois esse é o valor de pressão arterial mínima, ou diastólica;

- Esvaziar completamente a braçadeira do esfigmomanômetro e retirar do braço.

Figura 20 — Uso do esfigmomanômetro
Uso do esfigmomanômetrohttps://www.tuasaude.com/esfigmomanometro/

Simetrógrafo

Simetrógrafo é um instrumento utilizado para avaliar desvios posturais através da observação de pontos anatômicos. Com ele é possível detectar alguns desvios de postura mais acentuados como a escoliose e a hiperlordose.

O simetrógrafo possui números e letras localizados na lateral e na parte superior do equipamento facilitam as interpretações do avaliador, além disso, diferente dos comuns simetrografos de banner que são pendurados na parede para a avaliação do paciente.

Medidas aproximadas: 2,15m X 1m (A x L)

Figura 21 — Avaliação postural usando o simetrógrafo
Avaliação postural usando o simetrógrafohttp://www.marcellobastos.fst.br/2012/04/simetrografo-posturografo-quase-de.html

Para utilizar esse aparelho basta colocar o avaliado (homens de sunga e mulheres de biquíni) em pé, atrás dele, inicialmente na posição anterior, e identificamos a posição de alguns pontos anatômicos, como por exemplo: acrômios, cristas ilíacas, trocânteres, côndilos, maléolos etc; depois comparamos a altura dos pontos do lado esquerdo com os do lado direito em relação às linhas horizontais e verticais do aparelho e podemos observar as diferenças existentes com relação à simetria desses pontos. Na posição anterior poderemos observar assimetrias nos ombros, quadril, joelhos, tornozelos e pés.

CONCLUSÃO

Ao concluirmos esse trabalho adquirimos conhecimentos relacionado às ideias aqui desenvolvidas, a respeito da avaliação fisioterapêutica, anamnese, testes físicos e específicos, além da grande importância de conhecer o paciente e as suas limitações para então elaborar um bom diagnóstico e o plano de tratamento ideal a cada um,  usando apenas o conhecimento e habilidades manual ou necessitando de aparelhos específicos para atuar, e qual a finalidade de cada um dos materiais citados ao decorrer do desenvolvimento e como fazer a utilização de cada um deles.


Referências

. Disponível em: https://www.treinoemfoco.com.br/avaliacao-antropometrica/tipos-e-manuseio-da-fita-metrica/. Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Estetosc%C3%B3pio >. Acesso em: 03 de Março de 2021.. Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: https://blog.carcioficial.com.br/usos-do-goniometro-na-fisioterapia/. Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: https://blog.maconequi.com.br/martelo-de-reflexo-como-utilizar/ . Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: https://blog.vitta.com.br/2019/12/30/anamnese-saiba-o-que-e/. Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Anamnese_(sa%C3%BAde) . Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Goni%C3%B4metro. Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/como-funciona-o-estetoscopio/ . Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: https://www.infoescola.com/materiais-de-laboratorio/termometro/. Acesso em: 6 mar. 2021.

. Disponível em: https://www.portalsaofrancisco.com.br/quimica/termometro. Acesso em: 6 mar. 2021.

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica