“A LITERATURA INFANTO-JUVENIL E A CRIAÇÃO DE UMA PROPOSTA EDUCATIVA” : “Um olhar para a interdisciplinaridade”.

UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ

“A LITERATURA INFANTO-JUVENIL E A CRIAÇÃO DE UMA PROPOSTA EDUCATIVA” “Um olhar para a interdisciplinaridade”.

JULIANA APARECIDA BEBIANO DA SILVA EVANGELISTA

JÚNIA DA CONCEIÇÃO FERNADES EVANGELISTA

PRICILA ALVES SILVa

REGILENE GONÇALVES DA SILVA

TEREZA CRISTINA DOS SANTOS BATISTA SILVA.

Introdução

          O trabalho interdisciplinar de Graduação tem como objetivo apresentar a interdisciplinaridade proposta pelo curso de Pedagogia da faculdade Unopar tendo por base os conteúdos ministrados nas disciplinas do terceiro semestre, a saber: Alfabetização e Letramento; Literatura Infanto-Juvenil; Ensino de Matemática na Educação Infantil; Ensino de Natureza e Sociedade na Educação Infantil.

          O objetivo desta produção textual é trabalhar com o tema “Animais Vertebrados” nas diversas áreas de ensino da Educação Infantil através de um livro Literário da faixa etária de três a cinco anos com o objetivo de criar uma proposta educadora abordando a integração dos conteúdos das áreas do conhecimento (Linguagem Oral e Escrita, Natureza e Sociedade, Matemática). O desejo em encontrar na organização do trabalho escolar, novos caminhos para as práticas pedagógicas e a integração dos conteúdos das áreas do conhecimento, vem sendo amplamente discutido por autores ligados a educação preocupados em transformar a escola em um ambiente atrativo e prazeroso. Portanto, uma das etapas do trabalho escolar contemporâneo é o planejamento com base no referencial teórico de Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Básica e Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil.

Desenvolvimento

Quando falamos em Educação Infantil, observamos que em nosso país a mesma possui normas das Diretrizes Curriculares e se torna parte de uma etapa de ensino, ficando claro que as crianças possuem o direito no qual ela é o “sujeito principal” durante o processo de educação. A criança nos dias de hoje, possuem direitos e são vistas como o centro das atenções, acabando com o velho mito de que as mesmas eram vistas como adultos, não pensavam, não criavam culturas. Os PCNs abordam a interdisciplinaridade e a influência de cada uma delas sobre a construção do conhecimento. 

  

Para que a proposta pedagógica seja sólida, faz-se necessário que se  tenha recursos e condições para que se obtenha o desenvolvimento integral da criança. Segundo o Referencial Curricular, para a educação infantil na pré- escola, os pequenos devem saber como observarem fenômenos constantes e esporádicos, distinguir luz e sombra, quente e frio, liso e áspero, escolher critérios de classificação dos objetos, contemplar módulos e reconhecer matérias. A capacidade de observação e a curiosidade são características que devem ser constantemente desenvolvidas em uma criança para que elas questionem os “porquês” dos fenômenos do mundo.

Os estudos dos seres vivos, realizado por meio de observação de dados e investigações com a ajuda da criança, deixam com que elas assumem pequenas responsabilidades fazendo com que com que as mesmas comecem a entender o ciclo da vida dos animais e das plantas. E importante que a criança consiga comparar diferenças e semelhanças entre diferentes espécies, ter uma noção das etapas de desenvolvimento dos seres que tem como base nas representações que estão ligados em nosso modo de ver e entender o mundo.

As atividades de conhecimento em ciências servem para capacitar crianças a construir uma base e também estimulá-las a construir uma estrutura lógica e espaço-temporal, que auxiliará a estruturar outros conteúdos essenciais na formação do cidadão como um elemento da sociedade. Sem o estabelecimento de vínculos entre a criança e a relação humana com qualidade não ocorrerá a ação formativa. Dar oportunidade de descobrir o mundo maravilhoso que a criança nele vive, pode mostrar que a natureza é algo curioso e fascinante, e isso só pode mostrar que a natureza é algo curioso e fascinante, e isso só pode ser oferecido ao ensinar ciência (ALVES; FUSINATO; MARQUES, 2008, p.1).


A linguagem acontece socialmente por meio da oralidade, leitura e escrita, desenho, escultura, mímica, movimento, representações corporais, sons e música. A linguagem é fundamental para o desenvolvimento humano. A linguagem oral busca oferecer ás crianças a ampliação da capacidade de comunicar-se colaborando para a organização e formação do pensamento. A linguagem escrita compreende os livros, jornais, cartazes, embalagens, etc. A língua escrita não é apenas a representação da língua falada, mas sim um sistema mais disciplinado e rígido, uma vez que não conta com o jogo fisionômico, as mímicas e o tom de voz do falante. Em ambas as modalidades (oral e escrita) espera-se que a comunicação seja efetiva e possa, de fato, se concretizar pelo contínuo ajustamento de linguagem que o emissor da mensagem faz com relação ao seu destinatário elaborando conceito a partir das experiências do dia a dia. Ao entrar na escola criança amplia esses conhecimentos por meio de atividades significativas de interação e elaboração.

 A linguagem da matemática esta presente desde cedo entre as crianças pequenas, quando manipulam objetos identificando propriedades, contando quantidades, agrupando e classificando. O conhecimento matemático não deve ser memorizado, mas sim assimilados por meio de experimentos e explorações, compreendendo o conceito de número, sua função e seu uso na vida social em atividades diversificadas possibilitando o contato com os elementos espaciais e numéricos, onde a criança organiza as estruturas do pensamento.

O Estudo da Natureza e a Sociedade envolvem os temas relacionados ao mundo social e natural enriquecendo a curiosidade pelas experiências e explorando o ambiente social e físico, com trabalhos sobre história da cultura humana e da vida cotidiana em sociedade, além disso, os fenômenos que ocorrem na natureza, as transformações feitas pelo ser humano e as mudanças climáticas. Destaca-se que a avaliação deve priorizar os níveis de complexidade de um mesmo conteúdo em momentos normais ou exclusivos, as produções cotidianas dos alunos definindo claramente objetivas e conteúdos avaliados como os meios mais adequados para avaliação observando sempre a constatação, a reflexão e a superação do problema.

PROJETO: QUEM MORA NA SELVA?

TEMA: Animais Vertebrados.

RESUMO: O livro “Quem mora na Selva”, trabalha a criança através de perguntas simples, ou seja: após ela descobrir o animal relativo às perguntas que apontam as diversas características dos mesmos, ela levanta a aba do livro revelando o animal descrito. A Criança fica encantada com os desenhos, cores e modelo do livro. Presta a atenção na história enquanto os animais da selva aparecem! Desde um sapo colorido, um tigre listrado, as tiras, as abas, as belas e amigáveis ilustrações se unem para criar ruma experiência divertida de aprendizado.

                               Objetivos: 

1-Desenvolver leitura e escrita. 

2-Conhecer diversas espécies de animais, não somente os da história, mas também os demais pertencentes aos 5 grupos de vertebrados: aves, mamíferos, répteis, peixes e anfíbios

3 – Reconhecer que os animais são seres vivos, respeitando, valorizando e protegendo-os.

    4 – Levar a criança a preservar a Natureza e refletir sobre o risco de extinção dos animais, conscientizando-as a participar dos cuidados com nosso Planeta. 

5-Saber distinguir selvagens de domésticos.

6 – Entender o que são animais Vertebrados.

7 – Distinguir diferentes formas e tamanhos de animais, lembrando seus nomes e sons vocais.

8 – Conhecer as diversidades entre os animais como: locais onde vivem (habitat), sua alimentação, seus hábitos e outras peculiaridades relativas a cada espécie.

9– Reconhecer as utilidades dos animais para os seres humanos.

                           Descrição da proposta.

Distribuir figuras de animais variadas de quantidade variadas e explicar que aquele é um grupo, pois todas são animais. 

Pedir para que os alunos contem quantos animais vertebrados possuem no livro.

Pedir agora que separem por nome de animais vertebrados.

Perguntar quantos animais tem em cada grupo.

Qual o grupo que tem mais animais vertebrados?

Qual o grupo que tem menos animais vertebrados?

Porque houve estas mudanças?

Fazer intervenções à medida que as respostas forem surgindo.

Diariamente, durante o desenrolar do projeto, o professor poderá ler uma pequena história ou alguma poesia ou ensinar alguma música ou então trazer alguma novidade sobre o tema gerador. Registrar no “blocão” para que seja utilizado a qualquer momento. Os alunos também podem contribuir com novidades.

                                 2ª sugestão:

     Abrir uma discussão filosófica sobre o tema.  

     Ex: Animais abandonados

 Animais domésticos e selvagens. Propor questionamentos.

Vocês têm animais em casa?

Quais os cuidados com esses animais?

Qualquer animal pode ser criado em casa?

O leão, por exemplo, por que não pode ser criado em casa?

Esses animais moram na floresta, na selva. Quem sabe como eles são chamados?

Segue uma atividade de pesquisa com revistas para serem recortadas e coladas figuras de animais domésticos e selvagens em duas folhas distintas. Expor no mural da sala de aula.

                                3ª sugestão:

Colocar a música da Xuxa parta tocar: “Imitando os Animais”. Cada aluno desenha o animal que mais gosta após ouvir a música. 

                                    Avaliação;

Os projetos transformam a avaliação em um processo contínuo à realidade cotidiana da sala de aula. Portanto, durante todo o projeto os alunos serão avaliados mediante a observação constante do professor. Como instrumento de avaliação pode observar:

● Comportamento da criança

● Hábitos nos trabalhos

● Relacionamento com colegas e professor

● Capacidade de cooperação

● Interesse

● Atenção

● Participação

● Envolvimento nas atividades

    A avaliação deve buscar entender o processo de aprendizagem de cada criança e a significação que cada trabalho comporta. A observação do grupo, além de diária e constante, deve fazer parte de uma atitude sistemática do professor dentro do seu espaço de trabalho.

     Caso haja necessidade, o professor fará uma retomada de conteúdos, conforme as necessidades diagnosticadas.

                 Recursos utilizados.

Uma criança ou mesmo a professora que tenha um animal calmo, que possa ser levado para a escola e ser observado na rodinha com os alunos.

Cd, rádio, papel com desenho de animais, lápis de colorir e giz de cera, microfone, revistas, gravuras de animais.



Conclusão

Conclui-se que após o desenvolvimento dos conteúdos a serem ministrados na educação básica, entendemos que se faz necessário realizar um processo avaliativo buscando averiguar se os objetivos propostos foram atingidos. E de acordo com a proposta pedagógica. A junção das matérias ao ministrar uma aula com determinado tema, torna-se a mesma mais prazerosa e produtiva.

Considera-se que o grau do desempenho escolar na vida do aluno poderá influenciar a sua futura inserção no mercado de trabalho sendo decisivo no seu sucesso como membro da sociedade onde vive. Entende-se que as oportunidades oferecidas pela escola, descobrem-se aluno com potencial para muitas áreas como: Literatura, matemática, esportes, jogos, etc. Enfim, o professor precisa possuir um olhar sensível não somente para as crianças que apresentam dificuldades de aprendizagem, mas também para desvendar possíveis potencias dentro de uma sala de aula, além de proporcionar uma formação de boa qualidade aos alunos sem distinção.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica