A CHEGADA DO HOMEM NA AMERICA E O POVOAMENTO AMERICANO

Escola Estadual Professora Esther Garcia

A CHEGADA DO HOMEM NA AMERICA E O POVOAMENTO AMERICANO

alisson santos silva

isabella apª nicodemus

melissa pereira nunes

davi da silva chaves

renata santos bispo

ANEXO A — Povoamento da América & Estreito de Bering

 ↑ Vitus Bering, o responsável pela primeira navegação sobre o Estreito de Bering 

Resumo

ESTREITO DE BERING: Com aproximadamente 85km (53 milhas) de largura e de profundidade entre 30 a 50 metros, o estreito de Bering liga o mar Chukchi, que faz parte do Oceano Ârtico, ao mar POVOAMENTO DA AMERICA: A América começou a ser povoada quando os primeiros grupos humanos vindos da Ásia, atravessaram o estreito de Bering. Essa travessia ocorreu na última glaciação,período em que estreito ficou coberto por uma camada de gelo, unido o continente americano ao asiático.
de Bering, parte do Oceano Pacífico.No meio do estreito situam-se as ilhas Diomedes, ilhas pertencentes tanto aos Estados Unidos como a Rússia.

Palavras-chave: Trabalho acadêmico.

Abstract

AMERICA’S PEOPLE: America began to be populated when the first human groups from Asia crossed the Bering Strait. This crossing occurred in the last glaciation, a period when narrow was covered by a layer of ice, joined the American continent to Asia.
BERING NARROW: With approximately 85km (53 miles) wide and 30 to 50 meters deep, the Bering Strait connects the Chukchi Sea, which is part of the Arctic Ocean, to the Bering Sea, part of the Pacific Ocean. Of the strait lie the Diomedes islands, islands belonging to both the United States and Russia.

Palavras-chave: .Academic work.

IntroduÇão

Neste trabalho iremos falar sobre a chegada do homem na America (a teoria de Bering e o povoamento da America).

Iremos explicar oque foi a teoria de Bering,oque aconteceu,porque eles resolveram vim para nto.a América. E logo apos o povoamento,como aconteceu e porque do povoame

Estreito de bering

 De acordo com a teoria de Bering, o homem teria chegado à América através do Estreito de Bering, localizado entre o extremo leste do continente asiático e o extremo oeste do continente americano, os dois pontos se encontram separados por 85 km. Segundo essa teoria, a chegada do homem ao continente americano ocorreu há, aproximadamente, 50 mil anos, quando nômades asiáticos atravessaram o Estreito de Bering; que nesse período encontrava-se congelado em razão da era glacial, formando assim uma ponte natural entre os dois pontos.

 A glaciação-redução da temperatura da Terra-, entre 35000 a.C e 12000 a.C. Com a queda de temperatura, a massa de gelo polar aumentou e o nível dos oceanos abaixou. O estreito de Bering teria então ficado seco, permitindo a passagem dos seres humanos,a a pé, da Ásia para a América.

 Os vestígios humanos mais antigos encontrados em nosso continente datavam aproximadamente de 12 000 a.C. e foram descobertos na América do Norte. Os mesmos tipos de vestígios eram, na América Central, de aproximadamente 9000 a.C.; e na América do Sul, de 8000 a.C. na região dos Andes, e de 6000 a.C no atual território brasileiro.

  No âmbito das feições geográficas, o conceito de estreito refere-se a uma área marítima ou oceânica que é responsável pela separação de duas áreas continentais ou de dois oceanos, servindo como uma espécie de canal por onde passam embarcações, seres vivos e correntes marinhas. Um dos mais conhecidos do mundo é o Estreito de Bering.

 O estreito de Bering é um espaço marítimo que se estende por 85 quilômetros e separa dois continentes: a Ásia e a América do Norte. É por ele também que passa a Linha Internacional de Data, que funciona como um meridiano oposto ao de Greenwich.

♦ Por que o nome Estreito de “Bering”?

 O nome desse estreito foi dado em homenagem ao navegador dinamarquês com nacionalidade russa, Vitus Jonassen Bering, responsável, em 1724, pela primeira navegação sobre o canal, que apresenta severas dificuldades para aqueles que desejam trafegar por sua área. Junto ao estreito, também existe o mar de Bering, delimitado a leste e a oeste pelos continentes supracitados, ao norte pelo Oceano Ártico e ao sul pelas Ilhas Aleutas, que se estendem em forma de arco como um prolongamento do Alasca.

 Vitus Bering não só ficou conhecido como o primeiro desbravador do local, como também por ter falecido em uma expedição realizada sobre o próprio estreito de Bering. No ano de 1741, ao longo de uma expedição que visava esclarecer os limites geográficos e explorar aquilo que mais tarde ficou conhecido como o Alasca, Bering padeceu ao lado de algumas dezenas de tripulantes diante do inverno rigoroso da região.

♦ Características gerais do Mar de Bering

 O mar de Bering apresenta um grande potencial pesqueiro, o que atrai muitos profissionais dessa área da economia. No entanto, ele também é considerado um dos lugares onde mais pescadores perdem suas vidas, tanto pelas adversidades naturais quanto pelo fato de os exploradores partirem em grupo, de modo que as catástrofes costumam resultar em um grande número de vidas perdidas conjuntamente.

 O encontro, nesse local, entre uma corrente marítima muito fria advinda do Ártico e uma corrente mais quente oriunda do Pacífico faz com que se forme uma fumaça ou neblina na região, o que prejudica muito a visibilidade. No inverno, as tempestades são muito fortes, geralmente acompanhadas de temperaturas que oscilam em torno dos -45ºC e por ondas que podem atingir os 12 metros de altura. Mesmo hoje com todos os equipamentos modernos de navegação e os sistemas de monitoramento e de resgate, a navegação sobre o mar de Bering é considerada muito arriscada.

 Quando os Estados Unidos compraram o Alasca e as Ilhas Aleutas da Rússia, em 1867, a região ganhou certo caráter estratégico em termos de posição, o que se elevou durante a Segunda Guerra Mundial, quando os norte-americanos passaram a utilizar o local para o posicionamento de bases militares. Durante a Guerra Fria, que opôs União Soviética e EUA, a região tornou-se um importante foco de tensão política.

 Estima -se que, no passado, povos nômades antigos passaram pelo estreito de Bering durante uma glaciação, sendo os pioneiros na ocupação do continente americano, e deram origem, tempos depois, às civilizações ameríndias. Atualmente, também existem projetos para que pessoas possam atravessar o canal, como é o caso da Ponte Internacional da Paz e um canal subterrâneo ferroviário que faria parte de um ambicioso projeto de interligar, fisicamente, o continente americano com a Ásia e até a Europa.

povoamento da america

 Na opinião de muitos historiadores, o surgimento dos seres-humanos deu-se na África. Somente após muitos anos eles se deslocaram para outras regiões do planeta, até chegarem ao continente americano. Existem diversas opiniões sobre a maneira como estes povos chegaram na América, a mais aceita é de que teriam vindo do Norte da Ásia pelo Estreito de Bering, trecho que faz a separação entre Rússia e Estados Unidos (Alasca). Naquela época, o mar encontrava-se mais baixo devido à glaciação, isso fez com que uma passagem de gelo natural fosse formada entre os continentes americano e asiático e por ela os povos antigos passaram a chegaram à América.

 Por outro lado, existe a hipótese de que os primeiros povos da América teriam chegado no continente ao atravessar o oceano Pacífico. Eles teriam vindo da Ásia e da Oceania. Calcula-se que os primeiros homens a migrarem para a América teriam feito a travessia há cerca de 20 a 70 mil anos e que utilizaram diversos caminhos. Os homens que chegaram ao Brasil formaram agrupamentos de caçadores, coletores, tinham domínio do fogo e construíam instrumentos de pedra. Provavelmente estariam localizados no Piauí, mas não existem muitas fontes seguras quanto a isso.

 Peter Wilhelm Lund, naturalista dinamarquês, encontrou fósseis de 30 crianças e adultos da pré-história em Lagoa Santa, Minas Gerais. Segundo cálculos, estes fósseis teriam 12 mil anos. Até o ano de 1970 haviam sido encontrados aproximadamente 250 fósseis de seres humanos, o mais famoso foi um crânio batizado como “crânio de Luzia”, com data de aproximadamente 11 mil anos atrás. Estes descobrimentos em Lagoa Santa foram de suma importância para a compreensão do aparecimento do homem na América e rendem estudos até hoje.

 Pesquisando a morfologia do crânio de Luzia, Walter Alves Neves, do Instituto de Biociências da USP, descobriu traços parecidos com os dos atuais aborígenes australianos e dos negros africanos. Com o apoio de outros pesquisador, o argentino Héctor Pucciarelli (Museo de Ciencias Naturales de la Universidad de La Plata), Neves elaborou uma teoria de que os povos que chegaram à América seriam de grupos distintos. Os primeiros chegaram há 14 mil anos e tinham a aparência de Luzia. Já os segundos teriam sido os mongolóides (11 mil anos atrás) e deles descenderam todas as tribos de índios da América.

 Apesar de todas as teorias, o mais provável é que as Américas tenham sido povoadas por homens de diferentes origens. Com o passar dos anos, eles formaram um mosaico com uma infinidade de povos e línguas.

 As colônias de povoamento são, geralmente, terras utilizadas para moradia e subsistências dos colonizadores. São, basicamente, nações descobertas e desenvolvidas com o povoamento e o aprimoramento de suas estruturas básicas. Este modelo de colonização foi aplicado no Norte e Centro das Treze Colônias Britânicas e em outros países como Canadá, Nova Zelândia e Austrália.

  Para deixar mais claro, seguem dois exemplos. Os Estados Unidos foram uma colônia de povoamento, pois recebeu refugiados de guerra que lá trabalharam e geraram frutos. O Brasil foi vítima de colônias de exploração, já que o intuito dos portugueses era apenas enriquecer com nossos recursos naturais e retornar à metrópole. Os resultados dos dois tipos de colonização são perceptíveis, o primeiro país acabou desenvolvendo-se e tornando-se uma potência mundial enquanto o segundo tornou-se uma nação pobre.

 Para facilitar ainda mais, a colonização de povoamento tinha características bem particulares:

• Devido a uma colonização de médias e pequenas fazendas, os colonos trabalhavam e desenvolviam os locais, gerando prosperidade econômica.

• Tudo que era feito servia a colônia internamente, a produção agrícola regia a economia.

• Liberdade para o trabalho

• Autonomia comercial, não sendo totalmente dependente da metrópole.

• Independência política e atitude libertadora de seus membros

• Reunião de trabalhadores em assembléias para discutir o futuro da terra

• Política que atraía mais e mais trabalhadores.

• Eram colônias atípicas – não ajudavam na balança comercial e não interessavam tanto à metrópole;

• Faziam a prática da policultura

• Os seus produtos eram semelhantes aos da metrópole

• Coexistência de comércio e manufaturas

• Mercado interno e uma economia de subsistência;

• Comércio produzia para mercados internos e externos

• Pacto Colonial mais fraco

• Fixação do homem ao solo – necessidade de criar escolas, igrejas, fábricas, etc.

 O conceito básico das colônias de povoamento é contestado por alguns historiadores, para eles, “não existe como colonizar uma terra sem explora-la e não há outra forma de exploração na qual não seja feito um povoamento do lugar”. De acordo com estes estudiosos, “o conceito de colônia de povoamento foi inventado pelos Europeus para amenizar o próprio sentido da colonização, que nada mais é do que a exploração de outras nações”.

 Esta mentalidade refere-se ao tipo de colonização aplicada na América Latina, apontada como um dos fatores de seu sub-desenvolvimento até hoje. Mas as colônias de povoamento também retardaram o progresso da região Nordeste dos Estados Unidos e Canadá, das Colônias Britânicas do Norte e Centro e do Canadá.

Conclusão

Podemos concluir que o nomadismo fez com que os grupos fossem atras de comida,e em uma era glacial,o estreito de Bering se formou e os nomades vieram atras de comidas. Chegando na America,ouve uma grande necessidade de expandir o povoamento,pois o grupo estava crescendo,então eles se movimentavam atras de novas terras para habitar

ANEXO A — Povoamento da América & Estreito de Bering

 ↑ Vitus Bering, o responsável pela primeira navegação sobre o Estreito de Bering 

ANEXO A — Povoamento da América & Estreito de Bering

 ↑ Vitus Bering, o responsável pela primeira navegação sobre o Estreito de Bering 

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica