5 AVANÇOS TECNOLÓGICOS DAS ULTIMAS 3 DECADAS

SESI Fuad Assef Maluf

5 AVANÇOS TECNOLÓGICOS DAS ULTIMAS 3 DECADAS

GIovanna leme dos santos

Desenvolvimento

World Wide Web

A rede mundial de computadores (em inglês: World Wide Web), também conhecida pelos termos em inglês web e WWW é um sistema de documentos em hipermídia que são interligados e executados na Internet.

Os documentos podem estar na forma de vídeos, sons, hipertextos e figuras. Para consultar a informação, pode-se usar um programa de computador chamado navegador para descarregar informações (chamadas “documentos” ou “páginas”) de servidores web (ou “sítios”) e mostrá-los na tela do usuário. O usuário pode então seguir as hiperligações na página para outros documentos ou mesmo enviar informações de volta para o servidor para interagir com ele. O ato de seguir hiperligações é, comumente, chamado “navegar” na Web.

A funcionalidade da web é baseada em três padrões:

URL: um sistema que especifica como cada página de informação recebe um “endereço” único onde pode ser encontrada, HTTP: um protocolo que especifica como o navegador e servidor web comunicam entre si, HTML: uma linguagem de marcação para codificar a informação de modo que possa ser exibida em uma grande quantidade de dispositivos.

O termo Web é usado erradamente como sinónimo da própria Internet, sendo a Web apenas um serviço que utiliza a Internet.

O desenvolvimento da World Wide Web até 1991 começou em 1980, quando o inglês Tim Berners-Lee, um funcionário contratado do CERN – Organização Europeia para a Investigação Nuclear, na Suíça, desenvolveu o ENQUIRE, um projeto usado para reconhecer e armazenar associações de informações.

No natal de 1990, Berners-Lee tinha construído as ferramentas necessárias para o funcionamento da Web: o Protocolo de Transferência de Hipertexto (HTTP), a Linguagem de marcação de hipertextos (HTML), o primeiro navegador (browser), chamado WorldWideWeb, o primeiro servidor HTTP (conhecido depois como CERN httpd), o primeiro servidor web o http://info.cern.ch e as primeiras páginas Web que descreviam o projeto todo.

Foi entre 1999 e 2001 que se assistiu à explosão do WWW e há quem o compare ao desenvolvimento dos comboios dos anos 1840, do automóvel no início do século XX, da rádio dos anos 1920 e aos computadores domésticos dos anos 1980. Foi durante essa época que a internet se tornou popular e acessível à todos.

O acesso facilitado a internet revolucionou nossa forma de comunicação e relacionamento social. Transformou profundamente o modo como interagimos, seja em nossas famílias ou nos outros grupos sociais que pertencemos. Alterou como vivemos, aprendemos, trabalhamos, consumimos e nos divertimos.

Uma sociedade mais conectada contribui em muitos aspectos para seu desenvolvimento. No entanto, tudo pode ser utilizado para o bem ou para o mal, e com a internet não seria diferente.

Apesar de tantos benefícios que essa tecnologia proporciona, há também os malefícios que provoca quando não é usada de forma prudente, como por exemplo, a falta de privacidade dos internautas. Ferramentas que possibilitam fazer montagem de fotos e invadir a privacidade dos seus computadores têm sido um dos problemas que tem afetado vida de muitas pessoas.

Entre os maiores perigos da Internet estão malwares, trojans, adwares e vários outros que juntos têm o objetivo de prejudicar o internauta. Seja roubando informações, espionando, ou destruindo o equipamento do usuário. Outro perigo é roubo de identidade que acontece quando alguém frauda perfis dos usuários da web para ter algum tipo de vantagem. Seja para abrir cadastros, realizar transações bancárias ou criar uma conta falsa em perfis sociais, o estrago feito por roubos de dados pode ser bem maior do que o imaginado e outros.

Independentemente das consequencias negativas ou positivas, WWW é praticamente a criação da Internet que é a tecnologia decisiva na Era da Informação, tornando a humanidade conectada, pessoas, empresas e instituições sentem a profundidade dessa mudança tecnológica. Atualmente as pessoas dependem da Internet para quase tudo no dia-a-dia, seja como entretenimento, fonte de informações, para acesso a redes sociais e vários outros e tudo isso foi possível a partir do World Wide Web.

Interface gráfica 

A forma como os humanos interagem com os computadores sempre foi uma preocupação da indústria da informática. Durante algumas décadas, essa interação passou da linha de comando, em modo texto, para desktops em três dimensões e softwares que aceitam comandos por voz ou gestos com o propósito de facilitar e tornar mais intuitiva a utilização das máquinas. O desenvolvimento de interfaces gráficas semelhantes às que conhecemos atualmente remete as décadas de 70 e 80.

Com o surgimento da Smalltalk, linguagem de programação e ambiente de desenvolvimento que possuía uma interface gráfica diferenciada, a GUI começou a ganhar aspectos mais modernos, em 1974. A grande inovação foram as janelas, que possuíam bordas e barras de títulos que permitiam a identificação e o reposicionamento delas. O conceito de ícones também surgiu na mesma época, assim como o menu de contexto. No mesmo período, também foram apresentadas as barras de rolagem, as caixas de diálogo e os botões de opções.

Outro passo importante na história das interfaces gráficas foi dada pela startup criada por Steve Jobs e Steve Wozniak, em 1976. A equipe de desenvolvedores trabalhou em uma interface baseada em ícones, em que cada um deles indicava um documento ou uma aplicação. Além disso, a equipe criou a primeira barra de menu desdobrável (pull-down), que hospedava todos os menus logo nas primeiras linhas da tela.

No fim dos anos 80, muitas interfaces gráficas começavam a surgir. Essas GUIs eram executadas sobre um sistema gráfico e com suporte à rede, conhecido como X. Durante os anos 90, apenas duas empresas resistiram à “peneira” do mercado: a Microsoft e a Apple. As demais entraram em falência ou foram adquiridas por outras companhias.

As interfaces gráficas foram de suma importância para a popularização de computadores domésticos, pois antes delas a utilização de computadores era complicada então a interface gráfica simplifica o uso para usuários casuais ou distantes da programação. GUIs simplificam a operação de um computador ou outras máquinas, permitindo que usuários que não estejam familiarizados com programação que usem a máquina de diversas maneiras. GUIs também são projetadas para que sejam intuitivas e permitam que o usuário ganhe experiência e conhecimento conforme usam a interface; na verdade, muitas GUIs são programadas para mostrar a consequência de qualquer ação imediatamente. Quando um usuário clica um ícone de programa, o programa abre. Quando um usuário deleta um arquivo de uma área de trabalho, o ícone do arquivo desaparece.

Telefones celulares

Em 1947 alguns engenheiros pensavam em uma maneira de tornar a comunicação mais eficiente e fácil, contudo as ideias não foram muito além da teoria e de pouca prática. A real história do telefone móvel, também conhecido como celular, começou em 1973, quando foi efetuada a primeira chamada de um telefone móvel para um telefone fixo.

Várias fabricantes fizeram testes entre o ano de 1947 e 1973, contudo a primeira empresa que mostrou um aparelho funcionando foi a Motorola. O nome do aparelho era DynaTAC e não estava a venda ao público (era somente um protótipo). O primeiro modelo que foi liberado comercialmente nos EUA (alguns outros países já haviam recebido aparelhos de outras marcas) foi o Motorola DynaTAC 8000x, isso no ano de 1983, ou seja, dez anos após o primeiro teste realizado.

A primeira geração da telefonia celular se iniciava com celulares não tão portáteis, tanto que a maioria era desenvolvida para instalação em carros. A maioria dos celulares pesava em média 1kg e tinha dimensões absurdas de quase 30 centímetros de altura.

Logo no início da década de 90, as fabricantes já estavam prontas para lançar novos aparelhos, com um tamanho aceitável e um peso que não prejudicasse a coluna de ninguém. A segunda geração de aparelhos não traria apenas novos aparelhos, todavia também iria aderir a novos padrões de comunicação. Como por exemplo o SMS.

Um recurso indispensável para muitas pessoas é o serviço de mensagem de texto (SMS). Poucos sabem, mas a primeira mensagem de texto foi enviada no ano de 1993, através de uma operadora da Finlândia. Aqui no Brasil demorou muito para chegar “toda” essa tecnologia, afinal, as operadoras brasileiras ainda estavam pensando em instalar telefones fixos para os clientes.

Algum tempo depois foi implementada a distinção de imagens, mas apesar disso os usuários queriam mais, então surgiu o primeiro celular com 4 mil cores. Não demorou muito e os celulares ganharam displays de 64 mil cores e assim por diante até chegar nos dias de hoje em que os aparelhos possuem 16 milhões de cores, um recurso indispensável para alta definição de imagens.

Com a possibilidade de visualizar imagens coloridas, não demorou nada para que os celulares ganhassem o recurso das mensagens multimídia, famosas MMS. As mensagens multimídia, a princípio, seriam úteis para enviar imagens para outros contatos, contudo, com a evolução do serviço, a MMS tornou-se um serviço que suporta até o envio de vídeos.

O que todos queriam, finalmente estava disponível nos celulares: a internet. Evidentemente, a internet que era acessada através de um celular não era nada parecida com aquela que as pessoas utilizavam nos computadores, no entanto, isso deveria evoluir muito em breve.

Em anos de evolução os celulares ganharam muitas novas funções como câmeras, reprodução de arquivos MP3 e outros, em 2007 o novo recurso que mais espantou a todos foi a apresentação dos primeiros celulares sensíveis ao toque. O aparelho de maior sucesso foi o iPhone, da Apple, porque ele não era apenas sensível ao toque, mas trazia a sensibilidade a múltiplos toques, ou seja, você pode comandá-lo utilizando vários dedos.

A partir dos telefones celulares surgiram os smartphones que são considerados por muitos como a maior invenção do século XXI. Além disso o telefone celular trouxe ao mundo uma forma mais simples e fácil de se comunicar com as outras pessoas.

Impressora 3D

As impressoras 3D estão conquistando seu espaço no mercado tecnológico, apresentando cada vez mais, mais novidades, como a impressão de brinquedos, anunciada pela Mattel, e a fabricação de tecidos humanos, que no futuro poderá ajudar pacientes que precisam de um implante. O que poucos sabem é que este tipo de tecnologia já é antiga e só ficou conhecido pela grande maioria das pessoas há uns dois anos.

O processo de impressão 3D pode ser utilizado para diversas finalidades, sendo que sua maior vantagem é a rapidez e o baixo custo das peças desenvolvidas. Este sistema permite a criação de qualquer objeto, desde um brinquedo a uma ferramenta industrial. Antes da impressora 3D, para se produzir um protótipo, era preciso modelar a peça manualmente, para depois fazer um molde. Este processo é tão trabalhoso quanto fabricar a versão final do produto.

Mas, o processo de impressão tridimensional não precisa ser utilizado apenas por indústrias e pela ciência, já existem modelos domésticos, que podem te ajudar a fabricar peças utilizadas em casa, como copos, escorredor de pratos, ou mesmo um enfeite novo para a sala.

Existe uma gama de peças que podem ser fabricadas a partir da impressão 3D e sempre surgem novas opções e experimentos. Entre elas estão, joias, esculturas, miniaturas, maquetes, peças para máquinas, próteses, ou alimentos como chocolates. Até mesmo um carro já pode ser montado a partir da impressão tridimensional.

a primeira impressora 3D surgiu em 1984, com o norte americano Charles Hull. Poucos anos depois, ele fundou a 3D Systems Corp., patenteando sua criação e diversas formas de impressão, bem como iniciando a comercialização da tecnologia. O sucesso foi tanto que a empresa permanece como uma das líderes no segmento até hoje.

Com o tempo e o avanço nos métodos de impressão, o custo destas impressoras vem barateando cada vez mais. Na década de 90 era preciso desembolsar em torno de um milhão de dólares por uma delas. Passadas pouco mais de duas décadas, existem modelos que podem ser adquiridos por menos de mil doláres.

Uma das utilidades mais significativas da impressora 3D, senão a melhor delas, é poder ajudar na medicina. Cada vez mais, a tecnologia é capaz de produzir objetos que ajudem em pesquisas ou no tratamento ou recuperação de pacientes com os mais diversos tipos de doença. Já foram criadas, por exemplo, mandíbula humana e mapas impressos em 3D para ajudar deficientes visuais.

No entanto, o mais comum são as próteses, das mais diversas. Desde a prótese de braço para um menino que nasceu sem o braço direito, 114 vezes mais barata do que a oferecida por seus médicos, até a prótese de vértebra. Ainda, cientistas conseguiram criar cartilagem a partir de impressora 3D, além de um exoesqueleto que foi capaz de ajudar uma mulher paralisada a andar.

As impressoras 3D podem revolucionar o mercado de muitas formas pois elas podem imprimir praticamente qualquer coisa tornando processos de produção mais rápidos e baratos.

Google

Serviços online, redes sociais, sistema de anúncios e uma centena de outras funções e possibilidades. Todas elas foram originadas por dois rapazes que cursavam a Universidade de Stanford. Larry Page e Sergey Brin começam a discutir ideias e chegam à conclusão de que a busca por informações poderia a ajudar a organizar as páginas. E como todo bom universitário, os recursos para a estruturação de qualquer negócio não eram lá muito grandes.

Por isso, o BackRub – o avô do Google que conhecemos hoje – teve seu ponta pé inicial em 1996 a partir de computadores compatíveis com a renda dos dois rapazes. Até então, a Internet não possuía ferramentas tão eficazes para a localização de conteúdo a partir de palavras chave. Dois anos depois, tudo já corria muito bem para Page e Brin. Nessa época o site já se chamava Google. Com o crescimento explosivo da página de buscas, o Google já armazenava um Terabyte de informações nos anos de 1998 – uma soma assombrosa para a época.  

Os anos 2000 foram muito importantes para a empresa que cresceu ainda mais passando a ter suporte a mais de 15 línguas, várias ferramentas novas como o Orkut, o Gmail, Google Earth, Google Talk, Google Reader, Google Analytics e uma série de outros serviços foram lançados, compondo a carteira de incorporações e produções próprias da empresa. Além de fazer várias aquisições sendo a mais marcante, a compra do Youtube em 2006 que hoje é uma das maiores formas de expressão audiovisual independente do mundo.

Considerada hoje um gigante em tecnologia web, o potencial dessa corporação é medido pelas suas realizações, sempre completas e inovadoras, além dos seus altos investimentos em busca do desenvolvimento da tecnologia e da evolução da internet.

Oferecendo serviços na web que vai desde ferramentas de pesquisa, domínio de e-mail e navegador, até publicidade online, aplicativos, redes sociais e sistemas operacionais. Dessa forma, fica difícil encontrar um usuário ativo na rede que não utilize pelo menos uma das facilidades proporcionadas por esses serviços.

A empresa existe a um tempo relativamente curto, pois foi fundada em 1998 e ainda assim, diante de todos os seus feitos, tornou-se uma referência ao longo desse tempo. Percebemos, então, a sua importância para a internet, já que ela tem como missão organizar as informações do mundo e torná-las mundialmente acessíveis e úteis.

Conclusão

Tecnologia é um termo que designa o conhecimento técnico e científico das ferramentas, que vão se aprimorando a medida que temos mais sabedoria a respeito de determinada função.Assim, é caracterizado pela união da ciência e da engenharia, mostrando-se presente em acessórios simples, como uma cadeira ou processos mais complicados como estudos de células troncos, por exemplo.A tecnologia não é apenas um termo que designa grandes invenções e descobertas das épocas atuais.

O desenvolvimento tecnológico acarretou inúmeras transformações na sociedade contemporânea, principalmente nas duas ultimas décadas. Hoje são possíveis realizações que, há pouco mais de 40 anos, faziam parte apenas do mundo da ficção – discagens telefônicas entre continentes, retiradas de dinheiro fora do horário bancário, pagamentos eletrônicos, sofisticados exames clínicos, robôs que constroem outras máquinas, etc.

A sociedade, de modo geral, está constantemente se beneficiando dos progressos da tecnologia sem, muitas vezes, ter consciência disso. Ler um jornal, uma revista ou um livro, assistir à programação da televisão, utilizar o telefone, tomar um refrigerante, pagar uma conta no banco, fazer compras no supermercado, viajar de ônibus, trem ou avião são usos da tecnologia que fazem parte do cotidiano. Ou seja, a sociedade usufrui de tecnologia, na medida em que a realização dessas atividades pressupõe a presença de recursos tecnológicos em algum estágio do processo.

feito

Use agora o Mettzer em todos
os seus trabalhos acadêmicos

Economize 40% do seu tempo de produção científica